expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sábado, 24 de agosto de 2019

São Tomé – ex-Gestores do Banco Central - 23.08.2019 – Constituídos arguidos pelo Ministério Público - E retiradas de circulação notas de 200 dobras


No mesmo dia, em que, “O Banco Central de São Tomé e Príncipe decidiu retirar definitivamente de circulação as notas de 200,00 Dobras postas a circular em 2018 e substituí-las, muito brevemente, por uma nova série, segundo fonte da STP-Press” http://www.stp-press.st/2019/08/23/banco-central-decidiu-retirar-definitivamente-de-circulacao-as-notas-de-200-dobras/ é também noticia de queCinco ex-responsáveis do Banco Central, entre administradores e outros, foram constituídos arguidos pelo Ministério Público, no quadro das instruções preparatórias instaurado pela Direcção de Investigação e Acção Penal do Ministério Público.

Essas cincos pessoas, foram constituídas arguidas relativos as gratificações indevidas do Banco Central pela queima das antigas famílias das notas de Dobras, um processo sobre o qual o Ministério Público através de uma nota oficial á imprensa diz ter deduzida a devida acusação.
Sobre o assunto, a nova Direcção do Banco Central não quer se prenunciar, mas sabe-se de fontes seguras que dois desses arguidos, e que faziam parte da antiga Administração do Banco Central, foram expulsos como quadros do Banco Central. 

De referir ainda que na mesma nota de imprensa, o Ministério Público também diz serem deduzidas acusações contra 11 arguidos por 18 crimes de homicídio negligente no que refere ao recente naufrágio do Navio Amfitriti.
Sobre o desaparecimento do Navio Santo António, há já cerca de dois anos, o Ministério Público deduziu a acusação contra 2 arguidos por oito crimes de homicídio negligente, previsto e punidos pelas leis da República.
A nota de imprensa do Ministério Público datada de 2 de Agosto corrente, mas de lá para cá, não existe qualquer evolução em relação á nenhum dos processos anunciados, segundo fonte segura. http://www.jornaltransparencia.st/x60.htm


Nenhum comentário :