expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Duque da Ribeira- Porto - O mítico e valoroso barqueiro que eu conheci - 24-03-1902 – 11-09-1996 - Um humilde e corajoso marinheiro que salvou dezenas de pessoas de serem afogadas no Rio Douro, resgatou cadáveres presos nos lodos e nas margens com as suas fateixas e até o corpo de um meu antigo colega no Rio Ave, em Santo Tirso, que ali morreu afogado - Foi ainda o mestre dos meninos da Ribeira, que ensinou a nadar com bóias de cortiça para evitar que se afogassem – Que foi também como eu aprendi nos poços da minha aldeia

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - E antigo aluno da Escola Agrícola de Santo Tirso


Com apenas onze anos, salvou um homem de morrer afogado no Rio Douro, no Porto, e, a partir daí, foi protagonista, ao longo de décadas, de inúmeros salvamentos naquele local Figura muito popular na Ribeira do Porto: muito admirado pela sua generosidade e  tenacidade:  quando o alertavam de que alguém tinha caído ao rio ele não mais  descansava  enquanto o não resgatasse o corpo,  após o que pousava na margem e dava-lhe um beijo na testa.

O seu barco tinha o nome de “Capitão Cobb", de outro herói do Douro  - A sua forte ligação ao rio valeu-lhe várias honrarias e elevou-o ao estatuto de figura pública, reconhecida nacional e internacionalmente. Conviveu com várias personalidades portuguesas e estrangeiras, tendo o seu livro de autógrafos, recebido  assinaturas de Isabel II, rainha de Inglaterra, Ramalho Eanes, Mário Soares e Samora Machel (presidente de Moçambique
CONHECI-O PELA  PRIMEIRA VEZ EM SANTO TIRSO - NOS ANOS 50  ONDE FOI CHAMADO PELO DIRECTOR DA ESCOLA AGRÍCOLA PARA ALI RESGATAR O CORPO DE UM ALUNO - MEU COLEGA 




No meu tempo, mal  chegava o Verão, mesmo com o leito algo enegrecido, aventurávamo-nos a tomar por lá uns banhos e a navegar em pequenos barcos a remos, que eram alugados junto   a um pequeno cais da ponte -  Infelizmente, um pouco acima do termo da bouça com o rio,  afogou-se por lá um      dos nossos colegas.

O lendário Deocleciano Monteiro, popularmente conhecido por  Duque da Ribeira sulcou o rio a cima e a baixo, com as fateixas, durante uma semana, até o encontrar preso a uns arbustos, quase junto às pranchas onde costumávamos lançarmo-nos à água.  Mais tarde, em Maio de 1992, encontrei-me com ele na Praça da Ribeira, no Porto - Recordámos aquele trágico afogamento; ofereceu-me um cartãozinho autografado. 

Foi no Rio Ave que dei as primeiras remadas. E quem sabe senão os primeiros ensaios para as minhas aventuras, que mais tarde levei a cabo nos mares do Golfo da Guiné, com as pirogas santomenses. Por aqueles tempos, iam ali muitos pescadores domingueiros, pescavam-se por lá uns peixitos jeitosos; carpas, barbos e enguias. Ao que parece, esse hábito tem sido incentivado em saudáveis  concursos de  Pesca Desportiva - CM Santo Tirso

A CIDADE DO PORTO DISTINGUI-O COM UM BUSTO  
Como testemunho da sua  coragem e humanidade, foi--lhe dedicado um busto em frente à ponte D. Luís onde Lhe foi colocada uma lápide, com estas singelas palavras: Ao Duque da Ribeira, Símbolo e Sentido, Testemunha e Protagonista da Ribeira. A homenagem da cidade

Tinha 94 anos quando morreu e as suas cinzas foram espalhadas pelo rio Douro: “a .sua coragem fez com que recebesse medalhas, honrarias e condecorações. Foi elevado ao estatuto de figura pública. Conviveu com várias personalidades portuguesas e estrangeiras e no seu livro de autógrafos constavam as assinaturas de Isabel II, rainha de Inglaterra, Ramalho Eanes, Mário Soares e Samora Machel (presidente de Moçambique). https://webook.pt/blog/2017/03/08/quem-era-o-duque-da-ribeira/

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Ilha do Príncipe – José Cassandra – Faz hoje 56 anos – O Presidente do Governo Regional não quer transformar o território num destino turístico de massas – Diz “que Os Santomenses têm que se unir para desenvolver o nosso país”

Jorge Trabulo Marques - Jornalista

José Cardoso Cassandra , nascido em 17 de Fevereiro de 1964, na Ilha que Albert Einstein  quis validar a Teoria da Relatividade de Einstein, também tem a sua teoria: Diz que "Os antomenses têm que se unir para desenvolver o nosso país: falhamos na questão dos trabalhos; nós trabalhamos pouco ! Temos vindo a trabalhar menos. Nós produzimos 10 mil toneladas de cacau em finais dos anos 80 e estamos a produzir 3 mil.




Não vamos desenvolver o nosso pais! Nós falhamos na linha da  degradação dos  grandes valores da nossa sociedade: a família e outros. Temos que repor tudo isso!

Eu acredito que vamos a tempo! Porque nós temos a consciência do falhanço. E é preciso, então agora, não perdermos o tempo com coisas insignificantes

Declarações prestadas,  de José Cassandra, em Julho de 2015, na Roça Agostinho Neto, antiga Roça Rio do Ouro, numa cerimónia pública, que ali decorreu, integrada nas comemorações dos 40 anos da independência de S. Tomé e Príncipe, cujo registo aqui recordo neste dia do seu aniversário, com os  meus parabéns e votos  de que o Príncipe não seja, de facto, uma ilha degrada pelo turismo de massas, mas que, ao menos aqueles  que  ali vão usufruir de avultados lucros,  possam  de algum modo contribuir com alguma pequena massa  para o   bem-estar de quem não tem massa alguma.  

A noticia não é recente, é  de  há 4 anos,mas esta parece continuar ser a  vontade  do   presidente do governo regional da ilha do Príncipe, em Tomé e Príncipe, António José Cassandra,  que recusa transformar o território num destino turístico de massas, apesar dos apetites dos operadores internacionais.

Atualmente com cem camas, o Príncipe é um alvo cada vez mais apetecível para o turismo internacional, depois de ter sido classificado como Reserva da Biosfera em 2012 e várias revistas da especialidade terem indicado a ilha como um dos últimos paraísos escondidos do mundo.

No entanto, António José Cassandra recusa euforias e afirma que os projetos do governo prevêem somente equipamentos hoteleiros com 300 a 500 camas, recusando a massificação da oferta. “Desenvolvimento sim, mas com muito equilíbrio para não destruirmos” a ilha, avisa António José Cassandra, salientando que aquilo que distingue o Príncipe são as características quase intocáveis da natureza

Desenvolvimento sim, mas com muito equilíbrio para não destruirmos” a ilha, avisa António José Cassandra, salientando que aquilo que distingue o Príncipe são as características quase intocáveis da natureza. “Se nós não tivermos maior qualidade na preservação da nossa densa e virgem floresta” e combater a “pressão que há sobre a floresta e sobre a extração das areias na praia”, corre-se o risco de fragilizar o equilíbrio do ecossistema, o grande cartão de visita da ilha. https://www.dinheirovivo.pt/economia/presidente-da-ilha-do-principe-recusa-transformar-a-ilha-para-turismo-de-massas/


AS VAGAS DE TURISMO DESCONTROLADO – ENRIQUECE ALGUNS MAS AGRAVAM O CUSTO DE VIDA E DAS POPULAÇÕES E  DEGRADAM COSTUMES - São questionáveis os benefícios do turismo para a maioria:  -  A industria do turismo não é um sector produtivo: nas cidades ou países onde o turismo é a  grande riqueza de alguns, o custo de vida sobe em flecha e  agrava a precariedade do desemprego com baixos salários – Além disso, o património, quando não é vandalizado é  dessacralizado:

“O turismo não traz só vantagens. Fique a conhecer 20 atrações turísticas que estão satura alguns dos locais mais emblemáticos do mundo têm vindo a ser prejudicados pelo turismo de massas. Se, por um lado, permite um maior encaixe para os cofres dos países em questão, por outro acaba por saturar determinadas áreas históricas e arruinar as expectativas dos turistas. De multidões, a fluxos constantes de visitantes e desconfortáveis abordagens de comerciantes, que encontram no turismo o meio de subsistência para as suas vidas, o LoveExploring selecionou 20 atrações turísticas mundiais que sofrem com o seu próprio sucessas pelo turismo de massas. Alguns dos locais mais emblemáticos do mundo têm vindo a ser prejudicados pelo turismo de massas. Se, por um lado, permite um maior encaixe para os cofres dos países em questão, por outro acaba por saturar determinadas áreas históricas e arruinar as expectativas dos turistas. https://www.dinheirovivo.pt/fotogaleria/galeria/20-atracoes-turisticas-destruidas-pelo-turismo-de-massa-6/
  




São Tomé na 1ª Rota da Global Limits - Importante maratona pedestre de promoção ao Turismo, que sucede à internacional Volta do Cacau – Na primeira etapa, foram vencedores Ismael Tavarez, seguido pelo suíço Peter Osterwalder e terceiro Julio Tavares também de São Tomé. – A partida inaugural contou com a presença do PM Jorge Bom Jesus, na sede da Roça Agostinho Neto, antiga Roça Rio do Ouro e vai terminar no Ilhéu das Rolas

.Jorge Trabulo Marques - Jornalista



A primeira etapa da  GlobalLimits São Tomé  -    “Uma corrida única para corredores qualificados e entradas estritamente limitadas” – diz a organização decorreu neste último domingo,  em frente ao  antigo  hospital Agustino Neto,  distrito de Lobata, com crianças a cantando o hino nacional e contou  com a presença do primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus,que que aproveitou a ocasião para felicitar a iniciativa e desejar sorte e sucesso aos participantes.


A competição é organizada pela Global Limits, tem o  apoio local da Mucumbli Explor, através do seu principal gestor,  Tiziano Pisoni, que foi o grande dinamizador  da  Volta do Cacau  , em bicicleta, que terminou em 2016, por falta de apoio governamental  - Pese o facto da sua importância na promoção do Turismo -

Mas, agora, sucede-lhe outro importantíssimo evento desportivo, visando, igualmente a promoção do turismo de ambas as ilhas, possibilitando, deste modo, a  divulgação das suas belezas naturais.
Foto de Téla Nón
Na prova inaugural, da  “A Internacional Corrida-Maratona,  que vai percorrer  200 km, em seis etapas, com cerca de 60 atletas de 28 países e dois de São-Tomé, estiveram também presentes o  ministro do Desportos, Vinício de Pina e presidente de Lobata, Arlindo Guê.
Terminou na  Roça  Monte  Café , situada numa das zonas mais vistosas da Ilha, após um percurso de 37,9 km, passando por uma praia, fazendas, aldeias locais , atravessando as mais belas florestas verdejantes.

Foto - Téla Nón
O homem vencedor  foi o Santomense,  Ismael Tavarez, seguido pelo suíço Peter Osterwalder e terceiro Julio Tavarez também de São Tomé. Verò Messina, da França, que, segundo informações da organização, teve um desempenho incrível, terminando em geral e na geral campeã feminina. Ela é seguida pela austríaca Christina Khinast e a terceira holandesa Julia Romanova.




JORGE BOM-JESUS – UM PRIMEIRO MINISTRO EMPENHADO NA PROMOÇÃO TURÍSTICA DO SEU PAÍS


Foto STP-Press
 O Primeiro-Ministro, Jorge Bom Jesus, que, ainda recentemente se reunira  na com uma equipa multissecular, afecta aos sectores turísticos do País, liderada pela ministra da tutela, Maria da Graça Lavres,  visando o relançamento do turismo no arquipélago, declarou,  no acto inaugural da Global Limits,  que “esses atletas que vêm de mais de duas dezenas de Países, de uma organização de mais de cem pessoas, vão percorrer o País de lés a lés, vão descobrir a beleza natural destas ilhas maravilhosas e santas” Jorge Bom Jesus os qualificou de diplomatas são-tomenses na promoção do turismo no arquipélago.


“ Eles serão também os nossos diplomatas, porque esta promoção vai permitir que as pessoas venham para o turismo de natureza, para turismo desportivo e são esses turistas que trazem divisas, que neste momento não temos e, que precisamos para o desenvolvimento do nosso País”, disse Jorge Bom Jesus.

Intitulada “the hemisphere crossing” [Cruzando o Hemisfério], a mega corrida organizada pela Global Limits em parceria com Mucumbi, passa por várias localidades de São Tomé, incluindo ilhéus das Rolas, por onde passa a linha do equador, por etapas definidas de 30 a 65 quilómetros por dias. http://www.stp-press.st/2020/02/17/jorge-bom-jesus-abre-ultra-maratona-de-60-atletas-internacionais-e-dois-sao-tomense




domingo, 16 de fevereiro de 2020

Os “África Nega”, em defesa das tartarugas nas praias de S. Tomé e Principe: “Meu povo, deixa a tartaruga marinha viver”; “Se você vir carne de tartaruga marinha à venda, não a compre” – Mensagens de um novo video gravado no ambiente paradisíaco das mais belas praias santomenses, visitadas por espécies em vias de extinção, que ali vão nidificar.

Jorge Trabulo Marques - Jornalista 



“Todo o mundo tem um amor na vida e por ele é capaz:”– Esta é uma das letras da música, que hoje aqui lhe recordo,  do Conjunto África Negra e, que, pelos vistos, se traduz no espírito da mais recente paixão de uma  das mais famosas  e antigas bandas de S. Tomé e Príncipe e mesmo no espaço dos países africanos lusófonos, ilustrado com algumas das imagens, que tive oportunidade  de registar em vídeo, no B. Leza, em Lisboa, há seis anos,  intercaladas com outras da largada de um ninho de tartarugas   ao sul da Ilha de São Tomé , que tive o prazer de presenciar – No recanto de uma praia maravilhosa,  junto à linha do equador, autêntico paraíso rodeado de coqueiros, de areia fina, dourada e macia, a perder-se por extensa superfície de um azul esmeralda de água quente, brilhante e cristalina.




Carne e ovos de tartaruga à venda 
Ninhos artificiais para reprodução de tartarugas
Sim, agora o novo  amor ou enamoramento da banda musical santomense, liderada por João Seria  - o vocalista que se auto intitula "general",  sim, de talento de voz e de empatia com o público, envergando boina e a farda militar nos concertos,  foi o de aceitar o desafio, que lhe fora proposto pelos Pesquisadores da Universidade de Oxford e do Programa Tatô, de através de um video gravado no cenário Idílico de algumas das maravilhosas praias,  com letras cantadas em três dialetos locais, como forma de sensibilizar e cativar a opinião pública – sobretudo as comunidades das praias piscatórias -  de forma a abster-se do consumo da carne e dos ovos de tartaruga  -  hábito  enraizado  na gastronomia local - ,  que vão desovar nas areias das belíssimas praias de ambas as ilhas, de modo a evitar os malefícios e as ameaças, que têm contribuído  para a extinção que paira sobre algumas espécies, sobretudo com a   pesca furtiva e a destruição do seus ninhos.



Em 2014, foi aprovado pelo Governo de São Tomé e Príncipe. uma lei sobre a captura e comercialização de tartarugas marinhas – Considerada, então, pelas organizações ecologistas, uma grande vistoria – Todavia, como geralmente sucede em muitos países, mesmo nos mais desenvolvidos, no tocante à defesa das espécies e dos sistemas ecológicos, da vida marinha ou terrestre, as leis acabam por ser letra morta - e é quando as aprovam.  



Pequenas tartarugas largadas de ninhos artificiais
Daí o receio da bióloga Sara Viera, coordenadora dos projetos científicos e de fiscalização, acerca da proibição do  transporte e da venda de tartarugas marinhas , sejam mortas ou vivas, que lhe pude ouvir das suas palavras e cujo video, hoje também aqui lhe  recordo, tendo-me afirmado: é preciso fiscalizar porque é um problema realmente muito grande. Não são somente quatro ou cinco pessoas que capturam tartarugas marinhas, são centenas de pessoas que dependem desta atividade como meio de subsistência", explicou Sara Vieira, pelo que a bióloga defende um "maior compromisso" do Governo para ajudar a encontrar alternativa económicas para essas pessoas, porque caso contrário "essa captura nunca vai acabar".

GRUPO MUSICAL ÁFRICA NEGRA - SEM DÚVIDA  - GRANDE EMBAIXADOR DA MÚSICA SANTOMENSE - .


Tal como já tive ocasião de sublinhar, num post que editei neste site, em 2014, o  Conjunto África Negra é uma legen como "o grande embaixador da música de São Tomé depois da independência. Nasceu em 1974, a tocar nos “fundões”, bailes ao ar livre onde se juntavam as diferentes comunidades de pescadores e trabalhadores das plantações de café e cacau da ilha. Ao longo dos anos, com apogeu na década de 80, maturou um estilo de rumba específico são-tomense, influenciado pelo soukous e pelo highlife. Regressam agora a Portugal, depois de mais de duas décadas de ausência e atividade intermitente. Do sexteto que veremos em Sines, dois membros integraram a formação original, o vocalista João Seria e o guitarrista Leonildo Barros. - Extraido de  África Negra (S. Tomé e Príncipe) — FMM Sines - Festival

CLASSIFICADO TAMBÉM COMO “UMA LENDA CULTURAL DE TODOS OS TEMPOS”

(…) “Os sons das guitarras são melancólicos e capazes de acalentar a alma dos mais desesperados. Aliás, conseguir bilhetes ou tirar um pé de dança nos fundões (terraços) onde atuavam os “África Negra” eram tarefas difíceis devido a moldura humana que perseguiam a banda.
(…) A emigração, nos finais da década de 80, servira como mote do declínio desta banda que representa hoje, património músico e cultural de São Tomé e Príncipe.

Atualmente, os únicos vestígios da banda são os seus músicos que a emigração deixou em lugares diferentes. O grande solista Imidio Vaz que, para muitos, foi um dos melhores de África dos anos 80, encontra-se em São Tomé e faz de moto-táxi como o seu modo de sobrevivência, o baixista Pacheco reside nas terras de morabeza, Cabo Verde, e os outros elementos encontram-se espalhados pelo mundo em busca de melhores dias - Extraído de . África Negra” a lenda cultural de todos os tempos

POR ESTE IMENSO AZUL DE LISBOA, DO TEJO E DO SUL DE PORTUGAL...

Jorge Trabulo Marques - Jornalista e antigo navegador solitário em pirogas no Golfo Da Guiné


TRIBUTO AOS QUE DAQUI PARTIRAM DESAFIANDO MARES DESCONHECIDOS E NUNCA DANTES NAVEGADOS 




Fernando Maurício - Caravela da Saudade - Quando uma guitarra trine as lágrimas dos que se perderam no sufoco e no pesadelo das assombrosas tempestades em temerárias caravelas e desconhecidos mares



Nos tempos em que o mar era um segredo
Desafiando a própria tempestade
Alguns heróis, partiram sem ter medo
Na dócil caravela da saudade


E já no alto mar, longe da barra
Rodeados p'la fé, de lés a lés
Havia sempre um choro de guitarra
E o soluçar dum fado no convés


A caravela em mágoas afundou-se
E a guitarra seguindo as marés cheias
Chorando de onda em onda, transformou-se
Nesse cantar lendário das sereias


E hoje, ao lembrar tanta heroicidade
Quando soluça e geme uma guitarra
Sente-se a caravela da saudade
Chegar ao coração, e entrar na barra


In Caravela da saudade
Carlos Zamara / Júlio Proença *fado esmeraldinha*
Repertório de Fernando Maurício





sábado, 15 de fevereiro de 2020

Lionel Messi – O jogador argentino mais caro do mundo, que média espanhola já classificou com a “pulga atómica” – De pequena estatura mas lesto, eficaz no drible e na pontaria à baliza

ESTAS ALGUMAS DAS FOTOS QUE FIZ AO JOGADOR ARGENTINO A  QUANDO ERA BEIJOCADO POR FÃS  -

 Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista e repórter fotográfico


Messi Cuccittini, mais conhecido como Messi, natural de  Rosário, Argentina, - 24 de junho de 1987 - , joga no Barcelona e na Seleção Argentina, onde é capitão por ambas as equipas.


 NO DIA EM QUE FOTOGRAFEI, EM ALVALADE, "A PULGA ATÓMICA" QUASE SOBRE O NARIZ

DA MINHA MÁQUINA FOTOGRÁFICA, O FUTEBOLISTA MAIS CARO DA ATUALIDADE – Foi no final do jogo do Sporting com o Barcelona, 20-09-2017 - Em que os leões perderam por 1-0- Tal como referi nesta reportagem http://www.vida-e-tempos.com/2017/09/champions-sporting-0-barcelona-1-leonel.html


"Messi começou a jogar futebol quando menino e, em 1995, ingressou no time juvenil do Newell's Old Boys (um clube de futebol da divisão principal de Rosário). As habilidades fenomenais de Messi chamaram a atenção de clubes de prestígio de ambos os lados do Atlântico. Aos 13 anos, Messi e sua família se mudaram para o Barcelona, ​​e ele começou a jogar no time sub-14 do FC Barcelona. Ele marcou 21 gols em 14 jogos pela equipe júnior e rapidamente se formou nas equipes de nível superior até aos 16 anos de idade que teve sua estréia informal no FC Barcelona em um amistoso.

Na temporada 2004-05, Messi, então com 17 anos, se tornou o mais jovem jogador oficial e artilheiro da Liga Espanhola (a maior divisão d
e futebol do país. - excerto de  https://www.britannica.com/biography/Lionel-Messi

De entre os vários títulos e distinções, conta agora com a sexta bola de ouro, atribuído pela revista francesa France Football,  prêmio concedido ao melhor jogador de futebol do mundo. De  acordo com esta revista, Messi foi o jogador mais bem pago do mundo em cinco dos seis anos entre 2009 e 2014, e foi classificado como o atleta mais bem pago pela Forbes em 2019, sendo considerado entre as 100 pessoas mais influentes do mundo em 2011 e 2012

A PULGA ATÓMICA – ESTE O ALCUNHA COMO JÁ FOI CLASSIFICADO PELA MEDIA ESPANHOLA

Na opinião da grande maioria dos especialistas desportistas,  sua qualidade técnica, jogadas, velocidade, habilidade na perna esquerda, trabalho de equipe e extraordinária vocação para o gol, o tornam um dos melhores futebolistas de todos os tempos. Os especialistas desde já o comparam aos grandes nomes da história do futebol”

Devido a sua baixa estatura, Messi tem um centro de gravidade mais baixo que os mais altos, o que lhe dá maior agilidade, permitindo que ele mude de direção mais rapidamente, o que levou a média espanhola a chamá-lo de La Pulga Atómica. Apesar de não ser fisicamente imponente, ele possui uma força significativa na parte superior do corpo, que, combinada com seu baixo centro de gravidade e equilíbrio resultante, ajuda-o a suportar os desafios físicos dos oponentes; Suas pernas curtas e fortes permitem que ele se sobressaia em curtos períodos de aceleração, enquanto seus pés rápidos permitem que ele mantenha o controle da bola ao driblar a velocidade. Seu ex-treinador do Barcelona, ​​Pep Guardiola, declarou certa vez: "Messi é o único jogador que corre mais rápido com a bola do que sem ela." Apesar de ter melhorado a sua capacidade com o pé mais fraco desde os seus 20 anos, Messi é predominantemente um jogador de pé esquerdo.

Um típico goleador, Messi é conhecido por sua finalização, posicionamento, reações rápidas e habilidade de fazer corridas de ataque para vencer a linha defensiva. O seu ritmo e capacidade técnica permitem-lhe realizar derrapagens individuais em direção ao gol, em especial durante os contra-ataques, normalmente a partir da linha média ou do lado direito do campo. Considerado o melhor driblador do mundo, e um dos maiores de todos os tempos. Com relação a essa habilidade, seu ex-empresário argentino Diego Maradona disse sobre ele: "A bola fica colada ao pé dele; já vi grandes jogadores na minha carreira, mas nunca vi ninguém com o controle da bola de Messi. " Além de suas qualidades individuais, ele também é um jogador de equipe bem-elaborado e trabalhador, conhecido por suas combinações criativas, em particular com os ex-meio-campistas do Barcelona Xavi e Andrés Iniesta, o ex-lateral direito do Barcelona Daniel Alves e o lateral esquerdo do Barcelona Jordi Alba.-  Excertos de https://pt.wikipedia.org/wiki/Lionel_Messi


quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Ilha da Madeira, entre os melhores destinos de Portugal e do mundo para os viajantes apaixonados por paisagens espetaculares. – Eleita pela terceira vez o Melhor Destino Turístico Insular da Europa (Europe’s Leading Island Destination) ficando à frente de concorrentes de peso como as Canárias, a Sardenha e Malta


 Jorge Trabulo Marques - Jornalista


Acima da Linha do Equador, ergue-se das profundezas do Atlântico,  outro jardim flutuante a  destacar a singularidade da sua beleza natural, apenas 1h30 de voo para se transporem os cerca de 1000 km que o separam de Lisboa,  de Portugal continental, a 450 km das Ilhas Canárias e  a 500 km do Marrocos,  sim, situa-se o  arquipélago da Madeira, formado pelas  ilhas Madeira, Porto Santo, Selvagens e Desertas, sendo que as duas últimas não são habitadas.

Estive lá, há uns anos, por ocasião,  do casamento da minha sobrinha,  com o um nativo madeirense, de boa cepa, no Funchal e na Ponta do Pargo, que já tem no seu lar  uma filha e dois rapazes, já crescidotes e bem lançados na vida  – Desde então ainda não voltei lá mas espero que essa  oportunidade surja no próximo Verão: pois já lá vão uns bons anos e aqueles dias, que ali passei, deixaram saudades.

Ilha da Madeira - Web
Referem estudos turísticos,  que  “a Ilha da Madeira está entre os melhores destinos de Portugal e do mundo para os viajantes apaixonados por paisagens espectaculares. É o lugar ideal para quem busca novidades em meio à Europa ou deseja ir um pouco além de Lisboa. Prepare as malas, pegue uns dias a mais de férias e aproveite a viagem a Portugal para esticar por alguns dias até a Ilha da Madeira. .


De origem vulcânica, a Ilha da Madeira tem formações rochosas dramáticas, grandes vales e montanhas, águas em lindos tons de azul e um intenso verde que recobre todo o lugar. Aliás, o verde por lá é tão excepcional que parte da vegetação nativa, conhecida como Floresta Laurissilva, foi declarada em 1999 Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO. A Ilha da Madeira, conquistada por Portugal na primeira metade do século XV, é um pequeno paraíso que há décadas encanta viajantes de todo o mundo em busca de intenso contato com a natureza. Eleita diversas vezes como “Melhor Destino Turístico Insular” da Europa e do mundo pelo WTA – World Travel Awards, a Ilha da Madeira tem tudo para também te conquistar! https://www.melhoresdestinos.com.br/ilha-da-madeira-em-portugal.html

Ilhas Tinhosas - O maior Santuário das aves marinhas do Golfo da Guiné - A FANTASMAGÓRICA E RUIDOSA VISÃO SOLITÁRIA DE UM OUTRO MUNDO! - Que me apareceu quando por ali passei ao 15-º dia, ao pôr-do-sol, numa frágil piroga, depois de uma deriva solitária de mais de 300 Km desde a Ilha de Ano Bom - Dois enormes penedos sem vegetação alguma, cobertos de esbranquiçadas camadas de guano, as tão cobiçadas fezes que, nalgumas ilhas do Pacifico, fizeram as fortunas de exploradores europeus no século, 19 destruindo-lhes a vida selvagem

Jorge Trabulo Marques - Jornalista e antigo navegador solário


As ilhas Tinhosas, são consideradas como o mais importante berço de nidificação de aves marinhas no Golfo da Guiné. confirmou o estudo que alimentou a candidatura do Príncipe como património mundial da Biosfera pela UNESCO.

Não duvido minimamente da importância da sua biodiversidade - Pessoalmente pude testemunhar esse prodígio solitário, num dos 38 dias em que andei à deriva numa canoa, por aqueles mares – Pena ter sido ao escurecer – Pois, tão inesperada visão, acompanhada pelo  grito das aves, assustou-me mais de que me deslumbrou Além disso, sabia que, se ali aportasse, além de me ser muito difícil acostar, correndo o risco de a canoa ser despedaçada, mesmo que lograsse trepar pelas suas rochas, me era impossível ali sobreviver, sob pena de ser devorado pelos piolhos das aves e, porventura, atacado por inevitáveis picadas.  

Estranha visão! - Mal o sol começou  afundar-se a  oeste. 



Ainda me esforcei por me aproximar, com o remo improvisado, remando com imensa dificuldade e contra a corrente, que me  puxava para Norte -  Mas as  sombras já começavam  a cobrir o mar  e aquele vulto passava a assumir contornos ainda mais ruidosos e fantasmagóricos.

De facto, tal como refiro no registos gravados do meu diário, eu apercebera-me dos bandos de aves a sobrevoarem-me, o que me levou a pensar que não estivesse muito longe de terra.  

Porém, o fim de  tarde era de uma imensa calma e os meus olhos estavam imersos na paz e na serenidade, no  deslumbramento dos raios solares que se estendiam de oeste até mim. 

– Por isso, quando me dei conta do recorte daquele morro, quase ao revés do mar, muito a custo ainda dei algumas remadas na sua direcção, porém, às tantas,  fixando mais atentamente  os recortes petrificados  daquele fantasma, que cada vez mais enegreciam,  desisti,  deixando-me de novo  ir ao sabor da corrente,  que me arrastava para lugar incerto, envolvido pelas mesmas trevas e escuridão.

FANTASMAGÓRICA E RUIDOSA VISÃO  SOLITÁRIA DE UM OUTRO MUNDO!

Foi  pouco depois do  pôr do sol do 15º dia, que descobria um enorme penedo, terrivelmente solitário, recortando-se, a curta distância de mim, mas já o avistando um pouco a sul,  sobre a vastidão do mar,  quase aos resvés do horizonte. Passei  num dos lados e não me dei conta - Visto esvoaçarem aves por cima da minha cabeça e todos os lados.


Depois que uma violenta tempestade me fizera perder a maior parte dos mantimentos e apetrechos, tornava-se-me tremendamente difícil navegar com o auxilio de um remo improvisado. Mesmo assim, poderia ter-me aproximado mas hesitei.   - Não ocorreu porque  tive mais medo do penedo que do mar.  Receando que a canoa se despedaçasse de encontro às rochas  e que as aves me pudessem atacar.


Impossibilitado de tentar a travessia oceânico, um pouco a sul da Ilha de Ano Bom, uma pequena ilha e província da Guiné Equatorial, localizada no Atlântico Sul, a 350 km da costa oeste do continente africano e 180 km a sudoeste  de S. Tomé, muito por culpa do comandante do pesqueiro americano, Hornet, que me tendo prometido, em S.Tomé, que me largaria a sul de Ano Bom, na influência da corrente equatorial que me arrastaria para o Brasil - rota que pretendia seguir - me trocou as voltas, quando fundeou a Norte e ao largo daquela ilha: ou fica a bordo ou canoa ao mar - 
À popa e ao longe e a sul ia ficando Ano Bom



Optei pelo regresso a S.Tomé  - E, navegar no Golfo, em plena época das chuvas e dos tornados, numa frágil canoa, era opção quase suicida, de vida ou de morte - Apesar de tudo, quis o destino que, mesmo tendo sido atingido por violenta tempestade, logo na primeira noite, que me causaria a perda de quase todos os apetrechos e víveres, fosse um homem de sorte.



 A ilha maior que compõe as tinhosas tem 20 hectares e a pequena tem 3 hectares. Espaço, privilegiado pelas aves marinhas do Golfo da Guiné, para se procriarem, mas não só. As Tinhosas, são também visitadas por outras espécies de aves marinhas como o rabo-de-palha-de-bico-vermelho Phaethon aethereus, atobá-grande Sula dactylatra, atobá-de-patas-vermelhas Sula sula e a fragata-de-Ascenção Fregata Aquila, assegura o trabalho de investigação da bióloga Esterline Matilde - Excerto Ilhas Tinhosas são o mais importante berço das aves

Ilhéus das Tinhosas, eram assim designadas no tempo colonial – E, na verdade, não são ilhas mas pequenos ilhéus. Era para ali que geralmente se dirigia a traineira do Macôco. Único colono que trouxe as artes piscatórias da sua terra e que convivia com os pescadores das Ilhas, taco a taco.
Pois, além de aves, também por lá havia bancos de ricos cardumes de peixes em redor das suas águas - O maior problema eram os tornados - De volta e meia, lá ia o pescado e  vidas!... E hoje?!... 
- Hoje, além dos tornados, há outras ameaças -  Já nem traineiras nem as canoas se safam “Na ilha do Príncipe os pescadores, estão preocupados com a falta de segurança no mar da Região. Tudo por causa da constante presença de navios de origem desconhecida ao largo da ilha «Sempre aparecem barcos que lançam redes e levam todo peixePescadores da ilha do Príncipe vivem amedrontados ..pirataria no Golfo da Guiné ameaça a soberania de São Tomé e Príncipe



Quem voe de S. Tomé ao Príncipe, as "Tinhosas" revelam-se  como as primeiras sentinelas a denunciar  a primeira aproximação à princesa do Golfo da Guiné. 

E, se a rota aérea ou marítima, ainda for a mesma, certamente que é a surpreendente imagem com que se depara: a de dois enormes e solitários penedos!  - A Tinhosa Grande, a maior ilhota, com  55m. E a Tinhosa Pequena, mais a Norte, com um 64m de altitude, localizadas há 22 quilómetros da ilha do Príncipe

Dizia-se, naquele tempo, que, devido aos muitos bandos de aves que ali nidificavam, estavam cobertas de manchas brancas de guano., tendo chegado mesmo a falar-se da sua exploração para a composição de adubos – Mas ainda bem que não se cometeu esse atentado e permaneceram selvagens. 

Referem  estudos  que São Tomé e Príncipe é provavelmente um dos últimos refúgios naturais amplamente desconhecidos em África, no que diz respeito à biodiversidade. As florestas do país são o habitat de 28 espécies de aves endémicas, um número extraordinário considerando o tamanho do país. A título de comparação, as ilhas Galápagos têm uma área oito vezes maior, e possuem apenas 22 endemismos de avifauna.

No entanto esta pérola do Golfo da Guiné está sujeita a uma crescente pressão humana. A destruição de habitat, juntamente com a ausência de monitorização e conhecimento sobre a fenologia das espécies, são as maiores ameaças ao ecossistema nativo.


Um protocolo entre o governo de São Tomé e a empresa Agripalma definiu uma concessão de 5.000 hectares para exploração de óleo de palma, e os trabalhos de desflorestação e plantação ocorrem desde 2010. De acordo com Agripalma, este é o tamanho mínimo necessário, a fim de assegurar a rentabilidade do empreendimento.


Infelizmente, e de acordo com visitas anteriores da SPEA e RSPB, estes 5.000 hectares incluem ricas zonas de floresta secundária localizadas na periferia ou directamente dentro do Parque Natural do Obô. Este parque cobre um terço da ilha e é o lar de algumas das aves mais ameaçadas do mundo, espécies Criticamente em Perigo (CR) como a galinhola Bostrychia bocagei, o picanço Lanius newtoni e o anjolô Neospiza concolor. http://www.spea.pt/noticias/detalhes.php?id=499&tipo=


"O guano é coletado em várias ilhas do Oceano Pacífico (principalmente nas do Peru) e em outros oceanos. Estas ilhas tem sido o habitat de colônias de aves marinhas por séculos, acumulando vários metros deste material.

No século 19 os europeus invadiram as ilhas peruanas e do Caribe depredando quase todos os recursos de guano existentes na costa do Pacífico, fortunas foram feitas e a exploração do guano se propagou a todos os cantos da Terra..