expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 23 de março de 2020

CORONA-VIRUS VIROU PÂNICO À ALDEIA GLOBAL DO CONSUMISMO - A solidão da minha terapia, vista em vídeo do terraço das minhas águas furtadas do alto do 6º andar do coração de Lisboa -


Acalme-se, liberte-se da histeria  coletiva e  faça do isolamento, que lhe foi imposto, uma pausa para recuperar energias - A Gripe não lhe fica atrás e quem importa desse numeroso funeral?  Por mim,já me preveni com a máscara há muitos anos no solar dos ventos uivantes   Luis de RazielPeregrino da Luz  - Jorge Trabulo Marques




O pânico retira a lucidez e a serenidade  que requer o combate a um inimigo comum e invisível   - Tal é reconhecido, também,  por especialistas italianos da área da medicina, onde   a controvérsia, a confusão e o caos  se sobrelevam de que propriamente  à eficácia na Assistência Hospitalar.

?

Coronavírus, Annagrazia Calabria (Forza Italia): "Precisamos de uma abordagem lúcida: as Sars tinham uma taxa de mortalidade de 10%, o coronavírus de 2/3%.


ALDEIA GLOBAL TRANSFORMADA NUM IMENSO LAR DE ISOLAMENTO DE ALIENADOS–
O que se pede não é propriamente um isolamento espiritual, tal como o fazem os monges nos conventos ou o faziam os antigos sacerdotes ermitas, entregando-se à meditação nas suas celas, entoando   salmos enquanto realizavam os trabalhos manuais e, durante os finais de semana, entregando-se  liturgias e serviços religiosos comunitários

E também não é um isolamento profilático, porque abrange seja quem for, sãos ou doentes,  O que o isolamento que é imposto é mais parecido   o com o  Isolamento social,  observado na população idosa, sem-teto ou grupos com pouca mobilidade,



O Serviço Nacional italiano está a rebentar pelas costuras,  não apenas pelo surto  do coronavirus mas também pelo deficiente funcionamento de um serviço de assistência hospitalar público, que foi privilegiado em favor do privado de outros interesses obscuros -  Entre, o Ranking de serviços de saúde. Portugal está à frente de Reino e de Espanha - .Entre os 35 países avaliados, o Serviço Nacional de Saúde obteve a 14. ... ...Portugal obteve 21 classificações positivas, como no acesso à terapia contra o cancro em menos de 21 dias, na mortalidade infantil, na perda de potenciais anos de vida ou no transplante de rins




Gripe mata muito mais que coronavírus, conforme dados da OMS   – Pelo menos, há um mês, assim era essa estimativa. Não esquecer que a gripe sazonal mata largos milhares de pessoas no Mundo “Não devemos esquecer que temos cerca de 60.000 mortes por gripe sazonal todos os anos na Europa, quando ", lembrou, no mês passado,  o diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS)  A  avaliar pelos dados divulgados,  pela  estima-se que, mais de três mil pessoas terão morrido em Portugal devido à gripe na época passada, .Os dados constam do relatório do Programa Nacional de Vigilância da Gripe na época 2018/2019, apresentado pelo Instituto Ricardo Jorge, que indica uma baixa dos números da mortalidade atribuída à gripe, para 3331, contra 3700 na época 2017/2018.

O isolamento, quando é  imposto, pode gerar graves disturbios para quem não o faz por estrita necessidade,  pode ser extremamente  prejudicial por via do pânico gerado á volta do novo coronavirus – Sendo o 19ª, então por que razão só com este virus é  que gerou este pânico?

O isolamento, quando é uma opção de vida e de recolhimento, tranquiliza e fortalece o espírito – Esse tem sido o meu caminho e tenho-me dado bem com ele: faço-no na minha aldeia, optando por sair de casa à noite, peregrinando, solitariamente,  pelos seus penhasco,optando por dormir ao longo da manhã: em Lisboa, onde resido, as poucas horas que dedico ao sono, são dormidas, sobretudo, de dia.   

PÂNICO COLETIVO DE GRAVÍSSIMAS  CONSEQUÊNCIAS - PIOR A EMENDA QUE O SONETO."


"Estamos no meio de um ataque de pânico coletivo." -Diz estudioso, dizendo que, enquanto enfermeiros e pesquisadores lidam corajosamente com o coronavírus, teremos que fazer algo para sobreviver. Por exemplo, consulte os dados. Na Internet, não existem apenas tweets e postagens (não recomendado se você estiver ansioso), mas também existem dados abertos sobre muitas coisas, por exemplo, saúde pública. Lembro-me de quando, em 2012, o então presidente do Istat Enrico Giovannini decidiu colocar on-line a quantidade infinita de dados do nosso Instituto de Estatística em um formato aberto. Lá encontrei uma tabela (referente a 2017) com todas as causas de morte na Itália.E eu descobri o que você morre todos os dias, bem como o coronavírus, obviamente. É um exercício útil não para minimizar o que está acontecendo, mas contextualizá-lo e tentar dar coerência a esse repentino desejo de saúde que nos levou.


Vamos tomar a gripe: de todos os que morrem na Itália (650 mil pessoas por ano), um em cada mil morre de gripe. As mortes são quase duas por dia. Imagine um título: mais duas mortes! Todos os dias. número é uma média que, como muitas médias, distorce a realidade: as mortes pela gripe ocorrem em quatro meses e, portanto, pelo menos 5 pessoas morrem por dia entre novembro e fevereiro.O fator de idade deve ser levado em conta: 95% das mortes por gripe tem mais de 65 anos, 77 por cento mais de 80. Na semana passada, havia 656 mil italianos na cama por causa da gripe, o que leva a 5 milhões de 632 mil casos Este ano, somos quase um em cada dez italianos afetados. Em pânico com o coronavírus, eles receberam a vacina? Ou você está entre os que dizem que as vacinas não são necessárias? Será dito: mas o coronavírus é uma forma de influenza que pode pneumonia em 20% dos casos : verdadeiro, com pneumonia, em média, 37 pessoas morrem por dia. Todo ano, mas a Itália não para.

Os dados oferecem outras idéias interessantes: a principal causa de morte são as doenças do sistema cardiovascular: 638 pessoas todos os dias. Verificamos colesterol ou triglicerídeos? Mudou de dieta? Os segundos tumores (483 por dia): prevenção feita? Ou uma doação para algum centro de pesquisa? Mais de 10 pessoas morrem todos os dias em acidentes de viação: alguém por acaso quer parar o trânsito? Os dados são implacáveis, mas os advérbios são mais traiçoeiros: se eu disser "já 100 casos de coronavírus", estou dizendo que o vírus é mais rápido que o esperado; se eu disser "apenas 100 casos", estou dizendo o contrário. A ansiedade não surge dos números, mas dos advérbios. https://www.repubblica.it/dossier/stazione-futuro-riccardo-luna/2020/02/24/news/coronavirus_e_terapia_antipanico_di_cosa_si_muore_ogni_giorno_in_italia-249454511/


Síndrome do pânico será a doença do ano por causa do coronavírus – Reconhece
filósofo, psicanalista e especialista em estudos da mente humana, Fabiano de Abreu,  frisando que. “O pânico cria realidades alternativas que dificultam a racionalidade e embora não estejamos, por enquanto, a viver uma situação de pânico generalizada essa situação pode vir a acontecer.
Tal cenário pode resultar em efeitos adversos tanto num modo global como de um modo muito pessoal", alerta Fabiano.

O filósofo esclarece que a conjuntura atual favorece o aparecimento de síndromes relacionadas com o pânico e que o isolamento pode ser a ignição desses transtornos. “Por essa razão a síndrome do pânico será uma doença que irá afetar muitas pessoas dada a realidade atual", disse. 

novo coronavírus é um dos temas mais falados nas últimas semanas, sua forma de contágio rápido e a proporção que o vírus vem tomando em outros países têm deixado a população apreensiva.
Além do risco de contágio, da ameaça à saúde física e por se tratar de um vírus que está em fase de estudos, vemos grande parte da população sendo afetada em sua saúde mental e com preocupações que estão elevando o grau de ansiedade de todos. https://catracalivre.com.br/saude-bem-estar/coronavirus-como-evitar-o-panico-e-manter-nossa-saude-emocional/





Coronavírus, Walter Ricciardi: "Somos o país mais antigo do mundo, significa que o vírus insiste numa população mais vulnerável. Acrescente a isto as doenças anteriores que afectam um em cada dois italianos. Também devemos estudar as condições ambientais porque o clima de Wuhan, Teerã e as planícies de Piacenza têm semelhanças".


" Estudo diz que a "Gripe sazonal e complicações causam 8.000 mortes todos os anos na Itália.
Dados do Istituto Superiore di Sanità: 82% dos casos graves e 97% das mortes têm pelo menos uma doença crônica pré-existente
Quantas pessoas morrem de gripe na Itália todos os anos? O cálculo é feito pelo Instituto Superior de Saúde, que publicou um relatório em seu portal Epicentro. Em tempos de coronavírus e controvérsias sobre sua alegada afinidade por doenças sazonais, torna-se importante responder a essa pergunta.
Os pesquisadores do Instituto calcularam cerca de 8 mil mortes por ano relacionadas à doença sazonal ou a suas complicações, com picos de até 12 mil de acordo com as estações do ano. Os números são o resultado de uma estimativa que parte dos dados do Istat. "Os dados de mortalidade em tempo real não existem - explica Antonino Bella , do departamento de doenças infecciosas do Instituto - o Istat, que chega depois de dois anos, é usado. Em seu número, encontramos algumas centenas de mortes por influenza por ano. Mas sabemos que, para ter certeza dessa causa, é necessário fazer uma zaragatoa, o que obviamente não ocorre em todos os casos de morte ". Assim, em todos os países, os sistemas estatísticos mais avançados também consideram dados de mortalidade de outras causas relacionadas a complicações da influenza. "Chegamos a 8 mil, avaliando também, por exemplo, pneumonia e certas paradas cardíacas", sempre diz Bell
O Instituto também faz uma análise aprofundada da temporada 2019-2020. "A partir dos dados disponíveis até o momento, surge que se caracterizou por um período inicial de baixa incidência, que durou até o final de dezembro de 2019, e por uma intensificação da atividade viral com o início do novo ano". O pico da epidemia chegou na quinta semana de 2020 (de 27 de janeiro a 2 de fevereiro de 2020), "com um nível igual a cerca de 13 casos por mil assistidos, valor que coloca a temporada atual em um nível de intensidade média". Na temporada anterior, o pico havia sido atingido na mesma semana, mas a incidência havia sido um pouco maior (14 por mil).


Desde o início da vigilância (prevista para 14 de outubro de 2019), até a sétima semana de 2020, foram estimados 5.632.000 casos de síndrome do tipo influenza em todo o país". As regiões da Itália central foram particularmente afetadas. A faixa etária com maior incidência foi pediátrica, principalmente crianças menores de 5 ano
https://www.repubblica.it/salute/medicina-e-ricerca/2020/02/25/news/_influenza_8_mila_decessi_all_anno_ma_e_sbagliato_paragonarli_al_coronavirus_-249546412/




Na Itália, diminuição mínima de infecções e mortes. Na Lombardia, o crescimento caiu pela metade
O total de casos é de 59.138. O número de vítimas cresceu 651, totalizando 5.476. Os curados são 7.024. Borrelli: "Números um pouco menores que ontem". Os vírus positivos da Lombardia subiram para 27.206. Gallera: "Vamos entender se há uma redução real na terça-feira"
 crescimento de infecções por coronavírus na Itália continua a aumentar. O total de casos saltou para 59.138, com um aumento de 5.560 em apenas um dia (porém menor do que o número recorde de ontem, que chegou a 6.557). Foi o que emergiu do boletim de Proteção Civil lido pelo comissário de emergência Angelo Borrelli no briefing da imprensa para fazer um balanço da epidemia.
Os casos atualmente positivos são 46.638 (+ 3.957 em relação a ontem), os recuperados aumentam para 7.024, com um salto de 952 em um dia. As mortes marcam um aumento de 651 em comparação com as últimas vinte e quatro horas, elevando o total para 5.476. Cerca de 361 dessas novas vítimas estão registradas na Lombardia e 101 em Emilia Romagna.
Os hospitalizados com sintomas são 19.846 (+ 2.138); em terapia intensiva existem 3.009 (+ 152); em isolamento domiciliar 23.783 (+ 1.667). O total de casos é, portanto, 59.138 (+ 5.560); os cotonetes realizados até o momento são 258.402 (+ 25.180 em comparação com ontem).
Os números do último boletim de proteção civil "são um pouco menos que ontem". Este é o comentário do chefe da proteção civil, Angelo Borrelli, na abertura de uma conferência de imprensa.https://www.agi.it/cronaca/news/2020-03-22/decessi-contagi-guariti-coronavirus-7763896/

Nenhum comentário :