expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sábado, 14 de março de 2020

Entrevista ao Embaixador de São Tomé e Príncipe, em Portugal, António Quintas do Espírito Santo: "coronovirus: ainda não há sinais nas ilhas; apela aos empresários portugueses para investirem nas suas potencialidades - Nenhum caso isolado de violência pode servir para alterar o ADN a natureza intrínseca do Povo de São Tomé e Príncipe! A comunidade santomense, em Portugal, é expressiva (acima de 20 mil residentes) 2000 ao abrigo de assistência médica. "as autoridades portuguesas, encorajam bastante a comunidade santomense! Dizem-nos que é uma comunidade que não tem dado trabalho" "O Prof. Marcelo, aprecia bastante o nosso país! E tem contribuído, também, para a sua divulgação internacionalmente".

Jorge Trabulo Marques - Jornalista e investigador




 "Nenhum caso isolado pode servir  para alterar o ADN a natureza intrinca do Povo  de São Tomé e Príncipe  A cultura da paz! A cultura do acolhimento, é um apanágio do povo santomense!..- Declarou-nos, no seu gabinete de trabalho,  em Lisboa, o Embaixador de STP, em Portugal, António Quintas, Espírito Santo, numa recente entrevista que me deu a honra e o prazer de me conceder

Ente outras questões, afirmou-nos, que, muito embora sendo duas ilhas pequenas, mas que, quando há tentativas de alteração, de pessoas que pensam que isso pode ser adulterado,  a sociedade civil está lá para reagi! O clima de multipartidarismo   está lá instalado! E tudo isso contribui para que STP seja, de facto,  um espaço de paz!"

António Quintas do Espirito Santo, nomeado para exercer as funções de Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República de São Tomé e Príncipe na República Portuguesa” . em junho do ano passado, por decreto presidencial assinado por Evaristo Carvalho.

Formado em Ciência da Informação e Comunicação no Brasil, António Quintas, foi também embaixador santomense. em Taiwan, Secretário de Estado para Comunicação Social, Assessor do Primeiro-Ministro, Presidente do Conselho de Administração da Empresa dos Correios entre outros cargos públicos.

BALANÇO POSITIVO NOS CINCO MESES DE MISSÃO DIPLOMÁTICA 

"Eu faço um balanço positivo! Pese embora ter a consciência de estar cá apenas há cinco meses, na medida em que exerci a função de Embaixador de STP, em Portugal, do ponto de vista diplomático e da gestão, no seio da cooperação entre os dois países,  sublinhando os contatos que tem tido com as autoridades portuguesas e com os diversos parceiros da República Democrática de  STP, que também têm cá a missão em Portugal 
Nós estamos aqui num espaço onde se ouve e expressa o português! Também estamos inseridos no seio da CPLP!... Eu digo que, nesse aspeto, as coisas têm corrido bem! Embora nós sabemos que temos um conjunto de atividades a desenvolver e que precisamos de mais tempo para a conclusão dessas atividades 

Mas, deixe-me dizer, meu caro Amigo, Jorge Trabulo, que, em Portugal, nós temos uma boa representação da Diáspora!

Perguntamos-lhes que número de satomenses, calcula em Portugal, disse-nos, que embora não possa assegurar um número exato, até porque,  alguns santomenses, estão em Londres mas  continuam a ter um vinculo com a Embaixada,  mas fala-se num numero superior a vinte mil  residentes em Portugal: é uma comunidade bastante expressiva, de uma população de 200 ml habitantes, dividida em vários escalões: temos aqui os estudantes,  as pessoas que se deslocaram aqui para estudar e na maioria jovens! Temos também  os quadros! As pessoas que se formaram em Portugal e que escolheram Portugal, como local de trabalho: e alguns estão muito bem inseridos

SAÚDE E AS DILIGÊNCIAS JUNTO DA ASSISTÊNCIA MÉDICA AO   JORNALISTA INTER-MATAMATA- 47 anos de profissão e 43 de comunicação social,  dedicados à fotografia de S. Tomé e Príncipe, pelo repórter António Amaral, mais conhecido por Inter-Mamata, uma referência na fotografia e no jornalismo em S. Tomé Príncipe: sem dúvida, a sensibilidade e a humildade de um talentoso fotojornalista,

Quando a capitulo da saúde, abordamos- lhe também  o problema de  jornalista  Intermamata, que se deslocou a Portugal para apresentar uma exposição, e que acabou por ser acometido por uma doença que o obrigou a recorrer a ser internado num hospital: questionado sobre se tem havido diligências por parte da Embaixada para o tratar, porém antes de nos responder, a esta questão, começou por nos  comentar o perfil dos seus conterrâneos  em Portugal, declarando-nos o  seguinte:

Eu tenho relatos das autoridades portuguesas, que encorajam bastante a comunidade santomense! Dizem-nos que é uma comunidade que não tem dado trabalho. Eu dizia que, nós aqui, também temos quadros formados, que estão bem inseridos na sociedade portuguesa!


Temos também essa comunidade dos doentes ! São pessoas, que, à luz de um acordo que existe, entre a República de STP e Portugal,   são mandados aqui para Portugal para tratamento e junta médica nalgumas áreas especificas que o país não consegue tratar, nomeadamente, oncologia, alguns problemas renais, que requerem  hemodialise  e algumas outras especialidades, em que há uma parte em que Portugal se responsabiliza! Que tem a ver com o internamento  hospitalar! Depois, há a sobrevivência dos doentes, que é da responsabilidade do governo santomense! E também há algumas NGs portuguesas, que nos apoiam! E também outras constituídas pela própria comunidade

Quanto ao à questão a que se refere, do jornalista Intermamata! Conheço-o  bem; aliás ele deslocou-se a Portugal para Portugal para fazer uma exposição! Nem sequer veio doente, e, estando cá, teve um problema de saúde grave! Ficou internado! Mas, claro, que  ele nem sequer tem a junta médica mas a Embaixada está  acompanhá-lo! Os nossos serviços sociais estão acompanhar a situação do nosso Intermamata! Neste momento .creio que  já há  um pedido da Junta que foi dirigido ao Serviços de Junta de Saúde. Mas, antes de ter a junta, teve todos os cuidados num hospital português e nós vamos  legalizar a situação para que ele possa ter o acompanhamento normal como utente”

Mas, está-me a falar do Inter-Mamata, que é uma pessoa que eu conheço hã bastante tempo, mas nós temos aqui, cerca de 2000 mil doentes, e 500 dos quais nós temos estado a monitorizar; temos contato direto com esses 500 doentes. Que nós temos de apoiar! De acompanhar a situação!... Porque, há doentes, que até conseguem algum tratamento! Algumas ligeira melhora, mas, pelo facto de não terem boas condições de habitabilidade económicas,  a  nossa Embaixada tem feito  várias  diligências para reduzir o grau de dificuldade e o sofrimento desses nossos concidadãos. Mas também temos feito um trabalho de fundo para atualizar a lista, para atender, efetivamente, o mais possível,, em primeira mão aqueles que mais precisam

Eu refiro-me aos doentes oncológicos, aos que estão a fazer hemodialise, E também a casos de gente que tem dificuldade   de imobilidade, deficiências físicas, por força  dos acidentes que tiveram. Esse casos, estamos a selecioná-los como casos prioritários de forma a terem um apoio direto. Mas isto não quer dizer que os outros, que não estiverem nessas condições, sejam esquecidos: mas que também tenham um lar social!... E nós estamos a trabalhar em diversas vertentes no sentido de reduzir a dificuldade e de modo a que tenham uma resposta mais rápida  e  humana 

OS VISTOS DE ENTRADA DOS CIDADÃOS SANTOMENSES EM PORTUGAL- Outra das nossas perguntas

Se se refere aos vistos da entrada em S. Tomé e Príncipe, não há bloqueio nenhum. Sabe que, S. Tomé e Príncipe, tomou a iniciativa de abrir as suas fronteiras para os cidadãos que vêm da Europa! E não só!... Os vistos, durante 15 dias, são gratuitos!.. Então,   no nosso país, nós demos o exemplo da livre circulação às pessoas no nosso território; agora, o inverso, há um problema   que se instala, na medida em que, os nossos concidadãos, têm tido algumas dificuldades em Portugal; até, nalguns casos, por motivos de estudo! Mesmo os casos dos doentes que não estão vinculados à Junta Médica! E outros, que até vêm de férias por gostarem deste pais, por encontrarem em Portugal, o espaço pacifico para desenvolver os seus contatos comerciais! Esse problema, de facto, existe, mas o que nos conforta é que nós sentimos da parte portuguesa para tentar resolver ou reduzir essas dificuldades: nós temos tido contatos com instituições que cuidam desse dossier, nomeadamente a CEF! A nível do Governo, também há propostas, que foram submetidas. E, no  espaço da CPLP,  há uma discussão bastante ativa!  Sobre a  mobilidade dentro do espaço da CPLP.

São Tomé e Príncipe, tem uma posição clara!... Aliás, o exemplo que se deu, mesmo no quadro bilateral: de permitir que haja abertura da parte santomense: com Angola, já temos , São Tomé e Príncipe,  já tomou, unilateralmente,  a sua posição; em Moçambique, há uma discussão bastante avançada  no quadro bilateral! Mas, nós ,  pelo facto de estarmos na CPLP,   também temos exercido a nossa influência no sentido que haja uma posição da comunidade dos países da CPLP no sentido de  encontrarmos um “modus vivendis” que permita que os cidadãos que  falam português, possam ter a possibilidade de se moverem no espaço!... Nós temos os músicos! Os artistas! Os profissionais!... E a população também. E, sobretudo, os jovens, que ainda vêm em Portugal,  um espaço para adquirem os seus conhecimentos! Temos, de facto, diligenciado nesse sentido!   E há também, as pessoas que querem vir cá a trabalhar! Aliás, é público, nós fizemos, inclusive,  uma proposta no sentido de permitir os contratos sazonais: os jovens que queiram ficar por um período de 9 meses de  trabalhar ou renovar o contrato. Esse dossier está em análise pela parte portuguesa.~

TURISMO E OS EVENTUAIS REFLEXOS DO FANTASMA DO CORONAVIRUS

Abordada também a questão do turismo e do coronovirus – Perguntamos-lhe se este problema tem reflexos no afluxo do turismo e como encara essa situação

Respondeu-nos que   “ é uma questão  importante, pois não somos nós; não é o Jorge Trabulo, nem o António Quintas, que dizem, mas a nível mundial! As agências de turismo!

De facto, tem  havido uma evolução do produto de STP! É um produto bem apreciado e bem classificado e solicitado à luz  das características das nossas ilhas!.. Não é  em vão que STP volta a ser apontado como um dos dez destinos mais  preferidos!

É preciso, de facto, da parte, nós santomenses, adaptarmos o nosso comportamento em defesa dessa divulgação e solicitação que tem sido feita!... Eu penso que tem de haver esses esforço!.. Tanto do ponto de vista da governação! Como da sociedade civil! Como do ponto de vista dos nossos jornalistas! Como das pessoas que fazem a cultura! O desenvolvimento e aperfeiçoamento das qualidades dos serviços prestados.

Mas é também preciso reconhecer, que algumas ameaças existem mundialmente! Falou-me do coronavírus! Mas nós sabemos que há outras ameaças, como o terrorismo, que, felizmente, ainda bem, não fazem parte  das grandes  preocupações que o nosso pais tem! Claro que estamos a seguir com atenção e preocupação: ouvimos ontem   a entrevista do Presidente da República, Prof Marcelo Rebelo de Sousa e do Primeiro-Ministro, Dr António Costa, que tranquilizou a população portuguesa. Sim, no fundo, nós que também viemos cá, os nossos concidadãos, que têm a sua situação frágil , estamos a seguir com atenção!

 Em STP, não há nenhum sinal, que tenha havido até agora!... E esperamos que assim continue!... Mas há a preocupação das autoridades sanitárias do pais no sentido de adotarem medidas preventivas! Mas estamos em crer que ainda não há motivos de alarme!

A TRANQUILIDADE E HOSPITALIDADE SANTOMENSE NÃO É ABALADA POR CASOS ISOLADOS DE VIOLÊNCIA

 Em São Tomé e Príncipe, nenhum caso isolado pode servir  para alterar o ADN a natureza intrica do Povo  de São Tomé e Príncipe  A cultura da paz! A cultura doa colhimento, é um apanágio do povo santomense!..- Declarou-nos,  o Senhor Embaixador de STP,  na pergunta que a seguir lhe fizemos :

Sendo, São Tomé e Príncipe é um dos países mais pacíficos e hospitaleiros de África! Pelos sorrisos espontâneos!  Pela forma amável e carinhosa, como as pessoas são recebidas, acha que podemos continuar a contar com esse acolhimento, com essa generosidade, com esse pacifismo dos santomense?

Respondeu-nos com esta pergunta: conhece S. Tomé, como  eu, porque esteve lá muitos anos: então pode falar de S. Tomé e Príncipe com propriedade, eu digo, que, realmente,  a cultura da paz! A cultura doa colhimento, é um apanágio do povo santomense!.. E podemos associar, tudo isto, à cultura da democracia. Sabe-se, que,   embora  duas ilhas pequenas, mas lá vive-se intensivamente   a política! A alternância do poder. Mas sempre num clima de paz social!  E, quando há tentativas de alteração, de pessoas que pensam que isso pode ser adulterado, a sociedade civil está lá para reagir! O clima de multipartidarismo   está lá instalado! E tudo isso contribui para que STP seja, de facto,  um espaço de paz!

Eu tenho dito, que, nenhum caso isolado pode servir  para alterar o ADN , a natureza intrínseca do Povo  de São Tomé e Príncipe! Isso não altera! Todos nós lamentamos quando há um caso ou outro mas não se pode generalizar.

Mas, do outro lado, também é verdadeiro! Nós, os santomenses, que estamos na diáspora, também pode haver um ou outro caso mas não há nada que possa retirar o sossego: às vezes, as redes sociais, de que nós todos  gostamos muito, dramatizam!... Mas, a nossa postura aqui, enquanto missão diplomática,  é ter uma atitude pedagógica, de seguimento, de aconselhamento, aos nossos concidadãos e  não temos tido razões de queixas, que tem tido uma postura exemplar   

APELO AOS EMPRESÁRIOS PORTUGUESES PARA CONTINUEM A INVESTIR E A CONFIAR NAS POTENCIALIDADE DE S. TOMÉ E PRINCIPE -  

Por último, depois de lhe agradecermos a sua tão interessante e amável  entrevista e lhe desejarmos os melhores êxitos na sua vida profissional,  falou-nos ainda  do incentivo  da classe empresarial portuguesa, apelando para que “deve continuar a multiplicar os seus esforços por S. Tomé e Príncipe, na medida há que muitas potencialidades! Há perspetivas! E há essa familiaridade da língua comum: não só no domínio do turismo mas também  no domínio petrolífero. Perspetivas essas que podem contribuir para alavancar STP e que, tendo em conta,  os conhecimentos que Portugal, tem do nosso país, pensamos que estão bem posicionados , para ocupar esse espaço e chegar em primeiro!

AS VISITAS DO PRESIDENTE MARCELO A STP

Recordando-lhe a visita que, o Professor Marcelo, fez a S. Tomé e Príncipe, em que o acolhimento foi espantoso! , sublinhou que, também o Prof. Marcelo, ele aprecia bastante o nosso país! E tem contribuído, também, para a divulgação da imagem do nosso país! Quando lá está, visita as praias!  Tem contato direto com as pessoas!, E, como isso, é  referido pela imprensa internacional,  sim, são várias formas  de aproximação e divulgação do nosso país. Temos sido gratos por essa divulgação!... E também o inverso, é verdadeiro!... Os dirigentes santomenses, têm em Portugal, uma porta de entrada, sobretudo para a Europa.



Nenhum comentário :