expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 4 de maio de 2020

Covid-19 e a utilidade das Frutarias orientais no pequeno comércio local - -Papel relevante no Estado de Emergência


O MEU ABRAÇO SOLIDÁRIO PARA A LOJA DESTES DOIS AMIGOS, NO CORAÇÃO DE LISBOA, NATURAIS DO NEPAL

AÇO SOLIDÁRIO PARA A LOJA DESTES DOIS AMIGOS, NO CORAÇÃO DE LISBOA, NATURAIS DO NEPAL Muitos zelosos e trabalhadores - Onde - na minha qualidade de vegetariano – me tenho abastecido de frutas e legumes a preços convidativos e de excelente qualidade, a escassa distância da rua onde eu moro, chegando mesmo a ajudarem-me a levar o “meu cabaz” de compras à porta do meu prédio, gratuitamente, enquanto eu, aos 12 anos, como marçano nesta cidade, era apenas de uns tostões de gorjeta que vivia. - Têm sido estas pequenas lojas, que têm valido aos moradores que se abastecem do chamado comércio de sítio, contrariamente ao que sucede com as grandes superfícies, com os preços bem mais caros e, algumas delas, com as suas sedes em paraísos fiscais, engrossando bolsos gananciosos, que contribuíram para o desaparecimento das pequenas mercearias e outras lojas do género , impedindo, assim, que muitos cidadãos pudessem ter uma atividade familiar rentável. e prestável , até para as finanças públicas.
Para a fotografia não quisemos ficar mascarados.



Nenhum comentário :