expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

terça-feira, 16 de julho de 2019

Seleção Nacional de hóquei em patins recebida e condecorada no Palácio de Belém pelo Presidente da República: "Mostrámos que somos os melhores" – Palavras elogiosas de Marcelo Rebelo de Sousa, momentos antes de ter distinguido os jogadores e a equipa técnica com o colar da Grã-Cruz da Ordem do Mérito


Jorge Trabulo Marques - Jornalista e foto-jornalista  - 



Marcelo, um Presidente incansável!  Otimista, amável e sorridente e, em momentos signficativos, que continuam a granjear-lhe as mais calorosas simpatias ! - Depois de uma maratona, em Paris, onde marcou presença no tradicional desfile militar da tomada de Bastilha, a convite do seu do homólogo francês, Emannuel Macron,ei-lo agora, no salão nobre do Palácio de Belém para felicitar e condecorar, vivamente,  os jogadores, técnicos e dirigentes da seleção portuguesa  de hóquei em patis, que, no domingo passado, em Barcelona, venceu a equipa da argentina através da marcação de penaltis, conquistando o titulo mundial da modalidade, defendidos,  com mestria e galhardia, pelo guarda-redes Ângelo Girão, que, uma vez mais voltou a ser a figura central da vibrante e honrosa conquista.. 

CAMPEÕES DO MUNDO DE HÓQUEI EM PATINS – AGRACEADOS EM BELÉM 



Pouco passava das quatro  da tarde, quando, o Presidente da República Portuguesa,  recebia os novos heróis nacionais do hóquei Patins, 16 anos depois da última conquista do título da modalidade, fazendo ao mesmo tempo trazer à lembrança outros tempos, ainda mais recuados, quando, em 1993, a seleção, foi campeã do torneio europeu e mundial,  em Itália  - E, porque não, recuando aos distantes anos 60, período do grande apogeu do nosso Hóquei Patins,  graças a um punhado de exímios hoquistas, cujo mérito levaria à conquista de três mundiais e 7 europeus, em cujos jogos se destacou o mítico, António Livramento, considerado por muitos o melhor jogador do Mundo, deixando nas gerações  jovens e  mais velhas,  da época, recordações inesquecíveis, tal como também assim o sublinhou,  Marcelo Rebelo de Sousa, no discurso que proferiu, momentos antes da  imposição das honrosas insígnias,  citando-o nas lembranças da sua juventude de estudante, pelo que, ali também foi referido, que,  após esta cerimónia, outra se seguiria junto à campa do célebre  jogador, com a deposição de uma coroa de flores, no Cemitério de  Benfica, onde, de facto,   repousa uma das figuras ímpares do hóquei patinado e do Desporto português, respeitado internacionalmente, falecido em 8 de Junho de 1999, aos 55 anos, na sequencia de um acidente vascular

Marcelo Rebelo de Sousa, que se  fazia acompanhar  do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues e do  secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, teceu, então, palavras de muito apreço  pelo brilhante êxito alcançado, quer aos jogadores, quer aos restantes membros da equipa técnica e dirigentes, que ali eram recebidos, em conjunto, como pertencendo a uma única família.


Tendo realçado, nas palavras do seu discurso, que  A vossa vitória é um símbolo do que nós, portugueses, podemos ser quando somos excelentes, quando somos os melhores dos melhores. E faz-nos acreditar mais em nós próprios, para vencermos outros campeonatos, como o do desenvolvimento, da justiça, da luta contra a pobreza, contra as desigualdades, os campeonatos permanentemente disputados dia a dia, na educação, na saúde e na solidariedade social"

"Vencemos porque mostrámos que somos os melhores, em humildade, sem nunca desvalorizar o adversário e sem nos deslumbrarmos com as nossas vitórias. Mostrámos que somos os melhores porque lutámos até ao último segundo, numa capacidade de sacrifício que é inseparável da união da equipa", começou por dizer o presidente da República.



"A vossa vitória não apaga os nossos problemas e insucessos em tantos domínios. Mas a vossa vitória, aqui celebrada, com todo um coletivo que ajudou a tornar possível, é um símbolo do que podemos ser, como portugueses, quando somos excelentes. Faz acreditar mais em nós próprios. Em nome de todos os portugueses, abraço-vos a todos, em especial ao Ângelo Girão... A serenidade coriácea na defesa dos lances impossíveis. Se todos tivermos essa serenidade, todos os dias, Portugal será uma pátria muito melhor", concluiu.- Citações extraidas de  https://www.jn.pt/desporto/interior/marcelo-rebelo-de-sousa-mostramos-que-somos-os-melhores-11118137.html




Nenhum comentário :