expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Brasil: Destituição de Dilma Rousseff, aprovada pela Câmara dos Deputados, em processo que decorreu em ambiente de inflamada gritaria, que vai agora transitar para o Senado

Destituição de Dilma Rousseff, aprovada pela Câmara dos Deputados, que vai agora transitar para o Senado – No vídeo o preciso momento em que a oposição completava 342 votos para fazer passar o seu pedido de impeachment- Aclamado por entre palavras de insultos, eufóricos gritos, de provocações, crispação e muito ódio – Então levado ainda mais ao rubro do que já vinha decorrendo por cada declaração individual.

Creio que não vai ser tão cedo que a maravilhosa terra brasileira e o seu povo, logre benefício algum com esta comédia politico-carnavalesca - Que mostra mais extremismos e sentimentos de soberba intolerância de que apelos à serenidade, mais divisões extremas de que possíveis esforços e acenos ao interesse coletivo, à reconstrução de um país, que também não logrou escapar aos tentáculos da crise provocada pelo avanço do liberalismo selvagem a nível planetário - Para o qual não há curas milagrosas ou soluções à vista - a curto ou médio prazo - sem a união de esforços e um cerrado dizer não ao seu desregulado e afrontoso expansionismo.

Sim, imagem televisiva de um cenário surreal e inflamadíssimo, de uma gritaria e barulheira de loucos, que continuamente emergia num hemiciclo parlamentar, transformado numa confusa e amontoada desordem, onde quem não alinhasse pelo tom principal da orquestra era imediatamente abafado na sua voz e até vaiado e empurrado - Espelho de um autoritarismo arrogante, de quem tem a barriga farta, que, certamente, vai fazer ainda mais ruído e estragos lá fora, gerar muito mais confusão nas ruas, pelos de barriga vazia, de que naquela desvairada e burguesa arena.



Sentado frente ao meu televisor, em minha casa, mais curioso de analisar as inflamadas declarações de que o desfecho, confesso, que fiquei profundamente desiludido, ante aquele desfilar de oratórias ensaiadas e encrespadas em jeito de comédia teatral ou até mesmo ditas espontaneamente ao sabor de um quase primário instinto, questionando-me com esta elementar pergunta; - Como é possível que se apele a Deus, se façam evocações bíblicas e aos valores da família e da democracia e da liberdade, em rostos tão turbulentos e crispados! Misturadas com reações tão intolerantes e odiosas? - Que quando o deputado, que optasse pelo voto contrário - à contra-corrente da maioria - era quase silenciado e trucidado!

Não se compreende que a votação tivesse decorrido,sem ao menos o mínimo de espaço - para cada um expressar livremente o seu voto - à vontade, sem constrangimentos e afectação - Ou será que seria esta a encenação previamente já estudada por quem liderava o processo?!... Provavelmente, numa câmara dominada por tão avassalador domínio, deveria ser o cenário que se pretenderia que sucedesse

É sabido o tradicional temperamento exaltante e comunicativo dos brasileiros – que não é por acaso o país do carnaval! – no entanto, longe de imaginar que a crispação e o extremismo verbal pudesse atingir as raias de tão destemperado, incendiado e absurdo espetáculo, no interior de uma câmara de deputados, com reações que nem nas bancadas de um estádio de futebol, entre os mais intolerantes adversários – Imagens transmitidas para os milhões de espetadores do Brasil e para todo o mundo! – Sim, e ao vê-las - em silêncio expectante, desiludido e analítico, me faziam lembrar as tresloucadas cenas dos antigos jogos romanos; dos cristãos atirados às ferras no coliseu de Roma de que um lugar onde devia estar representado o escol democrático, tolerante e pensador de uma Grande e Civilizada Nação - Claro que a política é assim mesmo: - por natureza calorosa e inflamada - mas tanto não: - pelos vistos, em tão desordenada barafunda, gritaria, invasão e confusão, só faltou o pugilato, que, se não foi de atos, foi de gestos e de palavras


Referem as notícias desta manhã, que, “Para Dilma Rousseff ser destituída nesse julgamento final, dois terços (54) dos 81 senadores terão de dizer que sim. Se assim for, ficará impedida de desempenhar cargos públicos durante oito anos, assumindo Temer o cargo de Presidente. Já se o Senado votar contra a destituição, Dilma reassume funções como Presidente. – PÚBLICO Câmara dos Deputados autoriza destituição de Dilma Rousseff


Nenhum comentário :