expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

domingo, 24 de maio de 2020

CARLOS ABREU - DIÁRIO DE UM COZINHEIRO PORTUGUÊS - LONGE DO SEU PAÍS - RESISTINDO ÀS INCERTEZAS QUE MARCAM ATUALIDADE E CONFIANTE DE QUE ESTE NÃO É O FIM MAS O PRINCIPIO DE OUTRA VIDA

JORGE TRABULO MARQUES - JORNALISTA 


Carlos  Gabriel Abreu, não se deixa vergar às incertezas e ansiedade, que percorre de lés-a-lés a grande aldeia global - "Declarou ao Inter Magazine digital, que, "Todos os dias programo as minhas tarefas para os quatro restaurantes Old Lisbon que coordeno aqui em Miami. No início de Março, a pandemia começou a fazer os seus estragos por cá com a falta de clientes e a separação de mesas com o mínimo de 1,5m. A falta de confiança começou a instalar-se facilmente entre os clientes, tal como a pandemia! No início da semana, o nosso CEO decidiu fechar os restaurantes e dispensar todo o pessoal. Entretanto, percebeu que fechar um restaurante com 30 anos e com um sucesso tão grande não era a melhor solução e então começámos a funcionar em regime take away e delivery. Deitámos as mãos à massa, sem preocupações. Afinal, essa é a génese que corre nas veias do povo português, somos conquistadores e lutadores desde há muitos séculos, sempre soubemos ultrapassar dificuldades! O vírus é mutante? Sim e nós, portugueses, também temos esse espírito de mudar e seguir em frente. Hoje, um mês depois, estamos cá com o mesmo sucesso levando à casa dos nossos clientes aquilo que nos alimenta o corpo e a alma.

Desistir não é opção na nossa área. Tenho clientes que agradecem por estarmos abertos e querem descobrir Portugal já este verão. Essas palavras enchem o nosso coração! E sabem porquê? Porque soubemos com a nossa resiliência controlar uma tragédia. Este não é o fim mas sim o princípio de outra vida, com outras oportunidades que vão surgir. Continuo a acreditar que Portugal está na moda e vai continuar a estar! Somos fortes! https://etaste.pt/gastronomia/carlos-abreu-o-diario-de-um-cozinheiro-portugues-em-miami/


REVISITANDO  LISBOA  - A encantadora cidade,  capital  que também já foi imperial, numa excursão imaginária, guiados turisticamente por este artístico video de  Afonso Brandão, com  mais um belo poema declamado ao som da guitarra portuguesa, de Euclides Cavaco - Desta Lisboa, que eu comecei a conhecer aos 12 anos - Quando por aqui vim da província, como menino escravo das antigas mercearias lisboetas - Depois de alguns anos de ausência, aqui me fixei desde 1976 e por aqui fiquei rendido ou prisioneiro, em alguns aspectos, à sua magia e ao seu feitiço, mais por resignação do que por paixão - Mas foi também a oportunidade de eu conhecer e privar , como jornalista, com muita gente interessante, em todos os sectores da sociedade - Parabéns, pois, por estes trinados e versos, tão nostálgicos e tão sentidos da nossa alma..

Nenhum comentário :