expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

terça-feira, 7 de abril de 2020

COVID-19 - ACALME-SE E APRENDA A CONVIVER COM OS VÍRUS - E SÃO MUITOS – Criem-se estruturas sanitárias e evitem-se improvisações JÁ NÃO SE FALA DA MORTANDADE DA GRIPE SAZONAL - Pior que o coronavirus é o panico-viral –

Jorge Trabulo Marques - Jornalista

Não devemos sucumbir ao pânico mas raciocinar com calma e clareza, confiar nos fatos e não ceder aos nossos medos” – Adverte o diretor-geral da OMS – É que, depois da pandemia global-viral, poderá seguir-se a pandemia-panical  – Se eles os micróbios se adaptam, devemos também saber adaptar-nos  .Mas, para isso, não se polua e altere o meio ambiente, para que eles não proliferem e se tornem ainda mais agressivos e resistentes.

















 “Serviços de saúde em Portugal superam Espanha e Reino Unido” – Dizem estudos  “Coronavírus: Porque é que mais pessoas continuam a morrer no Reino Unido?  Os serviços de saúde já sobrecarregados e a falta de testes agravaram a crise, dizem os especialistas.

O sociólogo da religião Rodney Stark apontou que os cristãos historicamente tinham uma menor taxa de mortalidade em tempos de peste, porque cuidavam melhor dos doentes, enquanto outros fugiam. ... O pânico não ajuda ninguém; devemos ser guiados pela razão. Mas a razão sempre significa equilibrar risco e oportunidade...devemos ter em mente que a confiança nos outros é essencial - tanto para os doentes quanto para os saudáveis.” Ecos da imprensa



NATURALMENTE QUE OS NÚMEROS, QUE A SEGUIR SE INDICAM., DÃO QUE PENSAR


Refere a imprensa, que, em 5 de março de 2020, a primeira morte como resultado do coronavírus (COVID-19) foi registada no Reino Unido (Reino Unido). O número de mortes no Reino Unido aumentou significativamente desde então. Em 6 de abril de 2020, o número de mortes confirmadas por coronavírus no Reino Unido era de 5.373


O número de mortos do vírus no Reino Unido aumentou 20%, para 4.313 até sexta-feira à tarde, com 708 novas mortes registadas, informou o Ministério da Saúde.
Embora o aumento do número de mortes por dia pareça estar a abrandar em Itália, o número no Reino Unido continua a duplicar a cada dois ou três dias.
A maioria das mortes relacionadas com o vírus têm ocorrido entre pessoas com 65 anos ou mais, sendo que quase metade - 45% - destas ocorrem na faixa etária superior a 85 anos, de acordo com uma análise dos casos de Inglaterra e do País de Gales feita pelo Office of National Statistics.
Mas alguns dos que sucumbiram à COVID-19 eram jovens e não tinham problemas de saúde subjacentes.
Com 4.313 mortes de 41.903 casos registados a partir de 3 de Abril, a taxa de mortalidade de casos brutos é de 9% no Reino Unido. A taxa em Itália é de 12%, e na Alemanha de 1%.

Os peritos dizem que a realidade não está reflectida nestes números. https://www.aljazeera.com/news/2020/04/coronavirus-people-dying-uk-200403215023623.html

Mas a verdade é que, nem pelo facto de  as gripes sazonais, provocarem milhões de mortos em todo o mundo, as recomendações para a vacinação,  nem por isso são seguidas
"No geral, o CDC estima que 12.000 e 61.000 mortes anualmente desde 2010 podem ser atribuídas à gripe. Globalmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a gripe mata 290.000 a 650.000 pessoas por ano.


(,,) "A temporada de gripe deste ano está se preparando para ser possivelmente menos grave que a temporada de 2017-2018 , quando 61.000 mortes foram ligadas ao vírus. No entanto, poderia igualar ou superar as 34.200 mortes relacionadas à gripe da temporada 2018-201"


CRIEM-SE ESTRUTURAS SANITÁRIAS E EVITEM-SE IMPROVISAÇÕES - A temporada de gripe nos EUA, que ocorre de outubro a maio, mata dezenas de milhares de vidas todos os anos - A CDC estima que a influenza tenha sido associada a mais de 35,5 milhões de doenças, mais de 16,5 milhões de consultas médicas, 490.600 hospitalizações e 34.200 mortes durante a temporada de influenza 2018-2019.

Estimativas de doenças de influenza, visitas médicas, hospitalizações e mortes nos Estados Unidos - temporada de influenza 2018–2019

ACALME-SE E APRENDA A CONVIVER COM OS VÍRUS - E SÃO MUITOS - CRIEM-SE ESTRUTURAS SANITÁRIAS E EVITEM-SE IMPROVISAÇÕES - JÁ NÃO SE FALA DA MORTANDADE DA GRIPE SAZONAL - Pior que o coronavirus é o panico-viral –


Atente-se nestes dados da atividade da gripe nos Estados Unidos durante a temporada 2018–2019 - O CDC estima que a influenza tenha sido associada a mais de 35,5 milhões de doenças, mais de 16,5 milhões de consultas médicas, 490.600 hospitalizações e 34.200 mortes durante a temporada de influenza 2018-2019.

A atividade da gripe nos Estados Unidos durante a temporada 2018–2019 começou a aumentar em novembro e permaneceu em níveis altos por várias semanas durante o período de janeiro a fevereiro. 

(...)  O CDC estima que o ônus da doença durante a temporada 2018–2019 incluiu cerca de 35,5 milhões de pessoas doentes com influenza, 16,5 milhões de pessoas que procuraram um médico por sua doença, 490.600 hospitalizações e 34.200 mortes por influenzaTabela 1 ). O número de doenças associadas à influenza que ocorreram na última temporada foi semelhante ao número estimado de doenças associadas à influenza durante a temporada de influenza de 2012-2013, quando cerca de 34 milhões de pessoas tiveram doença sintomática da influenza 6 .

(..) .Estimamos que, no total, houve 490.600 hospitalizações e 34.200 mortes durante a temporada 2018-2019. Mais de 46.000 hospitalizações ocorreram em crianças (menores de 18 anos); no entanto, 57% das internações ocorreram em idosos com idade ≥ 65 anos. Os idosos também foram responsáveis ​​por 75% das mortes associadas à influenza, destacando que os idosos são particularmente vulneráveis ​​a resultados graves resultantes de uma infecção pelo vírus influenza. Estima-se que 8.100 mortes ocorreram entre adultos em idade ativa (18 a 64 anos), uma faixa etária que frequentemente apresenta baixa captação da vacina contra influenza 11
Conclusão
O CDC estima que a influenza tenha sido associada a mais de 35,5 milhões de doenças, mais de 16,5 milhões de consultas médicas, 490.600 hospitalizações e 34.200 mortes durante a temporada de influenza 2018-2019. Essa carga foi semelhante à carga estimada durante a temporada 1 da gripe de 2012-2013
pormemores em . https://www.cdc.gov/flu/about/burden/2018-2019.html

ALERTAS NO REINO UNIDO   - Recomendava-se a vacina mas nao foi tomada em conta 
Aumento nas mortes por gripe e pacientes internados no hospital disparam alerta do governo aos médicos
Thursday 12 December 2019 16:30 Quinta-feira 12 dezembro 2019 16:30
Parte superior do formulár
(...) Crianças de dois e três anos são elegíveis para a vacina contra a gripe em spray nasal através de uma cirurgia de GP, mas os números mais recentes mostram que apenas cerca de 30% das crianças de dois anos já receberam a vacina.

O Dr. Jamie Lopez Bernal, chefe da gripe da PHE, disse: “A temporada de gripe já começou e é realmente importante que as pessoas tomem a vacina o mais rápido possível para garantir que estejam protegidas contra essa doença potencialmente muito grave.
"As evidências iniciais sugerem que a vacina é uma boa combinação para a principal cepa de gripe que está circulando".



Nenhum comentário :