expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

sexta-feira, 5 de junho de 2020

Ex-Presidente Santomense, Manuel Pinto da Costa - Recorda o encontro histórico com Mao Tse Tung, dois dias antes da sua morte - E que "a libertação toda, foi ajudada pela China!... Frisando que "os movimentos de libertação, foram classificados erradamente de comunistas! - Diz que Taiwan esteve cá durante 20 anos!.. Portanto, não podemos ser ingratos!... Temos que reconhecer que os homens ajudaram o nosso país". - Mas se quiserem vir - Perguntámos-lhe: Se houver gente ou homens de negócios de Taiwan que queiram investir, aqui!... Muito bem!... Mas o nosso principio é reconhecer só uma China!

JORGE TRABULO MARQUES  -  JORNALISTA -  Excertos da entrevista ao ex-Residente da República Democrática de São Tomé e Principe . Manuel Pinto da  Costa -  Que me concedeu, em sua residência, -  Que continua perfeitamente  atual – Em Maio do ano passado, fomos um dos convidados pela Associação de Jornalistas de STP, a participar no  Dia Mundial da Liberdade da Imprensa. Tendo aproveitado a oportunidade para, nos dez dias em que ali estivemos,  fazer várias entrevistas, que temos estado a editar  –  Entre as quais, a dois ex-Presidentes, Fradique Menezes e Manuel Pinto da Costa  
Depois da citação que fizemos na postagem do passado dia 29,  em http://www.odisseiasnosmares.com/2020/05/ex-presidente-manuel-pinto-da-costa-o.html - temos o prazer de aqui lhe  oferecer  outras passagens, sendo nossa intenção vir a divulgar num dos próximo dias e na íntegra,  o video das suas declarações  





MANUEL PINTO DA COSTA -  E AS IMPRESSÕES QUE LHE DEIXOU MAO TSE TUNG - DOIS DIAS ANTES DA SUA MORTE - Tendo sido depois o único Chefe de estado, estrangeiro, a participar nas cerimónias fúnebres do grande líder da Revolução Chinesa - Concorda que STP possa ter relações comerciais com Taiwan,conquanto reconheçam a China como única Nação - Antes de lhe oferecer o  video da extensa mas muito interessante entrevista que me concedeu, na sua residência, há um ano, aqui lhe revelo  algumas das suas declarações

Manuel Pinto da Costa,  sem dúvida, a mais prestigiada  e carismática figura histórica do MLSTP, um dos mais distintos heróis da  fundação da pátria santomense,-  A dada altura, ao abordar o encontro com o grande timoneiro da revolução chinesa, aponta-me o retrato, que tem sobre uma mesinha ao lado da sua secretária


Há noticias que dão conta desse  encontro histórico,  com o pai fundador da República Popular da China (RPC), em Dezembro de 1975, porém,  tal como refere  a legenda postada na imagem num site onde figuram as personalidades recebidas pelo líder da Revolução Chinesa, a foto  é datada em 1976 -  Justamente, na  altura em realizava uma segunda visita à RPC   - Ou seja, no ano em que faleceu, Mao Tse Tung. 9 de Setembro de 1976,  que governou como presidente do Partido Comunista da China desde a sua criação em 1949 até à sua morte em 1976.


Com o Presidente Jorge Fonseca, Julho 2015
De facto, a primeira visita oficial de Manuel Pinto da Costa à RPC, decorreu   de 21 a 25 de Dezembro de 1975,  acompanhado  com três ministros, após o que se dirigiu, com a sua comitiva,  para a   República Popular Democrática da Coreia, onde foi recebido, em  Pyongyang, 26 de Dezembro de 1975 pelo então  Presidente Kim Il Sung, Kim Il Sung, Secretário-Geral do Comité Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia e Presidente da República Popular Democrática da Coreia, tendo sido obsequiado por um grande banquete no Auditório Mansudae, em Pyongyang

Apesar de São Tomé e Príncipe não ter relações diplomáticas com a RPC, em junho de 2014,  O então Presidente, Manuel Pinto da Costa, esteve em Pequim e em Xangai, numa “visita de caráter privado”.

Considerada, então,  uma engenharia protocolar e diplomática invulgar, mas a carreira de Manuel Pinto da Costa também não é muito comum e, no fundo, ele ainda será visto em Pequim como “um velho amigo da China



 
–A dado passo da entrevista, Manuel Pinto da Costa, aponta-me o retrato do grande líder da revolução Chinesa,  exposto  sobre uma mesinha, ao lado da sua secretária, dizendo:

MPC -  Está ali!... 
JTM – Pouco antes de ele morrer?!...
MPC – Uns dois dias, antes de ele morrer!... Eu fui o único Chefe de Estado a participar nas cerimónias fúnebres!... Ele é que me ofereceu este retrato,
JTM – E, então, que diferença é que acha  hoje, capitalismo do Estado! Na altura, havia o socialismo!... Há uma diferença grande!... Não nota?! - E, sorrindo, diz-me:

Cumprimentando o Embaixador da Guiné Equatorial
A China é o capitalismo de Estado... Uma grande potência!...
JTM – Capitalista!...
MPC – Sim!
JTM – Há uma grande diferença ideológica, não acha?... – Sorrindo, responde, sublinhando com as mãos:
MPC – :  (........)quando se operou esta mudança, dizia-se: “o que é que interessa pôr no caco, se esse caco levanta?!...”
A China é uma potência, que, dentro dos próximos 10, 20 anos, poderá vir a ser a primeira potência mundial!

A China de hoje, é muito diferente da China de Mao  Tse Tung, a quem lhe apertou as mãos, dois dias antes  de morrer!...
MPC – Claro...
JTM – E, então, qual a impressão que, Manuel Pinto da Costa, teve antes de morrer, dessa figura mítica!... Com que impressão é que ficou dele?..
 MPC – Puxa!... Era um dos grandes!... Um dos grandes líderes!..
.
JTM – Ele foi afetuoso para consigo?!...
MPC – Sim!...
JTM – Deu-lhe algumas palavras?
MPC – Não. O que aconteceu, naquela altura: é que, quase já não se percebia o que ele dizia: tinha três intérpretes...
JTM – Tinha dificuldades!...
MPC – Muitas!... Mas ele fez questão de me receber!.... No fundo, para demonstrar ao mundo que o Estado é para a grandeza!... O Estado é Estado!... Pequeno  (STP) mas era um Estado!

Agosto 2015

 
– Mas a China ajudou os povos na Libertação!...
MPC – Sim, a libertação toda, foi ajudada pela China!... Mas, repare: os movimentos de libertação, que depois foram classificados como comunistas! Erradamente!...
Naquela altura, os Movimentos de libertação, por exemplo, das colónias portuguesas, foram apoiados pelos Partidos Socialistas!... A maior parte dos países ocidentais, classificavam  os movimentos, como movimentos terroristas!... Porque eram membros da Nato!... Que consideravam os Movimentos de Libertação, como movimentos terroristas!... E era importante, que apoiassem Portugal!....
E nós precisávamos de apoios para a nossa Libertação!...  Mesmo que tivéssemos que ir ao Inferno, nós iríamos!

Novembro 2014
 – Teriam necessidade desse apoio!...
Presidente, Manuel Pinto da Costa, gostava de saber a sua opinião:  quando me deu a honra e o prazer de me receber no morro da Trindade (na residência oficial da PR) falou-me daquele exemplo magnifico de haver aqui duas Chinas, que conviviam pacificamente e agora já não há esse caso: o que é que lhe  pareceu isso? Coloquei-lhe a questão de haver aqui  Taiwan e a China: como é que um pequeno pais consegue conciliar duas Chinas?... Gostava de saber a sua opinião e se isso já acabou?
MPC – Quem  estabelece as relações com Taiwan, foi em 1997, através do Presidente Miguel Trovoada!
JTM – E afastaram a China!
MPC – Entretanto, em 2011, nós dissemos: não podemos estar de costas para com a China!... Além disso, a China nos ajudou no processo de libertação!... Portanto, o mundo de 97 não é igual ao mundo de ontem e de hoje!... Se, em 1997, não era possível,  ter a China e o Taiwan, em 2011, o mundo era outro!... Portanto, podemos ter relações com a China, sem cortar com Taiwan, mas  reconhecendo sempre que só há uma China!...Os problemas depois, da união ou não união, são internos!... E tudo o que nós pudermos fazer para haver um maior entendimento, entre as duas partes, faremos!...

 – Então acha que, São Tomé e Principe, reconhece a China, como único país, mas Taiwan retirou-se,  acha Taiwan podia vir colaborar mas noutra perspetiva
?
MPC – Eu estive na China, em 2013!
JTM -  Eu sei!... Esteve lá e levou empresários!... E queria aproximar!
MPC  - Houve um acordo, assinado até!... Pela primeira vez a China aceitou assinar um acordo, com uma Fundação,que é a minha,  que permitia abrir espaços para a cooperação, sem reconhecimento das relações diplomáticas.
Em 2014/2015, ganha a ADI e o Governo ADI é que tomou a decisão de cortar as relações diplomáticas, com  Taiwan!...

JTM – Não devia ter cortado..
Taiwan esteve cá durante 20 anos!.. Portanto, não podemos ser ingratos!... Temos que reconhecer que os homens ajudaram o nosso país.
JTM – Dizem que eles gostariam de voltar.
MPC -  Eu não tenho essa informação  se querem voltar ou não.
JTM – Mas acha, que, desde que  não interferissem na politica interna da China...
MPC  -Homens de negócios, é outra coisa...
 O Presidente Taiwanese,  esteve cá, eu disse-lhe o seguinte: tanto eu, como você, reconhecemos que só há uma China!... Ele próprio...
JTM – Achava que...
MPC – Ele, co-habitante! Defende só uma China! – Diz erguendo o dedo!
JTM – Há,  portanto, gente, em Taiwan, que defende uma única china!
 JMC – O partido do Presidente da República, é o partido de Chiang Kai-shek!...
E Chiang Kai-shek, sempre reconheceu  que só há uma china, não há duas!... Só que,  ele esperava reunificar a China no regime capitalista, enquanto,   Mao Tse Tung, era no regime socialista!... Portanto, a diferença, só existe nisso!

JTM – Ele podem vir! Desde que reconheçam a China!
MPC – Repare: o fluxo entre a China e a Taiwan tem aumentado consideravelmente!...
Acontece, que, um dos maiores parceiros, de Taiwan, naquela zona  é a China!... Na zona económica exclusiva da China, um dos maiores edifícios é de Taiwan!
JTM – Meu caro Presidente!... Taiwan, neste momento, está afastado?..
MPC  - Está afastado!....

JTM – Então acha, que, Jorge Bom Jesus, devia fazer diligências para que, pelo menos empresários, pudessem dar o seu contributo, a sua experiência!...
MPC – Eu não sei ainda qual é a ideia de Jorge Bom Jesus...
JTM – Mas, se  tivesse que lhe dar a sua opinião, qual seria?
MPC – Se houver gente ou  homens de negócios  de Taiwan que queiram investir, aqui!... Muito bem!... Mas o nosso principio é reconhecer só uma China!
JTM – Se quiserem colaborar noutros negócios ou até noutros projetos!...
MPC – Venham homens de negócios! Estamos abertos a isso!

 – Uma boa expressão: recordo que, na casa Internacional de STP, em Lisboa, havia lá alguns chineses – estava lá o Wang, que é um amigo meu! E estava lá também o representante de Taiwan – Ele estava preocupado, quando o Presidente foi á China, convencido de que afastassem Taiwan: bom, o importante é que, STP, deve-se abrir ao mundo e deve reconhecer a China, como um único país.
E acha, que a China, atualmente,  que já não é a China de Mao Tse Tung!... É uma China capitalista.

MPC  -Repare:  Os países atuam em função dos seus interesses pessoais!...Cabe a nós saber quais são os nossos interesses. E, em função disso, saber defender o exato  E, reforçando a suas palavras, com gestos das mãos e dos abraços, acrescentava: “Ganha tu! Ganho eu! Mas tem que se  saber impor o jogo.
JTM – Patrice Trovoada, dizia  que ninguém dá nada sem receber!
MPC – Mas é normal!... Ninguém dá nada sem receber!... Isso não existe!.. Por esmola?!..

JTM – Portanto, STP, deve é saber gerir e saber negociar! E saber defender-se e saber fiscalizar as suas águas: olhe, já agora aqui um aparte: eu estive nas Neves, a contatar com pescadores: falei com vários pescadores  e , um deles, diz-me o seguinte: sr. Jorge! Nós vamos para o mar! Andamos por lá várias horas e chegámos aqui sem peixe!... Foi todo varrido!     
MPC- A  União Europeia anda por aí!... O mais importante é termos o controlo!
JTM – A  fiscalização!
MPC – Sem fiscalização, não podemos calcular o aquilo que é retirado das nossas águas.
JTM – Ainda agora estive a falar com um empresário português, que é seu vizinho, que é o Carlos Lixa, que mora aqui perto, a dizer-me exatamente: convém que haja em STP, uma fiscalização nas suas águas, porque, os pescadores, e ele próprio viu,   a fazerem cerco, a varrerem com a nossa pesca.

MPC – Sim, sem fiscalização, não vamos a lado nenhum

Manuel Pinto da Costa nasceu no distrito de Água Grande, em São Tomé, em 5 de Agosto de 1937. Formado, em economia,  na Alemanha Oriental, participou no Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe (MLSTP) que conquistou a independência nacional e tornou-se no primeiro Presidente do país. Exerceu o cargo entre 12 de Julho de 1975 e 4 de Março de 1991
Educado na Alemanha Oriental, língua que domina fluentemente, dominando . Até o início dos anos 90, o MLSTP manteve extensas relações com Angola e com o MPLA, tendo o próprio Pinto da Costa mantido um relacionamento amigável com José Eduardo dos Santos, o Presidente de Angola, estendendo-se até quando ambos eram homens jovens

A 31 de Agosto de 1986 foi agraciado com o Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal, galardão dirigido a quem tenha prestado serviços relevantes a Portugal, no país ou no estrangeiro, ou serviços na expansão da cultura portuguesa, da sua história e dos seus valores. Em 1991, com a abertura do país ao pluripartidarismo, retira-se da vida política activa, voltando cinco anos mais tarde, em 1996, para se candidatar ao cargo de Presidente da República. Perdeu nas urnas para o seu companheiro de universidade Miguel Trovoada, por uma pequena margem de votos.
Reconhecendo a fraude, mas para evitar uma situação conflituosa,. Pinto da Costa não contestou a eleição e, em vez disso, anunciou que se aposentaria da política
Entretanto,   em 2001, pressionado por membro do seu Partido, Pinto da Costa voltou a concorrer às eleições  de 2001, contra a candidatura de  Fradique de Menezes, apoiada pelos Trovoadas
Nas eleições presidenciais de julho de 2011, ele concorreu como independente. Ele obteve o maior número de votos no primeiro turno, mas não obteve a maioria necessária. No segundo turno, em 7 de agosto, ele derrotou o rival Evaristo Carvalho da Ação Democrática Independente (ADI), do partido no poder, com 53% dos votos


Nas eleições de Agosto de 2016, Manuel Pinto da Costa, apresenta a sua desistência da  2ª volta, jjunto ao Supremo Tribunal de Justiça e Tribunal Constitucional.  – Em declrações ao Jornal de Angola, na sua residência oficial, na cidade de Trindade, Pinto da Costa,  afirmou, que,  “as anomalias foram enormes! Fiz a primeira volta e depois desisti da segunda volta… Só quem conhece a minha trajectória poderá entender o porquê dessa desistência. O processo de abertura democrática em São Tomé e Príncipe iniciou em 1985, no seio do próprio MLSTP. Tivemos um regime monopartidário. Aliás, em toda a África era assim! A partir de 1985 começámos a evoluir. O Estado são-tomense era o super-proprietário. O Presidente da República era, na altura, o Chefe de Estado, presidente do Governo, comandante em chefe das Forças Armadas… Estava tudo concentrado numa figura. Mas aquilo não foi uma invenção nossa. Era do momento. Todos os países africanos tinham isso. https://ivairs.wordpress.com/201

A TRIBO TROVOADA, AVESSA  À COOPERAÇÃO DE S. TOMÉ COM A CHINA -  DEPOIS DO CHUTO A CAMBALHOTA 

Manuel Pinto da Costa e Miguel Trovoada - 1975

Os Trovoadas, não viram com bons olhos que, Manuel Pinto da Costa, pudesse trazer a China de volta, de tal modo que, o então PM, Patrice Trovoada,  até chegou a torpedear um projeto do Governo, afeto ao MLSTP-PSD.  

Veja-se um dos exemplos: " 01/10/2014 A empresa chinesa Guangxi Hidroeclectric Contruction Bureau, ganhou o concurso público aberto pelo Governo são-tomense para a construção da Nova Cidade de São Tomé. (…) Na mesma cerimónia foi lançada a primeira pedra, pelo Ministro da Defesa e Ordem Interna Óscar Sousa em substituição do Primeiro Ministro Gabriel Costa Empresa chinesa Guangxi constrói a nova cidade de São Tomé | Téla ...

Mas depois o Governo de Trovoada, não deu andamento: 14/10/2015  O projecto de prolongamento da cidade de São Tomé, cuja primeira pedra foi lançada em Outubro último recebeu o sinal de STOP do Primeiro-ministro Patrice Trovoada

«Nossa cidade precisa de muito cuidado e muita atenção. Daí penso que uma nova cidade não é prioridade», declarou o Primeiro-ministro, numa conversa com 3 jornalistas integrantes de um novo Programa da TVS. Patrice Trovoada chumba projecto da nova cidade de São Tomé e ...



De recordar, que, na visita que, Manuel Pinto da Costa, efetuou à China, em Junho de 2014
, chegaram-se a colocar dúvidas se Taipé iria ou não ser afastado em favor de Pequim – Pessoalmente testemunhei essa preocupação pelo representante deste país, em Lisboa, porém, tal erro não foi cometido; bem pelo contrário, STP alcançou um brilharete diplomático: uma vez que, já no ano anterior, uma delegação governamental santomnse se havia deslocado àquele  país, conseguindo que a China estabelecesse  uma missão comercial em STP, tornando-se o primeiro dos quatro aliados diplomáticos de Taiwan em África a ter uma missão comercial chinesa. Pouco tempo depois, a Gâmbia rompeu abruptamente os laços com Taiwan. Sao Tome head to visit China: MOFA - Taipei Times

Nenhum comentário :