expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Dinamização da 1ª Feira do Livro em S. Tomé - Na mesma altura em que a Guiné Equatorial reforça laços culturais, com a presença de uma delegação chefiada pelo Ministro da Cultura, Turismo e Promoção do Artesanato Rufino Ndong Esono, que se encontrou com o PM Jorge Bom Jesus

Jorge Trabulo Marques - Jornalista  -

Em marcha a dinamização da primeira Feira do Livro em São Tomé e Príncipe, orientada para as temáticas dos direitos humanos e desenvolvimento, com vista à sensibilização da população e dos decisores políticos sobre a questão dos direitos humanos no país.

A iniciativa, que parte de um conjunto de organizações, pretende organizar a primeira "Quinzena da Cidadania", na segunda quinzena de Novembro, para promover o envolvimento dos cidadãos na vida democrática do país, através da cultura e do debate. - Mais pormenores em  https://ppl.pt/causas/stp

A Ajuda Pública ao Desenvolvimento consiste na assistência técnica e financeira aos programas e projectos dos países em de desenvolvimento. Essa assistência é feita pelos organismos públicos ou privados com o objectivo de promover indicadores de desenvolvimento e direitos humanos no país a que os apoios se destinam. http://sociedadecivilstp.blogspot.com/

Finais de Agosto e agora no início do mês de Outubro têm sido profícuos em iniciativas de âmbito cultural: também uma  delegação da Guiné Equatorial, chefiada   pelo Ministro da Cultura, Turismo e Promoção do Artesanato,  Rufino Ndong Esono, encontrou-se  com o Primeiro Ministro do Governo Santotomense, Jorge Lopes Bom Jesus, com o qual trocou opiniões sobre o potencial das relações bilaterais com a República da Guiné Equatorial e as grandes áreas da cooperação em cultura e turismo; bem como alguns aspectos do transporte.

A delegação do Ministério da Cultura, Turismo e Promoção do Artesanato continua com o trabalho que estão realizando ao longo desta semana na República de Santo Tomé, chefiada pelo Ministro Rufino Ndong Esono.
10/05/2019

A delegação teve, em 3 de outubro, uma reunião com o Primeiro Ministro do Governo Santotomense, Jorge Lopes Bom Jesus, que trocou opiniões com o ministro sobre o potencial das relações bilaterais com a República da Guiné Equatorial e as grandes áreas da cooperação em cultura e turismo; bem como alguns aspectos do transporte.
Após esta entrevista, a delegação passou a fazer as últimas visitas, indo primeiro à Biblioteca Nacional, onde podiam ver a coleção de autores locais, e verificar em primeira mão o sistema de indexação e arquivamento de volumes; bem como o uso da biblioteca pelos próprios nacionais, que também usavam a sala de computadores, localizada no mesmo centro.

Por fim, foi possível visitar o Museu Nacional, onde a delegação pôde observar cuidadosamente o acervo de peças históricas e culturais da ilha de Santo Tomé. Destacar o acervo de origem colonial, que inclui pinturas e objetos de figuras históricas como João Batista Silva de Lagos, que introduziu as plantações de café no país, que ainda hoje estão em atividade, bem como a tabela original onde a independência foi assinada .
Fonte: Direcção Geral de Turismo e Gabinete de Informação Estatística e Imprensa da Guiné Equatorialhttps://www.guineaecuatorialpress.com/noticia.php?id=14058





Nenhum comentário :