expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sábado, 2 de maio de 2020

Isabel Santiago – Um caso singular de mãe exemplar, devoção e mestiçagem luso-santomense – Oportuno de sublinhar em vésperas do Dia da Mãe - A "Embaixadora da Boa Vontade" que foi ler poesia de Alda Graça Espírito Santo e de Francisco José Tenreiro, descalça e nos altares dos Templos do Sol, no solstício do Verão, em 2019 e onde justificou as razões pelas quais se bate em prol das crianças e das mulheres da terra onde nasceu – Filha de mãe negra e pai português, assume a condição de “forra” nativa das Ilhas Verdes do Equador, frontais e corajosas posições nem sempre compreendidas numa sociedade que diz ser marcada por ancestrais hábitos machistas e de exagerado consumo de álcool

Jorge Trabulo Marques - Jornalista  - Autor da descoberta dos calendários pré-históricos, alinhados com as quatro estações do ano, de cujas celebrações também seu coordenador


ISABEL SANTIAGO É UM CORAÇÃO GENEROSO, VIVENDO  COM INTENSIDADE APAIXONADA O PAIS ONDE NASCEU - Tem sido uma incansável lutadora - Tal como o atestam as muitas noticias, artigos que escreveu e entrevistas que concedeu  

Depois de alguns elogios, que lhe teci – e também de algumas criticas, mas de que agora me penitencio por  me parecem terem sido injustas - sim,  depois de ponderada reflexão,  curvo-me à  generosidade da Embaixadora de Boa Vontade das CARITAS  de S. Tomé e Principe – Epíteto que lhe  foi atribuído pelo Bispo da Diocese, Dom Manuel dos Santos,  como reconhecimento pelo seu dedicado trabalho  na mobilização nas causas sociais da igreja católica.




EM TORNO DA MINHA BAÍA " 

Aqui, na areia,
Sentada à beira do cais da minha baía
do cais simbólico, dos fardos,
das malas e da chuva
caindo em torrente
sobre o cais desmantelado,
caindo em ruínas
eu queria ver à volta de mim,
nesta hora morna do entardecer
no mormaço tropical
desta terra de África
à beira do cais a desfazer-se em ruínas,
abrigados por um toldo movediço
uma legião de cabecinhas pequenas,
à roda de mim,
num voo magistral em torno do mundo
desenhando na areia
a senda de todos os destinos
pintando na grande tela da vida
uma história bela
para os homens de todas as terras
ciciando em coro, canções melodiosas
numa toada universal
num cortejo gigante de humana poesia
na mais bela de todas as lições
HUMANIDADE.

Alda Graça Espírito santo

Rostos infantis alegres e lindos  muito queridos mas também muito carentes de vestuário, de medicamentos, onde o que lhes vai valendo  é o prodígio de uma natureza fértil e generosa 


São Tomé e Príncipe tem uma população extremamente jovem: 52% tem menos de 20 anos 80% das crianças são vítimas de violência psicológica e emocional como método disciplinar (10% das quais sofrem punições severas). – Diz UNICEF

De acordo com a abordagem multidimensional 70,4% das crianças são consideradas pobres, sendo que as dimensões em que são mais privadas dos seus direitos são a Protecção e o Saneamento.

Com o autor deste site


A gravidez precoce e o casamento precoce são comuns. Em 2017, 16% das meninas entre os 15 e os 19 anos já tinham tido um parto, 5% estavam grávidas do primeiro filho e quase 1% teve um nado-vivo antes dos 15 anos.

É cada vez mais evidente que a gravidez precoce tem vindo a aumentar no país e constitui uma das principais problemáticas sociais que as adolescentes enfrentam. Contribui ainda para o abandono escolar, um baixo nível de escolaridade, a dificuldade de se desenvolverem, conseguirem melhores oportunidades e atingirem o seu potencial máximo. – Disse um relatório, em julho passado,   da UNICEF Portugal, a propósito  de um donativo de 109.690€, da ALLIANZ Portugal para desenvolver projectos de protecção infantil, em São Tomé e Príncipe. https://unicef.pt/actualidade/noticias/parceria-allianz/





O enorme penedo está orientado no sentido nascente-poente e possui uma gruta em forma de semi-arco, com cerca da 4,5 metros de comprimento, que é iluminada no seu eixo no momento em que o Sol se ergue no horizonte, proporcionando uma imagem invulgar


Na verdade, sítios há que são uma tentação, um verdadeiro centro de emanações e de eflúvios, propensos ao deleite, ao esquecimento e à sublimação. Muitas destes espaços graníticos, são um permanente convite, áurea unção e arroubamento aos sentidos.



Quis um feliz caso, que eu pudesse ser o privilegiado dessa fabulosa descoberta, em 2001, tal como a dos monumentos megalíticos que se seguiram, especialmente o da Pedra do Solstício, mercê de continuada investigação, este alinhado com o solstício do Verão, junto do qual, graças a algumas boas vontades, têm decorrido outras celebrações.



Pedra do Sol, aldeia de Chãs, V.N de Foz Côa - Esta extraordinária imagem, configurando uma gigantesca esfera terrestre ou a esplendorosa configuração de um enorme globo solar projectando os seus dourados raios, a poente, registada, pela primeira vez, cerca das 20.45 horas do dia 21 de Junho de 2003, poderá contemplar-se, uma vez mais e à mesma hora, caso as condições atmosféricas o permitam., ao pôr-do-sol, do solsticio do Verão,  numa cerimónia mistica evocando sacrifícios e rituais celtas, junto ao antiquíssimo altar de pedra localizado no patamar da vertente rochosa de uma zona castreja. E a leitura de poemas alusivas à estação estival de poetas da região, nacionais ou estrangeiros.



Isabel Santiago, foi uma das simpáticas presenças nas celebrações, no primeiro dia do verão, de 21 de Junho, o ano passado, cujo evento hoje quis voltar a sublinhar e a recordar, trazendo em video, outros pormenores que então não tive oportunidade de divulgar,  nomeadamente dos momentos poéticos que ali foram calorosamente declamados por Isabel  Santiago, da poesia santomense, aliás,  também ela autora de belos poemas, num livro, sob o título “Jaca em Escamas”, bem como das explicações que ali apresentou das suas preocupações da vida difícil das mulheres da sua terra e dos seus filhos., cuja abordagem quero  aproveitar para focar em vésperas de se  comemorar o dia da mãe. 


Do autor deste site
Recorde-se que, Isabel Santiago, tida também como a  da mulher dos sete ofícios –  em direito, na  política,  saúde e comunicação social, além de  professora e investigadora universitária, designadamente no Instituto de Medicina Preventiva e Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa,  onde apresentou um estudo apontando para o excesso de consumo de álcool e drogas em jovens santomenses e seus pais, habito este, que, em sua opinião,  constitui uma séria ameaça à saúde pública das crianças”,  tendo originado acesa polémica e até com o Governo anunciar uma queixa-crime contra a investigadora,  no entanto,  pelo que depreendemos, quando ali  se referiu a este grave problema, o consumo de álcool, não tem apenas a ver com o proveniente de bebidas alcoólicas de embalagens comerciais mas também ao que é ingerido sob  outras formas, sobretudo do chamado vinho de palma, hábito muito enraizado nas ilhas,  que é consumido, em ambas as ilhas,  como quem bebe água da fonte e que nem por isso deixa de ser nocivo.

Isabel, que, no local se fez acompanhar, na companhia de seu marido, aproveitou também para recordar o nome dos seus pais e as suas origens, bem como ser mãe de três filhos, Francisca, Constança e Joaquim.


HOMENAGEM  AO POETA SANTOMENSE FRANCISCO JOSÉ TENREIRO  NO ALTAR DA PEDRA DOS POETAS  - POR ISABEL SANTIAGO   





Poema de Francisco José Tenreiro, lido no  altar da Pedra dos Poetas por Isabel Santiago, a Embaixadora de Boa Vontade, Santomenses, que participou nas celebrações do Solstício do Verão, juntamente com o seu marido – Tendo lido também, outro poema de Alda Espirito Santo e Francisco José Tenreiro – Esta foi uma das belas surpresas, entre outras,  daquela primeira tarde do dia mais longo do ano 

POENTE  - Poema de Francisco José Tenreiro -Foto de Renato Sena Santos

Envolve-se pudicamente o sol, nos lençóis do mar
e súbito vem a noite. Muito súbito e muito rápido.
Logo no céu de cabelos revolta a lua nasce
banhando de sossego a cidade  escaldada
donde se evolam os fumozinhos da humanidade.

Das mangueiras nascem  morcegos de vigília:
poetas mamíferos a quem a noite dá asas
acompanhado de sonhos o poeta das insónias.

E a cidade  adormece para o vício  e para o amor! 


Isabel de Santiago, professora universitária,  designada  como Embaixadora de Boa Vontade e missão das Caritas”, pela sua envolvência na mobilização de doações e projectos sociais visando potenciar causas sociais da Igreja Católica em São Tomé e Príncipe. Nasceu em São Tomé e Príncipe, onde tem concretizado vários projetos de desenvolvimento social. Mãe de 3 filhos: Francisca, Constança e Joaquim. Licenciatura em Relações Internacionais. várias empresas nas áreas de consultoria estratégica e de saúde


Mãe de 3 filhos: Francisca, Constança e Joaquim.

Nasceu em São Tomé e Príncipe, na cidade de São Tomé, a 10 de Março de 1971.Licenciatura em Relações Internacionais. Pós-graduação em Liderança em Saúde do INSEAD. Mestre com menção especial pela Universidade Complutense de Madrid. Docente livre e investigadora no Instituto de Medicina Preventiva nas áreas de Comunicação em Saúde na Faculdade de Medicina de Lisboa. Directora institucional na ValorHospital (grupo SUCH) e consultora de várias empresas nas áreas de consultoria estratégica e de saúde.

PEDRAS QUE NÃO SÃO APENAS PEDRAS - TÊM HISTÓRIA E TRANSMITEM ENERGIA - SITUAM-SE EM LUGARES ESPECIAIS DA TERRA, TAL COMO O TRIÂNGULO DE FÁTIMA, SÃO LOCAIS DE CURA -

Os calendários solares,  ali existentes, fazem parte dos chamados alinhamentos sagrados, com a mesma orientação de muitas igrejas da antiguidade, ou,  recuando ainda mais no tempo, tal como outros observatórios pré-históricos, que ainda perduram em várias partes do mundo - São locais de cura, atravessados por  linhas ou energias geodésicas  especiais, que os saberes e a experiência de antigas civilizações, que viviam em estreita ligação com a Natureza, escolheram para seu benefício próprio e, ali,  se dirigirem às suas divindades. De referir que as duas vertentes do vale são atravessadas pela falha sísmica do “graben" de Longroiva, nome de antiga vila de origem celta ,a que a freguesia de Chãs, já pertenceu, e  onde existe uma das mais antigas estâncias termais do país.

TOM GRAVES, AUTOR DO LIVRO AGULHAS DE PEDRA – A ACUMPUCLTURA DA TERRA – JÁ ESTEVE NOS TEMPLOS DO SOL



Deslocou-se da Austrália, expressamente para estudar os dois alinhamentos. E concluiu que ambos os monumentos se se situam em sítios para onde convergem vários veios de água. Graves, defende que os lugares sagrados são centros para os quais muitas das linhas de água convergem umas com as outras e também com os centros padrões de linhas acima do solo, à semelhança do que acontece com as artérias do corpo humano.


Há algo predestinado na vida dos homens e dos povos - Umas vezes para o bem e outras para o mal - Se Hitler não tivesse nascido, decerto que milhões de vidas teriam sido poupadas na Europa - O mesmo se pode aplicar ao próprio Salazar - Evitou que Portugal entrasse na segunda guerra mundial - pelo menos de forma directa - mas empurrou-nos para o pesadelo de uma longa guerra colonial . Acredito, pois, que há homens diabólicos e outros providenciais. Claro que, mesmo estes têm os seus defeitos: não existe ninguém que não tenha o seu lado bom e o seu lado mau - Defeitos e virtudes - O mau é quando são mais os defeitos do que as qualidades - Vem isto a propósito da feliz circunstancia de, apesar dos vestígios arqueológicos dos Tambores (incluindo os seus Templos Solares), não terem sido estudados por muitos investigadores, pelo menos, mereceram atenção dos mais qualificados nas diferentes áreas de saber . E, de facto, quem havia de imaginar que, depois de um dos mais famosos especialistas internacionais em Radiestesia,surgiria um outro mago (dir-se-ia da mesma craveira) sobre a decifração dos segredos que nos legaram os homens da era da pedra. - Não usa a técnica da varinha do vedor mas um apuradíssimo sentido de observação. E o mais curioso é que, mesmo sem se conhecerem, analisando os estudos de um e do outro, até parece que andaram por lá juntos - Constato, pois, com agradável surpresa que as pedras que chamaram atenção de Albano Chaves, também já haviam despertado a curiosidade de Tom Graves - E, outro dado em comum: ambos se serviram dos GPS. Tom Graves teve a gentileza de me enviar as suas fotografias, devidamente assinaladas - Conto noutra oportunidade vir aqui a divulgá-las - Mas, para já, não perca o minucioso e brilhante estudo que nos proporcionou Albano Chaves. - Siga os seus passos através das explicações, gráficos e imagens, que não vai dar por perdido o seu tempo - Sobretudo se for um interessado pela jornada civilizacional da Humanidade.

A pedra intacta e a nascente: coubera-lhes o mistério da fundação do mundo, no primeiro dia os anjos. E ao seu gesto se ordenaram os ventos, pelo fogo invisível e o bastão rasgaram os caminhos dos condutores de povos e dos reis, preparação amorosa das sombras. No poder da pedra e da nascente os círculos sagrados e as árvores e os lugares terríveis das batalhas. A Terra aguardava, Inverno e solidão do Sol.”


    Sim, sítios há em que a natureza fala e é benéfica, edifica as suas cúpulas e consagra os seus templos ao Grande Espírito Universal; noutros, pelo contrário, é muda e hostil, avara e maléfica. Aquelas pedras, a que me refiro, são um prodígio de generosidade! Autêntico milagre do inanimado silencioso para o animado vibrátil e etéreo musical. Que, as aves, tão bem entendem e conhecem! Pois, quantas vezes, não são atraídas pelo misterioso fascínio e musicalidade dessas mesmas pedras! E para quê?... Apenas para repousarem, fazerem, ali, os seus ninhos, e se protegerem dos depredadores?  Ou, por exemplo, ali pousarem ainda, porque a intuição as chama por uma razão mais profunda e misteriosa?!... Eu inclino-me, também, para esta segunda hipótese: Ou seja, para que, em total afinidade e compreensão com a linguagem das pedras, e pousando, naturalmente, nas  faces  esculturais ou nos traços ainda disformes de algumas das rústicas e rugosas arestas, os ácidos dos seus excrementos, as possam ajudar a  polir as caprichosas formas, tão expressivas, sublimares e espirituais! - Tal como o fazem os ventos, as chuvas e o raio, de molde a perpetuar-lhes e aperfeiçoar-lhes, essas suas, tão  inacreditáveis fisionomias, que tantas vezes exteriorizam, ou as magnificentes catedrais, que denotam revelar, até  no interior das mais singelas grutas, e pontos do mais inacessível acesso.

Sim, ó bustos vivos do mundo aparentemente mudo e apagado!


Estranhos morros, que, à primeira vista, mais lembram terra de ninguém, parda e erma paisagem de um qualquer pedaço lunar. Porém, estamos certos de que não haverá ninguém que, ao pisar o milenar musgo ressequido destas tisnadas fragas, ao inebriar-se com os seus bálsamos, as subtis fragrâncias que evoluem das giestas, das ervas e pedras, volvendo o olhar em torno dos vastos horizontes que se rasgam por largos espaços, fique indiferente ao telúrico pulsar, à cósmica configuração e representação divina, que ressalta em cada fraguedo ou ermo penhasco - 



Este é, pois, o fim de um extenso reino terrestre (conhecido pela meseta ibérica) que atravessa a fronteira de Espanha e vem perder-se aqui, numa autêntica fortaleza amuralha, apontada a Norte, configurando a proa de um autêntico navio fantasma, recheado na sua coberta e nalguns dos seus flancos, das mais caprichosas formas rochosas, mas absolutamente bloqueado pela acção poderosíssima dos sedimentos xistosos, metamórficos que, as convulsões mais fundas e primevas do interior da terra, trouxeram à superfície, com a nudez dos seus mais alcantilados montes e fundos vales, onde a acção modeladora dos milénios e o trabalho hercúleo do homem, tem feito verdadeiras obras primas! - Esse é o Douro vinhateiro, o Reino Maravilhoso, mitificado e idolatrado pelas raízes e vivência, observação e sensibilidade excepcional de Miguel Torga. E esta é, também, uma das fronteiras naturais, onde dois mundos geográficos e geológicos, confluem, cada qual cioso das suas riquezas , das suas peculiaridades e maravilhas





Nascida em Abril de 1926, Alda Espírito Santo, também conhecida por Alda Graça, foi educada em Portugal e é uma figura emblemática da luta pela independência de São Tomé e Príncipe. Foi pela causa nacionalista que interrompeu os estudos universitários. Depois da independência, manteve-se como destacada figura política, desempenhando cargos de ministra (Educação, Cultura e Informação), de deputada e de presidente da Assembleia Municipal. Foi ainda presidente do Fórum das Mulheres são-tomenses e da União de Escritores e Artistas do país. https://www.dn.pt/…/alda-espirito-santo-era-a-voz-feminina-…








Francisco José Tenreiro, nasceu na Roça Boa Entrada, a 20 de Janeiro de 1921. Fazia anos no mesmo dia do mês em que eu mais tarde nasci e faleceu na madrugada de 31 de Dezembro de 1963, dois meses depois de eu ter desembarcado na sua Ilha de Nome Santo. .  Se fosse vivo, teria 93 anos. Presumo que ainda vivam muitos são-tomenses com a sua idade e lúcido



Nenhum comentário :