expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

“Amar como Jesus amou Sonhar como Jesus sonhou" -

Peregrino da Luz - Heterónimo de Jorge Trabulo Marques nas suas vestes místicas peregrinas nos sagrados penhascos e hortos de oliveiras e amendoeiras da sua aldeia


“Amar como Jesus amou  Sonhar como Jesus sonhou" - Num tempo destituído de valores e dominado pelo egoísmo e individualismo exibicionista e hedonista, o  generoso exemplo de Jesus Cristo é dos raros valores que persistem  intactos há mais de 2000 anos

AMÁVEIS ESTES LUGARES QUE ME CRIARAM


Canto a Deus, ao Sol e à Terra que me Viram Nascer
- A sós, em perfeita harmonia comigo próprio,
com a Terra, com Deus, os astros, o céu!
Longe do bulício da cidade e da sua estéril selva,
longe de tudo, faça o tumulto da vida e faça o mundo,
aspirando os odores da terra, das giestas, das fragas
e dos seus milenares musgos! - Oh, uma inigualável delicia
Dos seus frutos: os figos, como amêndoas, como uvas!
Oh, os abençoados perfumes da flores campestres! Ah,
Como é pra mim, que revisite, sempre que posso,
a casa velhinha dos meus pais! 
Ó meu berço pacífico e amado!

Canto o vosso cântico, - Pai Sol. Ó Deus eterno!
Glória a Vós, nas Alturas, - Divino Astro!
Sois o deus mais Antiquíssimo do cosmos! A Essência
que precedeu a própria existência! O Clarão
que iluminou seu caminho
quando tudo, antes, era um mar de trevas
e nele existia a noite mais escura e eterna,
Tudo era confuso e turvo, um imenso vazio,
e, não turbilhão desse vazio, do tempestuoso caos,
apenas reinava um solidão de um mar infindo,
um infinita escuridão!

Raia a manhã! Vejo-vos subir no oriental firmamento!
- Ó Olho brilhante! Ó Olho luminoso! - Sê bem vindo |
Eu vos saúdo! Vinde, ó Glorioso! Vinde até mim! ...

(...)“Amar como Jesus amou
Sonhar como Jesus sonhou
Pensar como Jesus pensou
Viver como Jesus viveu
Sentir o que Jesus sentia
Sorrir como Jesus sorria
E ao chegar ao fim do dia
Eu sei que dormiria muito mais feliz”



“Ouvindo o que eu falei ela me olhou
E disse que era lindo o que eu falei
Pediu que eu repetisse, por favor
Mas não dissesse tudo de uma vez
E perguntou de novo num sorriso
O que é preciso para ser feliz?”
~
“Depois que eu terminei de repetir
Seus olhos não saíram do papel
Toquei no seu rostinho e a sorrir
Pedi que ao transmitir fosse fiel
E ela deu-me um beijo demorado
E ao meu lado foi dizendo assim”

Pe. Zezinho



Deus deu-me a graça de me revelar o maravilhoso segredo que esta e outras pedras guardavam, em 2001 e 2002, esquecido na poeira dos milénios  e a que me refiro noutro site – Além da Pedra do Solstício, alinhada com o pôr-do-sol no primeiro dia do Verão, existe também a  Pedra da Cabeleira de Nossa Senhora, que o povo da minha adeia, há muito conhece: o que desconhecia é que, além de santuário, era também um calendário solar pré-histórico   - A pedra fica situada no Maciço dos Tambores-Mancheia, no perímetro do Parque Arqueológico do Vale do Côa, arredores da aldeia de Chãs, concelho de Vila Nova de Foz Côa - Este enorme megálito com 4, 5 metros de altura e sensivelmente o mesmo de comprimento, é atravessado pelos raios solares do nascer do dia e está alinhado com os Equinócios da Primavera e do Outono  O fenómeno pode ser observado no próximo dia 20, instantes depois da sete horas da manhã


99





Encantamento Quantas vezes, ficava a olhar, a olhar…” – Sozinho, introspetivo e tranquilo - É meia-noite para a madrugada de Sábado - Mais uma semana que vai terminar com a Primavera a começar - Sozinho, no silêncio do quarto de uma casa centenária, em granito, mas muito desconfortável, pois a noite, lá fora vai fria, embora sob céu límpido e descoberto, depois de um grande vendaval tendo apenas por companhia no teto, alguns morcegos dependurados e por baixo do sobrado algumas andorinhas pousadas que ali vão fazer os seus ninhos - Porém, não devendo nada a ninguém e estando bem com a minha consciência e com o mundo, sim, sinto-me na paz dos anjos, possuído de um sentimento quase tranquilamente sobrenatural




Encantamento
Quantas vezes, ficava a olhar, a olhar 
A tua doce e angélica Figura, 
Esquecido, embebido num luar, 
Num enlevo perfeito e graça pura! 

E á força de sorrir, de me encantar, 
Diante de ti, mimosa Criatura, 
Suavemente sentia-me apagar... 
E eu era sombra apenas e ternura. 

Que inocência! que aurora! que alegria! 
Tua figura de Anjo radiava! 
Sob os teus pés a terra florescia, 

E até meu próprio espirito cantava! 
Nessas horas divinas, quem diria 
A sorte que já Deus te destinava! 

Teixeira de Pascoaes, in 'Elegias' 





MARAVILHA FABULOSA  DA PRÉ-HISTÓRIA - Saudamos hoje o primeiro dia do Outono, à semelhança do que já vem sendo tradicional nos Templos do Sol, numa manhã claríssima e brilhante, com a participação de um amável grupo de amigos, em cerimónia simples mas prenhe de esplendor e de significado – Nomeadamente, António Pimentel Lourenço; José Maurício Lebreiro;   José Andrade, Manuel Luzio, Miguel Sá Menezes, eu próprio, coordenador do evento e autor da descoberta dos alinhamentos sagrados existentes na área. 



Momentos da Celebração do Equinócio do Outono, hoje, dia 22, às 08.00 da manhã, frente ao altar sacrificial da Pedra de Cabeleira de Nossa Sra, arredores da aldeia de Chãs, Maciço dos Tambores, no concelho de Vila Nova de Foz Côa - Numa cerimónia simples, mas prenhe de esplendor e magia,  precisamente no momento em que a graciosa gruta em forma semicircular era atravessada pelos raios solares do nascer do sol.
Com poemas de José Augusto Margarido, poeta nado e criado nestas terras,  e um outro do antigo Egipto, evocando o Olho de Hós, de autoria do faraó Faró Akhenaton – 

Aqui lhe deixamos a imagem de uma das mais surpreendentes maravilhas herdadas das antigas civilizações do megalitismo, dos raríssimos calendários solares, que ainda persistem da pré-história –





Nenhum comentário :