expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quarta-feira, 13 de abril de 2016

São Tomé – Droga e Corrupção, poderão comprometer a paz e o futuro tranquilo das Ilhas – Eventual traficante disfarçado de empresário fazia desta ilha o paraíso de vai e vem – Em voos regulares numa das companhias aéreas.



Nestas maravilhosas paisagens, um regalo ao olhar, podem abrigar plantações de canábis 


(atualização)  As declarações, que  aqui reproduzimos,  em 13 de Abril passado, ganham redobrado significado e preocupação, porque agora proferidas pela entidade máxima das policias santomenses 

Esta é a notícia, dada pelo Téla Nón, no dia 29 de Agosto de 2016, sob o título  «STP tem “organizações criminosas com ligações a células que actuam em países estrangeiros”» que aludeà denúncia e ao alerta nacional  feitos pelo Comandante Geral da Polícia Nacional nas celebrações no último sábado 27 de Agosto,, no seu discurso por ocasião do 41º aniversário da institucionalização da Polícia Nacional,  e que contou com  a presença do Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas, Manuel Pinto da Costa.


(...) O Super Intendente Samuel António, chamou a atenção das autoridades nacionais para o fenómeno do terrorismo que ameaça devastar o mundo e fez saber que São Tomé e Príncipe não está imune. Ao terrorismo juntam-se outras ameaças como o trafico de drogas e de seres humanos, reforçou o Comandante Geral da Policia Nacional.

«A sociedade são-tomense compadece actualmente com a presença de organizações criminosas com ligações a células que actuam em países estrangeiros», denunciou o Super Intendente Samuel António.STP tem “organizações criminosas com ligações a células que actuam em países estrangeiros”»

Antes de lhe relatarmos o episódio que presenciámos, em Novembro de 2014, convirá refletir no seguinte: 

Droga e Corrupção – Dois dos maiores flagelos da sociedade atual – Mas em toda a parte:  - Não há paraíso terrestre onde não  existam –  exceto nos paraísos fiscais, onde tudo é legal. 

Porém, enquanto a corrupção se instala em jogos de cumplicidades por  corredores e gabinetes, usando os meios mais sofisticados,  pelo contrário, os tentáculos da droga, esses, podem estender-se a céu descoberto, a qualquer hora do dia ou da noite, em todos os lugares, em  toda a parte, onde haja um viciado, há trafico assegurado.

Maio 2015 - A Polícia de Investigação Criminal(PIC) de São Tomé e Príncipe a acredita que o consumo elevado de drogas esteja na origem da onda de criminalidade que assola o país. – Obviamente, que um fenómeno acompanha o outro – E há que  procurar atalhar os dois males, dada a sua estreita promiscuidade. Polícia de São Tomé e Príncipe diz que droga está na origem do aumento da criminalidade 

São Tomé e Príncipe na rota do tráfico de droga

Maio de 2013  - O tráfico e os toxicodependentes estão a aumentar em São Tomé e Príncipe. No início da semana, as autoridades incineraram drogas no valor de meio milhão de dólares. É o primeiro sinal enérgico no combate ao problema  - São Tomé e Príncipe na rota do tráfico de droga | São Tomé ...


CORRUPÇÃO 

Em relação, há corrupção, nestas maravilhosas ilhas, naturalmente, que, sendo uma tentação global, e a dar fé nas noticias, claro que deverá existir-  Mas que não venha para ficar! 

O que é dito: "São milhões e milhões de dobras que, bem utilizados, teriam contribuído para realizar os investimentos necessários para o país dar passos seguros no caminho do desenvolvimento e na melhoria das condições de vida de pobreza em que vive a maioria da população do país A corrupção em São Tomé e Príncipe veio para ficar?


Não estou a par da extensão do fenómeno, senão apenas pelo  que é veiculado nas noticias –  No entanto, há um dado, aparentemente tranquilizador: – é o de que   não surge nas noticias da atualidade africana, com a gravidade e assiduidade de outros países – Não está no topo da tabela.


25/08/2014 Palavras de Filinto Costa Alegre à jornalista Catarina Amaro Oliveira  "São Tomé e Príncipe é um país independente há quase quarenta anos, mas ainda enfrenta dificuldades no desenvolvimento económico, político e social. A par da educação, que depende muito ainda da ajuda externa, a corrupção é outro dos grandes problemas que “atrofia o desenvolvimento do país. A corrupção é uma coisa tremenda, tem raízes muito profundas e que é tolerada, porque a justiça é muito injusta, corrupta e incompetente  Corrupção: um dos grandes problemas de São Tomé e ...


ARMADO EM EMPRESÁRIO  - FAZIA VIAGENS CONSTANTES

Há que denunciar e combater, sem contemplações, os traficantes estrangeiros que vêm a estas maravilhosas ilhas, perverter a sua juventude, levando-a ao consumo de droga, à perdição do seu futuro, ao desmembramento dos seus laços familiares e a colocarem em risco a segurança e o tradicional ambiente pacífico destas ilhas paradisíacas. 


Foi em Novembro de 2014 - Mas penso que o caso não perdeu atualidade:  

Português “empresário” fazia desta ilha o paraíso dum contínuo vai e volta  para encontros com o gang da Ponta Mina, que atua com um  falso elemento da autoridade – Logrou escapar-se num voo da STP, após grande confusão com aquele grupo e elementos da sua “rede” à porta da pensão onde se hospedava – Depois de ter ficado sem 4000 mil euros, computador e telemóvel  e ter sido forçado a pedir dinheiro emprestado –




 De nacionalidade portuguesa,  fazia-se habitualmente passar  por um homem de negócios. A nós declarara-nos que abandonara a profissão de advogado para se dedicar a investimentos em S. Tomé, com empresários locais. -  Só naquele ano, fez dezenas de voos na STP Airways..  

Segundo as últimas informações que pudemos recolher, em video, junto da proprietária da pensão onde o "empresário português" se hospedava, temos a confirmação de  que, desta vez, os "negócios" lhe terão saído furados, dado ter tentado comprar a liamba ao  grupo de Ponta Mina . 

As declarações que nos prestou baseiam-se no  que ouviu de pessoas que lhe vieram relatar os factos, dado ter estado ausente da sua hospedagem, na altura em que se travou a violenta discussão seguida de agressão, entre os traficantes e o português. - 

Um grupo de traficantes, perigoso e organizado, que habitualmente se faz passar por um agente policial disfarçado, ao qual entregou a importância de 4000 mil euros, mais um computador e o telemóvel para compra de venda e revenda de liamba aos seus distribuidores, que o acompanharam de Lisboa. -  Só que, desta vez, fizeram-lhe  a folha: teve que dar o que tinha e não tinha. Tendo sido forçado a pedir dinheiro emprestado. 

Quem não quer problemas não se mete neles. 

São Tomé  é uma ilha segura e de gente carinhosa e pacífica. Não há rosto que não exprima um sorriso afável e  não é forçado. Pois é  tão natural como o das suas maravilhosas paisagens. A gasolina é mais barata  que em Portugal. Nos mercados encontra-se de tudo e a todos os preços. Com menos de dois euros é possível almoçar num restaurante do Povo. O que é preciso é ter alguma atenção é com os picantes.  Mas também só os aceita quem quer. As roças já não são o que foram e nem tão pouco  de uns quantos mas do Povo - E  não faltam recursos ao estender da mão.

GRANDE CONFUSÃO À PORTA DA ESTALAGEM, SITUADA NA ZONA DE PONTA MINA, ONDE SE ENCONTRAVA  HOSPEDADO 

Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista  - 

São Tomé, 2 de Novembro, 2014 - Acesa discussão seguida de agressão gerada à porta da estalagem onde estava hospedado, por volta das 18 horas da última sexta-feira,  na presença do que era suposto ser  um agente policial,  mas veio a saber-se tratar-se de mais um elemento do grupo traficante que servia de força de intimidação. - A dar fé nos testemunhos recolhidos, mais uma vez o expedito turista, envolvido na área de  "negócios, logrou usar e abusar  da hospitalidade e generosidade do povo desta ilha, a seu belo prazer, sem que as autoridades se apercebessem das suas atividades ilícita

Vendo-se acossado pelo tal agente disfarçado e pelos seus distribuidores, por desentendimentos nos condenáveis negócios, começou por pedir três milhões de dobras emprestados à proprietária da estalagem, alegando precisar desse dinheiro para pagamento do bilhete de avião, recusado o pedido dirigiu-se a outro hóspede, pedindo-lhe 50 euros - cada euro equivale a 25 mil dobrasMais tarde, tendo ficado muito chocada ao saber do que se havia passado, disse-nos  que nunca mais  hospeda tal individuo na sua  pensão 


"QUEREMOS MAIS! É POUCO"


"Queremos mais, é pouco! Pága-nos o que nos deves, seu filho da puta! Paga-nos o que nos deves!!!... Paga-nos o que nos prometeste!!!..." Seu isto, seu aquilo..-Ao mesmo tempo que o sucavam no peito e na cara.  Eram as expressões que mais se ouviam, entre  outras palavras azedas e ameaças de agressão, bem audíveis.  

Face à  presença intimidatória do  tal suposto "agente" da quadrilha, e ainda antes do grupo o ter procurado na estalagem. além da quantia de que já havia entregue, viu-se forçado a  pedir três milhões de dobras emprestadas à proprietária da estalagem, alegando precisar desse dinheiro para pagamento do bilhete de avião, a qual,  estranhando tal pedido, lhe recusou o empréstimo, acabando, porém,  por ficar muito surpreendida e muito chocada, quando mais tarde, veio a saber da confusão gerada por sua causa, garantindo-nos  que nunca mais  aceitará hospedar  tal individuo  em sua  pensão - frisou. 

Como não fosse atendido nos seus propósitos, dirigiu-se de seguida a um hóspede pedindo-lhe 50 euros, que, embora também estranhasse o insólito pedido por parte de alguém que mal havia conhecido, não quis deixar o seu compatriota enrascado  - De referir, que, cada euro equivale a 25 mil dobras. Importância esta, que, conquanto pareça irrisória em Portugal,  significa bastante mais que o ordenado mínimo em S. Tomé 

Há que denunciar e combater, sem contemplações, o narcotráfico,  tenha ele as origens que tiver, seja destas ilhas ou do estrangeiro,  que vem perverter a sua juventude, levando-a ao consumo de droga, à perdição do seu futuro, ao desmembramento dos seus laços familiares e a colocarem em risco a segurança e o tradicional ambiente pacífico destas ilhas paradísicas – É o caso que aqui lhe vamos relatar

 DEPOIS DE TANTAS “VIAGENS DE NEGÓCIOS” FANTOCHES  A  SÃO TOMÉ, ALGUMA LHE HAVIA DE SAIR FURADA

Costuma-se dizer que, tantas vezes, o cântaro vai à fonte que alguma vez, lá fica aza. É mais ou menos o que agora se passou com um tal “homem de negócios”,  de nacionalidade portuguesa, pois era assim que se identificava junto a unidade hoteleira onde se hospedava.
.
 Também nos foi dito pela dona da pensão que, houve elementos da autoridade que se aperceberam da confusão, não tendo intervido por suporem que o caso estava a ser acompanhado por um seu colega e não por um farsante.

.Partiu num voo da STP, na manhã de Sábado, dia 1 de Novembro, com destino a Lisboa. Pois é de admitir que, se as autoridades fizerem um inquérito rigoroso, às suas atividades, dificilmente lhe será permitido novo visto de entrada. Uma vez tratar-se de um individuo, referenciado por quem o conhece, como um forte viciado no consumo de canábis e  ligado ao narcotráfico.  

Ora, como é compreensível, pessoas destas, que, ao longo do ano, vêm de Lisboa a esta ilha, quase  com a mesma frequência que o taxista conduz entre as cidades de  S. Tomé e  Santana, sem que se lhe conheça outro negócio, senão o do vem e volta,  digam lá se isto não cheira mais a  esturro que a fermento. Falem com quem o tem visto de charro na boca, às mais diversas horas do dia e da noite, ou então conheçam as pessoas com as quais ele costuma rodear-se. 

 

 DONDE NÃO SE ESPERA É QUE ELAS VÊM

Por volta de 18 horas, estando  no interior do meu quarto, assisti a uma violenta discussão, porém, supondo tratar-se de um desentendimento popular qualquer, só meia hora depois, ao sair à rua, e ainda vendo alguns  jovens santomenses à porta da estalagem, falando do caso, é que soube que a discussão havia sido travada entre o alegado traficante  e outros jovens por via de negócios de droga e  dívidas antigas. Um dos quais frisava: "Em São Tomé todo o mundo já sabe mas se calhar vai safar-se" 

Entretanto, o que nos espantou  foi assistirmos à chegada de dois jovens, que alegavam vir  falar com  o referido empresário, dizendo tratar-se de um bom homem  - O segurança, desconfiando do seu aspeto, não os deixou transpôr o portão - Quando lhes perguntamos se eram santomenses, responderam-nos que tinham vindo com ele no mesmo avião e moravam da Cova da Moira - Como é sabido, um dos bairros mais problemáticos de Lisboa 

AFÁVEL E SORRIDENTE

Português, na casa dos  35 a 40 anos. Afável, sorridente,  nos breves diálogos,  que aqui tivemos oportunidade de ter, com outro português que nos acompanhou de Lisboa, visto estar num quarto frente ao nosso, longe de imaginarmos que, o bom conversador e grande fumador que, às mais diversas horas da noite, vinha ao terraço fumar o seu cigarro, não era de tabaco mas o trivial charro dos drogados.  "chegou muito aflito ao pé de mim e pediu-me que lhe emprestasse 50 euros para resolver um problema urgente. Claro que se eu soubesse que andava metido nesses sarilhos, ter-lhos-ia recusado" - Referiu essa pessoa minha amiga - Facto que lhe causara estranheza por não ter confiança com tal sujeito, pese a forma simpática como se relacionava.  

Em Lisboa, quando o procurou para lhe devolver os 50 euros, pediu-lhe para passar junto da Cova da Moura, onde o deixou - Facto que também não deixou de surpreender esse meu amigo e compatriota

De referir que, na mesma noite do rocambolesco episódio,  houve festa  aniversariante da proprietária da Pensão, que convidou todos os hóspedes para comemorar o seu aniversário, mas ele foi o único que se manteve no quarto e não desceu as escadas -Tendo ficado muito chocada ao saber do que se havia passado, garantindo que nunca mais o hospeda em sua  pensão. 

 OS TENTÁCULOS DA DROGA ESPALHAM-SE POR TODO O MUNDO – NEM OS MAIS BELOS PARAÍSOS OCEÂNICOS LOGRAM ESCAPAR  ÀS SUAS GARRAS

22 de Maio de 2013- São Tomé, 22 maio (Lusa) - O tráfico de cocaína e o consumo de cannabis e liamba "aumentaram vertiginosamente" nos últimos dois anos em São Tomé e Príncipe, revelou hoje a diretora do programa de luta contra a droga do ministério são-tomense da Justiça, Ivete Lima. Tráfico e consumo de droga em São Tome e Príncipe .05/03/2013 O Primeiro Ministro denunciou que “MULAS”, já começaram a operar no país. Mulas são pessoas que transportam drogas ingeridas e conservadas nos intestinos. Gabriel Costa, garante que a situação é preocupante. Edifícios em degradação na cidade de São Tomé, já estão a ser aproveitados para consumo de droga. Tráfico e consumo de droga cresceu de forma assustadora  MAIS INFORMAÇÃO EM  Casos de Droga em São Tomé e Príncipe | ……São Tomé e Príncipe na rota do tráfico de droga

Nenhum comentário :