expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Angola reduz a 1/3 combustíveis a S. Tomé - Governo de Jorge Bom Jesus sofre o garrote das dividas contraídas, não pagas e ocultas por Patrice Trovoada e, porventura, da mão oculta do amigo Manuel Vicente, que continua impune – Resta ao atual Primeiro-Ministro Santomense, que, os recentes acordos, firmados com a Guiné Equatorial, lhe tragam outras perspetivas e que o seu país não fique prisioneiro de monopolismo angolano do qual tem sido sugado desde a independência – Em 2011 a dívida de Angola a Portugal totalizava 1,04 mil milhões de euros – Perdoada pelo Governo de Passos, Portas e Relvas - Executivo politico não se pode queixar de quem lhe deve algum e tem avultadas dividas a credores


Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise  - A devolução da principal empresa santomense, a cervejeira  Rosema ao  empresário angolano Mello Xavier, que este classificou como   "reposta a justiça" ,  esperava-se que fosse um bom sinal diplomático mas,  pelos vistos, poderá não bastar. 


Angola recebe mais do que dá  a S. Tomé e Príncipe  - Várias empresas angolanas, sediadas em STP, com figuras ligadas ao Estado angolano,  têm-se constituído como enormíssimos sorvedouros.

 Os biliões da venda da extração dos diamantes e dos recursos petrolíferos, somem-se nos bolsos da corrupção  -  O  Presidente da agência de petróleo de Angola, veio agora dizer que  “Estamos seriamente empenhados em combater a corrupção” – https://expresso.pt/economia/2019-09-01-Presidente-da-agencia-de-petroleo-de-Angola-Estamos-seriamente-empenhados-em-combater-a-corrupcao  Mas tudo isso não passa de fumaça

«Angola neste momento está a nos enviar 1/3 daquilo que deveria normalmente enviar, daquilo que é o nosso consumo», declarou o Chefe do Governo, na conferência que teve  com a comunidade são-tomense em Lisboa, no passado sábado, afirmando que que Angola tem o monopólio no mercado de combustíveis de São Tomé e Príncipe. - Recorda o Téla Nón


Situação que por outro lado complica qualquer diligência do Governo no sentido de arranjar outro fornecedor de combustíveis. «A sonangol é detentora de mais de 76% do capital social da ENCO, e o Estado são-tomense só tem 16%. Os reservatórios de combustíveis pertencem a ENCO. Ainda que quisesse comprar combustíveis num outro lado, tinha que conversar com a Sonangol», explicou Jorge Bom Jesus.

A redução por Angola da quantidade de combustíveis que fornece a São Tomé e Príncipe, já provocou sucessivas roturas nos reservatórios de stocagem de combustíveis da ENCO, localizados na cidade de Neves. https://www.telanon.info/politica/2019/09/03/29900/angola-reduziu-em-1-3-o-fornecimento-de-combustiveis-a-stp/

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE DEVERÁ REFORÇAR AS RELAÇÕES COM O SEU  MAIS PRÓXIMO VIZINHO -  A GUINÉ EQUATORIAL APROVEITAR A SUA EXPERIÊNCIA - Que tornou este país no mais próspero e estável da África ocidental 

Os memorandos assinados, recentemente,  entre os dois países, a nível de gás e de petróleo, poderão constitui-se com alternativa credível – Tal como foi noticiado, o Presidente da Guiné Equatorial manifestou o seu desejo de "garantir a independência obtida para evitar" manipulações,  "Devemos ser fortes e não permitir que outras pessoas resolvam nossos problemas", disse Teodoro Obiang Nguema Mbasogo
"O Governo da República da Guiné Equatorial está disponível em arrancar desde já com este projeto, resta a nossa vontade e dinâmica para as coisas iniciarem e para que, de facto, a cooperação da Guiné Equatorial seja algo concreto", afirmou https://expresso.pt/lusa/2019-08-21-Sao-Tome-e-Principe-e-a-Guine-Equatorial-assinam-acordo-para-exploracao-de-petroleo-e-gas

Angola tem comprado as empresas portuguesas através dos avultados empréstimos, que tem recebido de Portugal e sem os saldar Por isso, não se pode queixar da divida que STP lhe deve,  nem lhe impor afrontosas restrições, porque,  comparativamente às contraídas aos seus credores, dir-se-á irrelevante:  - Em 2011, era noticiado que a  dívida de Angola a Portugal totaliza 1,04 mil milhões de euros, anunciou o ministro das Finanças angolano, citado pela agência Angop.

Na mesma altura, era também revelado, que, relativamente aos maiores credores externos,  além de Portugal, Angola deve 4,2 mil milhões de euros à China, outros 1,3 milhões de euros ao Brasil e ainda 902 milhões de euros a Espanha, especificou Carlos Alberto Lopes https://www.publico.pt/2011/11/28/economia/noticia/divida-de-angola-a-portugal-totaliza-104-mil-milhoes-de-euros--1522965

ANGOLA NÃO TEM PRIMADO PELA TRANSPÊNCIA  E SERIEDADE - Arranjos e conluios ocultos nos bastidores com perdões de avultados empréstimos e  desfalques com o BES, fizeram desparecer biliões e nunca mais de falou do escândalo- Este ano foi noticiado que, “Angola já pagou metade dos 500 milhões dólares em dívida a empresas portuguesas” – https://www.tsf.pt/portugal/economia/interior/entrevista-angola-ja-pagou-metade-dos-500-milhoes-dolares-em-divida-a-empresas-portuguesas--10957462.html  Mas do que, uma vez mais, não  se falou,  foi da enormíssima divida que lhe foi perdoada - De um tal bilião que evaporou  sem deixar rasto

Em Janeiro de 2018, no Governo de Patrice Trovoada, era noticiado que a dívida pública são-tomense ultrapassava  os 400 milhões de euros, 60 milhões dos quais com a Empresa Nacional de Combustível e Óleo (Enco),
A denuncia era feita por Olegário Tiny, vice-presidente do Partido da Convergência Democrática (PCD)  - Confrontado hoje com a questão, o primeiro-ministro Patrice Trovoada disse não estar na posse dos números https://www.dn.pt/lusa/interior/divida-publica-de-sao-tome-e-principe-ultrapassa-400-meuro---oposicao-9055617.html

"São Tomé e Príncipe vai pedir perdão da dívida externa  - O primeiro-ministro são-tomense, Jorge Bem Jesus, está preocupado com a dívida deixada pelo anterior Executivo. O governante, ainda em início de mandato, afirma que procura reformas em todos os setores da sociedade.

São Tomé e Príncipe vai renegociar com os parceiros internacionais o perdão da dívida externa, que está acima dos 300 milhões de dólares. O Executivo de São Tomé insiste no combate à corrupção e assegura que caberá à justiça apurar os responsáveis pela dívida escondida de 70 milhões de dólares imputada pelo Fundo Monetário Internacional ao anterior Governo de Patrice Trovoada.

De passagem por Lisboa, Jorge Bom Jesus, primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, revelou que a dívida oculta de 70 milhões de dólares, contraída pelo anterior Governo de Patrice Trovoada, tem sérios impactos nas contas públicas.
"Durante muito tempo os governos, e sobretudo o governo anterior, foi divulgando a dívida externa, tanto bilateral como multilateral. E a dívida interna foi, de facto, sonegada, mas as duas dívidas, tanto internas como externas, fazem parte das dívidas do Estado, que hoje são quase insustentáveis”, afirmou o primeiro-ministro são-tomense.
 Procura pela justiça

 O chefe do Executivo são-tomense diz que os principais mentores da referida dívida devem ser responsabilizados pela justiça, porque o seu Governo respeita a separação de poderes.
"Nós faremos a nossa parte administrativa, mas, à semelhança de muitos outros que têm muitas vezes que ver ora com a corrupção, ora com a sonegação dos números, ora com a sonegação de outras informações importantes de dossiers do Estado, entregaremos tudo isso à justiça e caberá à justiça fazer o seu trabalho”, sublinhou Jorge Bom Jesus.https://www.dw.com/pt-002/s%C3%A3o-tom%C3%A9-e-pr%C3%ADncipe-vai-pedir-perd%C3%A3o-da-d%C3%ADvida-externa/a-50263396


LOGRARÁ, JOÃO LOURENÇO, EXTINGUIR A PRAGA DA CORRUPÇÃO, NUM REGIME ONDE ELE TAMBÉM TREPOU?  - Angola atingiu os maiores níveis de corrupção, não no mundo, mas em África”, explicou o Chefe do Estado angolano à CNN, salientando que “temos vindo a tomar medidas para combater a corrupção, e obviamente, para além disso, combater também os monopólios https://www.economiaemercado.co.ao/artigo/cnn-joao-lourenco-reafirma-combate-aos-monopolios-e-a-corrupcao

Ministério da Defesa liderado por João Lourenço e Manuel Vicente com ligações a empresa do escândalo da dívida oculta de Moçambique 28/1/2019, 19:353.765
Estão em causa contratos de mais de mil milhões de euros que terão sido assinados pelo Ministério da Defesa de Angola com as empresas que estão a ser investigadas pela Justiça norte-americana. https://observador.pt/2019/01/28/ministerio-da-defesa-liderado-por-joao-lourenco-e-manuel-vicente-com-ligacoes-a-empresa-do-escandalo-da-divida-oculta-de-mocambique/




Nenhum comentário :