expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

terça-feira, 17 de março de 2020

Coronavirus - E a igreja católica em S. Tomé e Príncipe unida com o Governo na prevenção contra o maior inimigo de todos Ainda não há registos de casos mas o Governo já pediu colaboração ao Bispo da Diocese, com vista ao reforço da sua prevenção - "As autoridades alertam que não há uma situação que justifique ainda o pânico, mas o alerta não faz mal a ninguém e desaconselham grandes concentrações


  Jorge Trabulo Marques - Jornalista 
Ministro da Saúde reuniu-se com  Governo Santomense e igreja Católica partilham propósitos para que se evitem o mais possível os contactos físicos, alguns contatos que se tem na própria Eucaristia, eventualmente, ter cuidado e evitá-los”.



 Até ao momento, ainda não há registos de  casos da pandemia mundial, nas duas ilhas, mas o Ministro da Saúde do arquipélago, Edgar Neves, já promoveu uma reunião   com o o Bispo da Diocese Dom Manuel António dos Santos, pedindo-lhe a colaboração na prevenção - Naturalmente com vista a se equacionarem medidas de alguma contenção do exercício do culto, tal como já sucede no pais do Vaticano e por toda a Europa. 

Além disso, é natural que lhe tenha ido também solicitar outros apoios, dada a experiência social e médica que a religião mais antiga e expressiva, desfruta  junto do povo santomense, quer através da CARITAS, como de outras instituições e canais.

 Em boa verdade,  o problema não tem apenas a ver com  ausência de casos da mais invisível e  perigosa ameaça sanitária da atualidade,   que não conhece fronteiras nem distâncias, que  está alastrando e a generalizar-se por todo o mundo,  desconhecendo-se, por enquanto, as suas verdadeiras proporções e consequências futuras, uma vez que,a liberdade de expressão de muitos países, não sendo livremente assegurada, poderá não prestar  os detalhes mais fidedignos, mas a que importa veicular externamente.– Mas, oxalá o bom senso prevaleça, no combate a um inimigo comum e que, a informação divulgada, conquanto possa ser cautelosa e bem  fundamentada  para evitar falsos alarmismos de insegurança e de intranquilidade, em circunstância alguma, possa ser escamoteada por valores mercantis ou de qualquer ordem, sobrepondo-se  aos humanos: - sociais e médicos.

De facto, não é difícil imaginar que se antevêem dias muito difíceis, na população mais carenciada e até de quem tem vencimentos, muito precários, que é o grosso dos servidores públicos e privados, num pequeno país,    cujo grosso das receitas estão dependentes do movimento externo, nomeadamente com o afluxo turístico, apesar da qualidade da oferta,  das maravilhas paisagísticas e das suas praias de águas quentes, azuis e  transparentes,  algumas das quais com línguas de areia extensas e convidadas ao banho e ao veraneio.

Refere a  a Agência de São-Tomé, 16 Mar ( STP-Press ) , que “O Ministro da Saúde Edgar Neves reuniu-se esta manhã com Bispo da Diocese de São Tomé e Príncipe, Dom Manuel António, a quem, pediu a colaboração da igreja na prevenção do Coronavírus[COVID-19], poucas horas depois de um encontro de género com órgãos da comunicação social.

São-Tomé, 16 Mar ( STP-Press ) – O Ministro da Saúde Edgar Neves reuniu-se esta manhã com Bispo da Diocese de São Tomé e Príncipe, Dom Manuel António, a quem, pediu a colaboração da igreja na prevenção do Coronavírus[COVID-19], poucas horas depois de um encontro de género com órgãos da comunicação social.
A saída do encontro Dom Manuel António, que manifestou total disponibilidade da Igreja ajudar na prevenção da doença, sublinhou que “ neste momento São Tomé e Príncipe deve estar em alerta”, sublinhando que “não há uma situação que justifique ainda o pânico, mas o alerta não faz mal a ninguém”.

Tendo compartilhado a ideia de desaconselhamento as grandes concentrações, o Bispo da Diocese disse que “mesmo na Eucaristia evitem o mais possível os contactos físicos, alguns contatos que se tem na própria Eucaristia, eventualmente, ter cuidado e evitá-los”.

A saída do encontro Dom Manuel António, que manifestou total disponibilidade da Igreja ajudar na prevenção da doença, sublinhou que “ neste momento São Tomé e Príncipe deve estar em alerta”, sublinhando que “não há uma situação que justifique ainda o pânico, mas o alerta não faz mal a ninguém”.
Tendo compartilhado a ideia de desaconselhamento as grandes concentrações, o Bispo da Diocese disse que “mesmo na eucaristia evitem o mais possível os contactos físicos, alguns contatos que se tem na própria eucaristia, eventualmente, ter cuidado e evitá-los”. http://www.stp-press.st/2020/03/16/covid-19-ministro-da-saude-pede-colaboracao-da-igreja-catolica-e-dos-orgaos-de-imprensa/




Nenhum comentário :