expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

ARMINDO AGUIAR – O CORAJOSO E ILUMINADO POLÍTICO SANTOMENSE APARECEU MORTO NO MÍTICO MONTE ABRAÃO, SINTRA - Local escolhido para a adoração dos illuminati, desde tempos imemoriais – Um mês depois o seu desaparecimento, cadáver foi localizado em estado avançado de decomposição a curta distância de um dos mais antigos monumentos funerários da Península Ibérica. – Junto às Pedras Brancas da Misteriosa Anta Circular


Coroa de flores depositada por familiares na tarde do dia 9
Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise - Pormenores da noticia e video mais à frente 


atualização - 08-12-2016)  ESPANTO E INCREDULIDADE AOS FAMILIARES QUE ALI FORAM DEPOSITAR UMA COROA DE FLORES  - Os familiares que  acompanhámos  guardam pelos resultados da autópsia mas para já pareceu-nos não excluírem as mais díspares ilações

Estando tão diminuído fisicamente, custa-lhes acreditar que, por sua vontade própria, tivesse subido aquela colina do Monte Abraão e  depois ter ainda entrado naquele tão cerrado e agreste mato - A fazer o que?... Fazer as necessidades fisiológicas?...E depois, , devido a quebra de tensão e outras complicações cardíacas, ter ali desfalecido?!... É uma hipótese, que  também questionamos.  De facto, há um pequeno carreiro que sai de um caminho público; só que, onde o corpo foi encontrado, é mata densa, não é clareira, pelo que esta probabilidade, acaba por não ter consistência.

Uma das encostas do Monte Abraão - com subidas ou descidas que requerem esforço, pouco aconselháveis a cardíacos
Foi naquela mancha negra que o cadáver foi encontrado

Vimos que o  sentimento era realmente  de profunda consternação, de pasmo e choque, quando chegaram ao sitio  onde o corpo havia sido encontrado no passado dia 3,  em avançado estado de decomposição, um mês depois de ter saído da casa de seu irmão, a 4 de Novembro, num dos bairros de Monte Abraão 


Quem trazia a coroa de flores na mão, que era um dos filhos que veio propositadamente de S. Tomé, ficou como que paralisado,  quase em pose de estátua, com os olhos rasos de lágrimas,  incredulamente debruçado sobre as ervas, a mancha escura e os vestígios onde o corpo ficara estendido, completamente exposto  à agressividade  das condições atmosféricas e no meio daquele espesso carrasqueiral – Vimos que lhes custava a acreditar que, Armindo Aguiar, ali tenha ido com o seu próprio pé.

Ao fim da tarde do dia 8, foi depositada uma coroa de flores por familiares de Armindo Vaz Rodrigues Aguiar, de 69 anos de idade, que nos telefonaram para os acompanharmos ao local, onde o corpo foi encontrado, pedido este a que naturalmente nos prontificamos, sem a menor hesitação. Porém, o que vimos nos rostos que acompanhávamos, foi realmente a imagem de um grande choque, de um profundo desalento e da incredulidade - Não querendo acreditar que ele - caminhando tão devagarinho  e com os seus problemas físicos nas pernas  - , pudesse subir aquele monte e depois ter  entrado para o interior daqueles densos  e espinhosos arbustos, em local ermo, num mato espesso e tão agreste, cheio de cardos e de paus cruzados e  afiadíssimos, devido a vestígios de antigos incêndios, sim, e ali  ter acabado os seus dias de forma tão insólita, abandonada e silenciosa.

Os restos das fitas com que fora isolado o acesso ao local

Pudemos testemunhar, realmente, momentos de uma profunda tristeza, estupefação e pesar, de um angustiante e doloroso silêncio, mas sobretudo de dúvida e incredulidade – E, se não fossem os dois pares de luvas, que ali ainda encontravam e as fitas cortadas da policia, à entrada do local, dificilmente podiam admitir que, as autoridades, dali tivessem retirado o corpo de Armindo Aguiar  - Que alguma vez ele para ali se tivesse dirigido por sua livre vontade.


SÓ QUANDO SE REZOU UM "PAI NOSSO"  É QUE SE QUEBROU ALGUM SILÊNCIO 

Mudez, visível sofrimento e silenciosa comoção em cada um dos rostos .  Era das tais circunstâncias em que o coração pulsa tanto que emudece a voz . Questionávamos com algumas perguntas  mas ninguém respondia. Senão meras expressões, de “não pode ser, meu Deus”!...  "Ele não pode ter vindo para aqui sozinho!" - Para aliviar tão manifesto impasse, sugerimos para que fosse rezado uma  Pai Nosso pela sua alma – Só então se ouviram palavras  de sentida e religiosa reflexão,  com lágrimas a toldarem os olhos e a correrem pelas faces, sim, ante tão solitário, ermo e agreste mato envolvente   - Eram três pessoas: um dos filhos, jovem empresário em S. Tomé, uma senhora, na casa dos cinquenta anos e mais um jovem, estudante universitário, ambos primos do filho, que ali se deslocara.  – O filho, durante o regresso, remetera-se igualmente a um profundo silêncio: não disse uma única apalavra. 

GOVERNO SANTOMENSE DEVIA PROMOVER A  TRANSLADAÇÃO DO CORPO PARA A SUA PÁTRIA  MAS DIFICILMENTE O FARÁ PORQUE O DINHEIRO SÓ DÁ  PARA AS PASSEATAS 

Ao menos que lhe sejam propiciado um funeral condigo, seja publico ou privado - Mas, tratando-se de um dirigente politico, de uma figura histórica, devia ser transladado para S. Tomé e ter um funeral com honras nacionais - Mas, dificilmente, o atual Governo terá a humildade e a generosidade de promover essa transladação - No entanto, estando atualmente, em Portugal, o Sr. Primeiro-ministro, a passar mais uns dias de férias com a esposa, que pelo menos de digne ir ao funeral.

 PERDA INCONSOLÁVEL PARA O RESTO DAS VIDAS DOS SEUS ENTES QUERIDOS - UM DOS FILHOS - O QUE VEIO DE S. TOMÉ -  ESTEVE NO LOCAL  -  ELE É QUE NOS CONTACTOU 

Um dos familiares - o filho que viera de S. Tomé - declarou-nos que, ao ser alertado da estranha ocorrência,  de imediato procurou apanhar o primeiro avião - Não o tendo conseguido logo, visto ter a lotação esgotada. Porém, ao chegar a Portugal, disse-nos que não mais teve um minuto de tranquilidade - Alugou uma viatura, tendo percorrido, nas suas diligências, alguns milhares de quilómetros, numa busca incessante, mal dormindo

Dirigiu-se a uma esquadra da PSP, daquela área, dando-lhe conhecimento da ocorrência - Depois também foi à Embaixada de STP, tendo esta enviado comunicados para várias associações. - 

OS ORGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL IGNORARAM  O  DESAPARECIMENTO - TANTO EM S. TOMÉ E PRÍNCIPE COMO EM PORTUGAL 


Mesmo tendo enviado a cópia  do alerta que formalmente demos à PJ, , nem assim deram qualquer importância ao estranho desaparecimento - E não se tratava de um cidadão anónimo qualquer mas um reputado académico e ex-dirigente  politico - Todas as vidas merecem ser defendidas e respeitadas mas há vidas que são parte da história de um Povo - É o caso de Armindo Aguiar.

Tanto em S.T.P, como em Portugal, silêncio absoluto.  - Sim, fomos nós que inicialmente demos conhecimento  formal à PJ do seu desaparecimento -  De: Direccao UIIC  Enviada: segunda-feira, 14 de Novembro de 2016 21:42 Para: UIIC Central; UIIC Tratamento Cc: Secretariado UIIC - Assunto: FW: (2)- COM FOTO - CIDADÃO SANTOMENSE DESAPARECIDO, EM PORTUGAL, DESDE O DIA 4 DESTE MÊS DE NOVEMBRO                                (pormenores mais à frente) 


Pessoalmente, enviamos o mesmo texto da nossa exposição à PJ. a dois matutinos, e não quiseram saber - Um deles deu a noticia, em meia dúzia de linhas mas só quando o corpo foi encontrado.Nem a RDP-África, incompreensivelmente, nenhum órgão da CS portuguesa se interessou em dar a noticia do seu desaparecimento - 

O mesmo sucedeu  às diligências feitas pelo filho, que veio de S. Tomé, junto da Comunicação Social   -  Disse-nos que chegou a ir à SIC: - Pediram-lhe  para expor o caso por e-mail mas nunca mais lhe deram resposta - Nem a RDP-África, onde há repórteres santomeses, se deram ao elementar dever de contribuir para as investigações.   - Nenhum órgão da C.S. Portuguesa se interessou em dar a noticia do seu desaparecimento -

A avaliar pelo diálogo que tivemos, telefonicamente, com Leonel Aguiar, irmão do malogrado Armindo Aguiar,  naturalmente que os demais membros da família também encetaram os seus esforços, vivendo cada um a seu modo o insólito desaparecimento, as horas de preocupação e incerteza,  alertando e colaborando com as autoridades,

HÁ UM MISTÉRIO PROFUNDO EM VOLTA DO SEU DESAPARECIMENTO  - EIS O QUE AQUI POSTAMOS, DIA 8  - APÓS A NOSSA NOTÍCIA  A  11 DE NOV


Finalmente, quase um mês depois, apareceu o cadáver do cidadão santomense, Armindo Vaz Rodrigues Aguiar, de 69 anos de idade, 
 distinto professor universitário e antigo dirigente do PCD,  que veio para Portugal, em 19 de Março do corrente ano, para tratamento médico hospitalar, ao abrigo do Acordo de Cooperação Bilateral, e, que, desde o passado dia 4 de Novembro, não mais voltara à residência, onde estava alojado, muito perto do local, onde o seu corpo foi agora encontrado


.Estivemos lá ontem, dia 7 de Novembro, precisamente no sítio onde o seu corpo havia sido  encontrado por um morador daquela zona, entre as onze e o meio-dia de domingo, dia 3, quando ali passeava com o seu cão ou andava por ali à caça, uma vez que a mesma é autorizada nesse dia e às quinta-feiras, tendo dado imediato conhecimento às autoridades.

Na  página do Facebook, temos recebido vários comentários, nomeadamente sobre as estranhíssimas condições em que apareceu o seu, inevitavelmente,  o que nos leva a colocar esta pergunta: como é que um cadáver aparece num sítio tão agreste e de mato cerrado? .. Naturalmente que só as conclusões cientificas  da autópsia, poderão contribuir para a formulação de alguma resposta

Armindo Aguiar: "Vivo ou morto ou homem tem que aparecer” – Confessava-se-nos, no passado dia 1 de Novembro, um parente do falecido,  que vive em Londres  - Afinal, o corpo apareceria dois dias depois, mas já morto,  domingo dia 3, por volta do meio dia,  em avançado estado de decomposição, ladeado por um par de sapatos, nas mais estranhíssimas condições, no meio de um espesso silvado do Monte Abraão, relativamente próximo da casa do irmão materno - 

Mesmo que, o inditoso Armindo Aguiar,  tivesse perdido a memória, por manifesta desorientação, devido a eventual perturbação psicológica ou de uma outra qualquer doença, como  chegou aventar-se, não ia subir a encosta limpa e desmatada e depois  desejar infiltrar-se num mato espesso, cheio de espinhos das carrasqueiras - No entanto, há uma outra hipótese, que nos parece plausível  - Veja porquê:- 
Na realidade, o cabeço do Monte Abraão, no topo da colina e algumas quebradas, é uma área apelativa ao veraneio e à contemplação, um lugar histórico, com uma das antas mais antigas da Península Ibérica, donde se desfruta uma impressionante paisagem, muito frequentada pelos amantes da natureza - E, num eventual passeio àquela área, por parte de Armindo Aguiar, dado morar ali relativamente perto, às tantas  ter sentido necessidade de "ir ao mato", e, depois, ao querer erguer-se ter tido uma paragem cardíaca e já não ter tido forças para se levantar - E, tanto quanto apurámos, os prognósticos  médicos, aconselhavam-no a seguir cuidadosa e atenta disciplina na medicação, o que parece que nem sempre terá lavado à risca - Mas é prematuro fazer qualquer juízo, senão discorrer e questionar.

Este o trilho que Armindo.Aguiar tomou e não mais voltou
Na verdade, existe um pequeno carreiro que conduz até ao silvado onde foi localizado o corpo, que supusemos ter sido aberto na altura da remoção do cadáver. Porém, analisando melhor o filme posteriormente, parece que já existia - Mas o que também nos deixa bastante intrigado é que,se fosse para ali fazer as necessidades, ele não tinha espaço para o fazer, visto não se tratar de nenhuma clareira mas de espesso matagal




FUNERAL PODERÁ SER SEGUNDA OU TERÇA-FEIRA PARA O CEMITÉRIO DE BENFICA

Dr. Paulo Marques - morador em Monte Aragão . surpreendido
A autopsia já foi realizada  pelo  Instituto de Medicina Legal, que colocou a corpo à disposição dos familiares, desde terça-feira - segundo a informação que nos foram  prestadas por  este Instituto, não tendo fornecido mais detalhes. os quais  ficarão a cargo da secção de Homicídios da PJ. 

No telefonema, que fizemos para Leonel Aguiar, dando-lhe conhecimento desta informação, disse-nos  que era intenção da família, tornar pública a marcação do funeral. - Estando à espera de alguns acertos com a Agência funerária, admitindo que o mesmo se realize na próxima segunda ou terça-feira para o cemitério de Benfica - . 

CADÁVER DESFIGURADO - IDENTIFICAÇÃO ATRAVÉS DO VESTUÁRIO E DOCUMENTOS NOS BOLSOS DO CADÁVER


Segundo o que pudemos apurar,  o reconhecimento inicial, só foi possível através do vestuário e, pelo que depreendemos,  por alguns documentos pessoais, que estariam nos bolsos.  - A investigação, que começou por estar a cargo  da Brigada de Desaparecidos da Polícia Judiciária de Lisboa, transitou  para a  secção de homicídios da mesma instituição policial,  que procederá às necessárias investigações, nomeadamente com o recurso aos resultados científicos da autopsia


Soubemos, também, por fonte da investigação, que a área silvestre, onde o corpo foi localizado,  já havia sido batida por elementos da investigação policial, recorrendo  a cães das brigadas, porém, as condições atmosféricas, nomeadamente, as chuvas que se têm feito sentir, terão dificultado as operações de busca. 

LUVAS BRANCAS NO SITIO ONDE O CORPO FOI REMOVIDO  E AINDA AS FITAS COM QUE A POLICIA VEDOU O ACESSO AO LOCAL .

Sítio onde o corpo foie encontrado 

 
Esta era a questão, que colocara neste site, no passado dia 11 de Novembro, que ainda continua a colocar-se: - O que terá acontecido à vida do político e cidadão santomense, Armindo Vaz Rodrigues Aguiar, que, se deslocara a Portugal por razoes de saúde e que, desde o passado dia 4, nunca mais foi visto, em Monte Aragão, onde residia, esta é a angustiosa e perturbadora interrogação que prevalece no espírito, quer de  familiares e amigos, como na população em S. Tomé e Príncipe, atendendo ao seu notável currículo intelectual e político., às  gerais simpatias e admiração, de que goza no seu país.


Contactamos o jornal Correio da Manhã e o Publico, mas nenhum destes jornais deu qualquer noticia acerca do seu desaparecimento - À media portuguesa, comprometida, não lhes interessa dar noticias negativas. - Entretanto, soubemos, que na passada, segunda.feira, o CM dera uma pequena noticia,  referindo que tinha aparecido um corpo, em estado avançado de decomposição, no Monte Abraão, tendo ao seu lado um par de sapatos - Mas sem adiantar mais pormenores. Por seu turno, a imprensa santomense (rádio e televisão) ignorou as preocupações dos familiares e só agora deu a noticia da sua morte




No local, e para nosso maior espanto, além da mancha, perfeitamente visível onde o cadáver esteve estendido e dos arbustos, recentemente  derrubados para remoção do mesmo,  ainda se encontravam  dois pares de uvas de plástico entre as ervas,  


Um dos caminhos ao lado  onde o cadáver foi encontrado
Porém, cremos que  bem mais chocante teria sido a imagem, que se  deparara aos olhos,  para quem visse  o horrível achado: ou seja, um corpo putrefacto e desfigurado, por entre aquele cenário de uma espessa  floresta de arbustos mais queimados de que verdes.

 Realmente, embora não sendo perito em criminologia,  colocou-se-nos, no entanto, imediatamente ao espírito,  esta pergunta – e até ao jovem morador, que ali me acompanhou, com o seu cãozinho: e nestes termos: 

como é que um cadáver aparece num sítio tão agreste, ermo  e de mato cerrado?...Naturalmente que as conclusões da autopsia e outras investigações periciais, poderão dar alguma tresposta - Se bem que, mesmo assim, dadas as condições solitárias em que o corpo ali foi encontrado, dificilmente algum dia encontrarão a  desejável resposta - E permanecerão sempre no domínio dos mistérios, que tanto envolvem os caminhos da vida como da morte - Todavia,  tratando-se de um dirigente politico, de uma figura pública, o povo santomense exige ser informado e esclarecido.



O CORPO JÁ FOI AUTOPSIADO  E PODE SER RECLAMADO QUANDO A FAMÍLIA O QUISER SEPULTAR OU TRANSLADAR PARA A SUA PÁTRIA  

Foi neste mato do lado direito



 É sabido que, os grandes homens, regidos por bons princípios, as pessoas sensíveis, generosas e sérias, nem sempre são facilmente compreendidas, tanto por aqueles que lhe estão próximos, como por outras pessoas - Pelos vistos, terá sido a sina de Armindo Aguiar: 

Armindo Rodrigues, uma voz corajosa e frontal, com certeza  que não deixaria  de sentir, com angustiosa preocupação,   o nepotismo e o desnorte, que marca a  atual governação do seu país terão naturalmente contribuído para fragilizar ainda mais a  sua saúde.  

 Diz-nos um parente, que vive em Londres, com quem dialoguei dois dias antes do aparecimento do cadáver: "Tanto é que vivia na casa de uma sobrinha salvo o erro.. com filhos em Lisboa" Sim, na casa do seu irmão materno

Uma das duas luvas deixadas pela remoção do cadáver 
De recordar, que, Armindo Aguiar, é possuidor de um notável currículo académico e politico, pois, além  de ter sido um dos ativistas da Associação Cívica Pró-MLSTP, é também um  dos fundadores e, atualmente, membro da Comissão Política do PCD. – Professor de História, Investigador em Ciências Sociais -Diretor da Cultura; Coordenador do Centro de Estudos de Ciências Sociais no Ministério da Educação, Cultura e Formação; Secretário de Estado de Trabalho e Administração Territorial , no Ministro da Administração Pública, Reforma do Estado e Administração Territorial – E também-Ministro da Administração Territorial, Cultura e Comunicação Social

FOMOS NÓS QUE INICIALMENTE ALERTAMOS A POLICIA JUDICIÁRIA

De: Direccao UIIC 
Enviada: segunda-feira, 14 de Novembro de 2016 21:42
Para: UIIC Central; UIIC Tratamento
Cc: Secretariado UIIC
Assunto: FW: (2)- COM FOTO - CIDADÃO SANTOMENSE DESAPARECIDO, EM PORTUGAL, DESDE O DIA 4 DESTE MÊS DE NOVEMBRO


Venho por este meio levar ao conhecimento dos vossos serviços de investigação – admitindo que  a ocorrência não tenha ainda sido formalmente apresentada – do desaparecimento do cidadão santomense,  "Armindo Vaz Rodrigues Aguiar, de 69 anos de idade, que veio para Portugal, em 19 de Março do corrente ano, para tratamento médico hospitalar, ao abrigo do Acordo de Cooperação Bilateral, no domínio da Saúde, existente entre o Estado Português e o Estado São-tomense, conforme comunicado da Embaixada de S. Tomé e Príncipe,  em Lisboa. – Mas, a avaliar pela informação que pude recolher através do vosso Piquete de Serviço, não consta, nos seus ficheiros de investigação, o nome do referido cidadão, motivo pelo qual tomei a iniciativa de fazer a presente exposição – Excerto

De: (…)  Enviada: quarta-feira, 16 de Novembro de 2016 18:28
Para: (…)
Assunto: RE: (2)- COM FOTO - CIDADÃO SANTOMENSE DESAPARECIDO, EM PORTUGAL, DESDE O DIA 4 DESTE MÊS DE NOVEMBRO
Exmo Srº Jorge Trabalo Marques,
(…) sou Inspector da Brigada de Desaparecidos da Polícia Judiciária de Lisboa, venho por este meio pedir o contacto de V. Exa., a fim de poder conversar e trocar alguma informação acerca do desaparecimento do Sr. Armindo Vaz Rodrigues Aguiar.
Com os melhores cumprimentos,


MONTE ABRAÃO, EM SINTRA  –  ANTIGO LOCAL DE CULTO – Chamam os deuses cedo aqueles que se sentem seus amados filhos - E, pelos vistos, Armindo Aguiar foi chamado por Deus, num antigo local sagrado -  Sinceramente, depois de profunda reflexão, conclui que terá sido por morte natural  - Pena que tivesse ficado tanto tempo exposto a céu aberto  - Mas se assim aconteceu, Deus assim o quis e o chamou. 

Anta do Monte Aragão - 09-12-2016

“O local denominado actualmente de Monte Abraão era o local escolhido para a adoração dos illuminati, desde tempos imemoriais. Há quem defenda, que o nome de Queluz terá origem no Monte da Iluminação, hoje denominado de Monte Abraão. Mas também esta denominação está longe de ser recente, antes assentando na crença de que Abraão teria passado por ali. Existem, por outro lado, as antas que terão entre 4.600 a 4.100 anos, testemunhando o povoamento deste local desde tempos pré-históricos. Porém durante o Séc. V da nossa era, Roma determinava a destruição de todas as edificações pagãs detectadas. Entre elas, os dolmens. Pensa-se que é por isso, que muitas mesas se encontram arreadas, que noutros locais houve obstrução de acessos e que em outros ainda, os referidos monumentos foram encimados com cruze”

“Viveu no Monte Abraão o poeta português Ruy Belo, onde faleceu. Viveu em Monte Abraão o Visconde Engº Francisco Lancastre de Almeida Garrett, onde faleceu. Grande benemérito desta localidade, doou vários terrenos para equipamentos sociais. Nesses terrenos foram construídas: a Igreja de Nossa Senhora da Fé, a Estação da CP de Monte Abraão, a Escola EB1 nº 1 de Queluz (Monte Abraão)e a a Escola EB 2.3 Ruy Belo. Existe ainda um terreno onde irá ser construído o Centro Comunitário de Monte Abraão (Bairro dos Desalojados).- Excerto Monte Abraão 

Os melhores templos a Deus são a céu aberto
“A Anta do Monte Abraão é constituída por uma câmara com 3,6 metros de diâmetro, assente na rocha, restando seis esteios e o chapéu, há muito tempo caído, e um corredor com 2 x 8 metros , orientado a Este. Constitui a anta mais bem conservada de toda a região de Sintra, e aquela que tem talvez um acesso mais fácil em termos de visitas. Uma característica deste monumento funerário é que as pedras usadas na sua construção são dos arredores, não tendo sido aproveitadas as existentes no local (que ainda abundam, na pedreira ainda existente naquele local). O solo também terraplanado foi preparado para a edificação do dólmen. Do seu espólio faz parte uma indústria lítica variada, constituída por placas de xisto, cilindros de calcário, pontas de seta, etc., alguma cerâmica e ossadas humanas. Parte destes materiais encontra-se no Museu dos Serviços Geológicos de Portugal. É classificada como Monumento Nacional por Decreto de 16/6/1910, DG 136 de 23 de Junho de 1910. O acesso faz-se pelo centro de Monte Abraão, subindo ao cume do monte. Fica a cerca de 200 metros a norte do marco geodésico, junto a uma pedreira abandonada. Monte Abraão


(...) "O primeiro dos três sepulcros constituintes desta necrópole megalítica, a "Anta de Monte Abrãao", foi, como já referimos (vide supra), descoberta no século XIX por C. Ribeiro, tendo sido cronologicamente atribuída por alguns autores ao Calcolítico Inicial (entre c. de 2700/2500 e c. de 2300 a.C.) da região estremenha (JORGE, S.O., 1990, p. 184). Ainda são visíveis os traços da câmara sepulcral original de configuração poligonal, com mais de três metros e meio de diâmetro, erguida directamente sobre a rocha, remanescendo seis dos esteios que a compunham originalmente. – Excerto de Anta da Estria 

"O HOMEM TEM QUE APARECER VIVO OU MORTO" - Apareceu morto

Todavia, tem havido também  pessoas da família, preocupadíssimas que me perguntaram, no dia anterior ao que foi encontrado o seu corpo: - 

Sex 13:12

Bom dia, td b? Escrevo-lhe para saber se há novidades do Dr. Armindo Aguiar:
Infelizmente, da PJ a quem comuniquei oficial o desaparecimento, não há novidades - A esperança é sempre a última coisa a morrer mas, pelo que depreendo, está cada vez mais distante

Infelizmente sim. Na verdade o homem tem que aparecer e pelo doloroso que seja: " vivo ou morto"
Sim, quando tiver novidades eu digo-lhe, além de que também os tornarei publico
Mas a situação exige uma máxima força
estando em (…)  tenho pouca margem de manobra

Sim, quando tiver novidades eu digo-lhe, além de que também os tornarei publicas
Sim, de todos nós - Mas confesso-lhe que estou muito desapontado - Há um mistério profundo em volta do seu desaparecimento

Vida difícil . que Patrice desconhece
Que mistério meu Amigo?
Não me pergunte porque - Só penso que ele existe, é tudo quanto lhe posso dizer

Mas o problema que tenho colocado nestes dias é o seguinte: desconhecendo o critério fora do campo policial que esta em curso - pk não se mobiliza as pessoas para um apanhado serio do homem

Estou falando de uma organização a partir da embaixada

No último caso os seus restos mortais que derem regressar a STP para ser enterrado

Sabe (…) : não creio que se adiantasse alguma coisa, mobilizando as pessoas ou mesmo a embaixada: a única coisa que poderia ter efeito era que, alguém muito querido desse uma entrevista na RDP-África e na Rádio Nacional, de modo a sensibilizá-lo a voltar ao lar; pois, estando vivo, dificilmente deixaria de escutar alguma destas estações na casa que lhe desse abrigo
Ele não foi para nenhuma cabana do mato.

 Pois, estando vivo, dificilmente deixará d ouvir alguma destas estações"
 bem pensado
 Assim sendo, vejam se fazem visitas em pessoas em que ele tivesse muita confiança, que o pudessem albergar - Este é o melhor caminho para rapidamente se saber: mas também lhe asseguro, que, se até ao Natal, não houver resposta alguma do seu paradeiro, é melhor rezar uma missa pela sua alma
Se ele estiver vivo, ele aparece por esta altura .O coração não ia resistir às saudades da família
(..)
SEG 16:13
 Fiquei sabendo q o Dr Armindo foi encontrado morto mas sem pormenores do porquê, onde, como, quando?
Boa tarde Agostinho - Infelizmente a notícia não me surpreende - Vou telefonar para a PJ a ver se consigo mais pormenores
Já tenho a confirmação -PJ procede a investigações no terreno
obrigado ... mas relativo ao corpo, aonde foi encontrado e como?
No mato perto de sua casa 
A Policia não quis adiantar mais pormenores
Vou apurar .O inspetor com quem tenho contactado está no local e não me deram mais pormenores - Foi encontrado ontem

FAZER POLITICA É TAMBÉM UM ACTO DE CORAGEM E DENÚNCIA - QUE REQUER FORÇA DE CARÁCTER E HONESTIDADE  - E SENTIDO DE BEM SERVIR

Forte suspeita de lavagem de dinheiro recai sobre o ex-Primeiro Ministro Patrice Trovoada” – Noticiava o Téla Nón, uma das raras vozes da imprensa santomense, veio igualmente denunciar dar pormenores dos fundamentos acusação, nomeadamente, com a indicação do recibo que denuncia o eventual ilícito da transação
  
Referindo o seguinte: O ex-Primeiro Ministro Patrice Trovoada, poderá ser alvo de um processo crime por alegada lavagem de dinheiro na ordem de 624 mil e 600 euros.  Face a persistente denúncia por parte do actual governo de que a lavagem de dinheiro cresceu no pais, o Téla Nón investigou e encontrou indícios que alegadamente envolvem o ex-Primeiro Ministro.

Num recibo emitido no dia 28 de Março de 2012, e assinado pelo ex-chefe do Governo, de acordo ao que se pode ver no documento, 624 mil e 600 euros em espécie foram entregues em São Tomé, ao senhor Henry Claude Oyma do BGFI Bank de Libreville – Gabão.

“Armindo Aguiar e Edite Salvaterra, são os dois membros da direcção do partido PCD, que foram entregar a queixa crime movida contra o ex-Primeiro ministro Patrice Trovoada. «Estamos aqui para apresentar uma queixa crime, contra o ex-primeiro ministro, por um crime que tudo indica ele cometeu, porque há indícios. Isto é do domínio público, porque está publicado no Jornal Digital Téla Nón, em que ele transferiu para a República Gabonesa a quantia de 624 mil e 600 euros, qualquer coisa como 15 mil milhões de dobras», referiu Armindo Aguiar, que falou em nome do PCD. http://www.telanon.info/politica/2013/06/10/13461/pcd-avancou-com-queixa-crime-contra-patrice-trovoada/



Nenhum comentário :