expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Portugal financia em três milhões de euros programa de apoio educativo em São Tomé e Príncipe

Jorge Trabulo Marques - Jornalista

Iniciativa louvável, num dos países de expressão portuguesa, que tem demonstrado fortes vínculos com a língua de Camões   - É noticia de que  “O Governo português vai financiar um programa de apoio integrado do sistema educativo em São Tomé e Príncipe, avaliado em três milhões de euros e com duração de três anos letivos, segundo um acordo hoje assinado na capital são-tomense.
A ministra da Educação e Ensino Superior, Julieta Rodrigues, e o vice-presidente do Instituto Camões, Gonçalo Teles, assinaram hoje em São Tomé um memorando para o financiamento deste programa.
“É um projeto muito ambicioso que inclui várias componentes”, disse o vice-presidente do Instituto Camões, sublinhando que o memorando assinado pelas partes “representa um momento muito importante para o relacionamento bilateral entre os dois países”.


A ministra da Educação e Ensino Superior são-tomense sublinhou a importância do projeto para “potenciar a capacidade dos professores do ensino superior e melhorar a qualidade do ensino em parceria com o Instituto da Cooperação e da Língua [Camões]”.
O projeto prevê a formação inicial dos professores do ensino superior, formação contínua dos professores em exercício e apoio à lecionação da língua portuguesa e da matemática da Região Autónoma do Príncipe.

O projeto abrange também assistência técnica ao Ministério da Educação, na área do ensino superior, bem como apoio ao funcionamento e internacionalização da Universidade de São Tomé e Príncipe.   https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/portugal-financia-em-tres-milhoes-de-euros-programa-de-apoio-educativo-em-sao-tome-e-principe

Nenhum comentário :