expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Estudo de Isabel Santiago sobre álcool – Desmascarado – “É mentira e, não respeitou ética nem cientificidade” – Diz Ahmed Zaky

Jorge Trabulo Marques - Jornalista



Isabel Santigo, pelos vistos, é mais parra de que uva: queria que a nomeassem ministra da saúde,  mas como não lhe deram essa oportunidade, eis que vai de começar a inventar casos para lançar alarmismos.

Tal como referimos, em postagem anterior,  "Apanha-se mais facilmente uma mentira  que um coxo”  - E é o que vêm confirmar as declarações do Director do Projecto do Instituto Marquês de Valle Flor, IMVF, Ahmed Zaky, afirmando que “ o estudo de Isabel Santiago sobre álcool em crianças são-tomenses “é mentira” e que não teria respeitado “ética” nem “cientificidade”.

A noticia é avançada pela Agência STP – PRES , dizendo que  as suas declarações foram proferidas à saída de audiência com primeiro-ministro são-tomense. Questionado sobre o estudo da investigadora Isabel Santiago,  de que “as  crianças são-tomenses bebem mais álcool do que leite”, Ahmed Zaky respondeu que “ acho que as coisas deveriam ser de forma mais ética e mais científica”.

“ Quando se fala que crianças consomem mais álcool do que leite é mentira, não é verdade, vocês [imprensa são-tomense] conhecem muito bem a realidade em São Tomé e Príncipe” – acrescentou o director do projecto Instituto Valle Flôr.

Ahmed Zaky argumentou ainda que “ em 2014, a UNICEF já tinha feito um estudo em que as suas conclusões são contrárias a aquilo que a senhora investigadora queria fazer entender”.

Imagem de Rute Norte 
“ Dizia que o problema de alcoolismo não é um exclusivo de São Tomé, o consumo de álcool em São Tomé é quase metade da aquilo que se consome em Portugal” – sustentou Ahmed Zaky.
Tendo considerado o estudo em causa de uma autêntica “publicidade enganosa” e uma “ação ofensiva” contra o Estado e crianças são-tomenses, o director do Instituto Valle Flor sublinhou que “ vamos ser sérios, vamos ser éticos”.
Há pouco mais de duas semanas, o governo através de um comunicado anunciou a apresentação de uma queixa-crime contra Isabel Santiago por “danos irreparáveis a imagem do País” por considerar o estudo em causa de “infundado”. http://www.stp-press.st/2020/01/30/estudo-de-isabel-sobre-alcool-em-crianca-e-mentira-e-nao-respeitou-etica-nem-cientificidade/


Palavras de Rute Norte, a jovem portuguesa que percorreu  550 Km em bicicleta  por trilhos caminhos  e estradas e conviveu com centenas de pessoas nos mais recônditos lugares. "Relativamente à minha experiência, eu não me deparei com ninguém embriagado, nos meus passeios de bicicleta. Nunca vi crianças beber álcool.
Estou a aguardar para ver se aparecem mais informações sobre esse estudo. Gostaria de ver o estudo completo, aliás. 
– 
Resposta da  ciclista portuguesa Rute Norte à minha pergunta -  que  fez ao todo 550 km de bicicleta nas duas ilhas: 205 na ilha do Príncipe e 345 na ilha de São Tomé. Sendo o seu estilo de viagens lento, com muitas paragens e conversas pelo caminho ... sem pressas. Leve-leve. Esta expressão “leve-leve” é típica de São Tomé e Príncipe, e significa “suavemente, sem pressas”. Sem esforço desnecessário. Pedalar com calma. Vai leve-leve, dizem-me, acenando-me com um sorriso. Vou sim, vou leve-leve.” – Disse Rute Norte. - Vinte e nove dias não foram suficientes. Mas a maior parte do país ficou vista – e bem vista, com toda a calma. https://bttlobo.com/ciclista-portuguesa-rute-norte-fez-550-km-de-bicicleta-sozinha-por-sao-tome-e-principe/


Nenhum comentário :