expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Confirmada a “doença desconhecida - PROMED divulga relatório de Biopsias de especialistas em doenças infeciosas - Sociedade Internacional de Doenças Infeciosas, em comunicado, admite tratar-se da úlcera de Buruli, ou seja, de uma infeção de categoria I, de acordo com a categorização da OMS. Estes sintomas incluem prurido corporal, pernas inchadas e descoloração da pele. No entanto, as autoridades sanitárias santomenses, persistem em prestar informações contraditórias e em não esclarecer devidamente a população – Por forma a evitar a enfermidade: tomar banhos em águas pantanosas, caminhar nelas ou pescar nessas águas


Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação, investigação e análise
  


Criança afetada em S. Tomé
Por Jorge Trabulo Marques - Jornalismo, investigação e análise 

Continua a dança das estatísticas e das informações contraditórias. – Há uma semana dizia-se que alastrava por todos os distritos do país . Agora as principais vítimas são pescadores e agricultores dos distritos de Lembá e Lobata - As autoridades sanitárias, depois de terem afirmado a existência de 4 mortes e 2000 casos, falam agora de 1500 casos- E, nas afirmações  reproduzidas pela televisão (TVS) diz-se que não houve mortes.

ANTES ERA A ÚLCERA DE BURULI - AGORA É NECROTIZANTE

 Sempre as maiores vitimas  - Web

02-03-2017
-
"Doença rara" em São Tomé é celulite necrotizante e já afectou 1500 pessoas  -Maria Tome Palmer disse em conferência de imprensa que após as pesquisas realizadas em laboratórios estrangeiros conclui-se que a doença até agora desconhecida é celulite necrotizante, mas que o agente patológico ainda não foi descoberto. http://www.voaportugues.com/a/doenca-rara-sao-tome-e-principe-celulite-necrotizante-oms/3746959.html


DOENÇA RARA - MAS DE MORTALIDADE ELEVADA - SE SE TRATASSE DA ÚLCERA NECROTIZANTE – HAVERIA MENOS CASOS MAS MUITAS MORTES 

Uma das celulites habtuais


A celulite necrotizante (ou fascite necrosante), uma forma rara mas grave de celulite, é a temida "doença carnívora" que ocasionalmente ocupa as manchetes dos meios de comunicação. No entanto, o risco de se obter celulite necrotizante é extremamente pequeno. O risco é um pouco maior para as pessoas que já estão doentes ou têm um sistema imunológico comprometido. Cellulitis - Causes, Symptoms, Treatment, Diagnosis - M


ORA DIZEM UMA COISA ORA DIZEM OUTRA 

(Atualizaçao) As informações contraditórias: de úlcera de Burruli a Necrotizante  - Persiste, a incongruência da dança das estatísticas e das informações contraditórias, pelo Ministério da Saúde de S. Tomé e dos seus porta-vozes, com o objetivo de ocultar uma enfermidade que foi negligenciada pelo atual governo -  No passado dia 25 de Fev, dizia-se:  que, só, numa semana, se haviam registado 42 novos casos e  que a enfermidade alastrava por todos os distritos do país .Uns dias  depois, vêm afirmar que as principais vítimas são pescadores e agricultores dos distritos de Lembá e Loba -Durante vários meses, ignoraram-se os alarmes das muitas pessoas que se queixavam dos mesmos padecimentos e só passou ao conhecimento público quando a bronca tinha mesmo que rebentar




As autoridades sanitárias, que até já admitiram, tratar-se da úlcera de Burulie, agora dão-lhe outra versão: que passou de desconhecida à designação da doença dos dois pés ou úlcera de Buruli –Agora chamam-se úlcera Necrotizante  - Se se tratasse desta doença, já tinha morrido muita gente As infecções cutâneas necrotizantes, incluindo celulite necrosante e fascite necrotizante, são formas graves de celulite caracterizada pela morte de pele e tecidos infectados (necrose). (…) A taxa global de mortalidade é de cerca de 30%. 

SE FOSSE ESTA DOENÇA - TERIA HAVIDO MUITAS MORTES “As infecções cutâneas necrotizantes, incluindo celulite necrosante e fascite necrotizante, são formas graves de celulite caracterizada pela morte de pele e tecidos infectados (necrose). (…) A taxa global de mortalidade é de cerca de 30%. As pessoas mais velhas, aqueles que têm outras doenças médicas e aqueles em quem a doença atingiu um estágio avançado têm um resultado mais pobre. Um atraso no diagnóstico e tratamento e insuficiente remoção cirúrgica de tecido morto pioram o prognóstico Necrotizing Skin Infections - Skin Disorders 

 01/02/2017 - Aumentam novos casos de Úlcera de Buruli em São Tomé e Príncipe - Em cerca de oito meses,
  01/02/2017 -Doença gera preocupação em São Tomé e Príncipe - Cerca de 2 000 pessoas teriam sido afectadas por uma estranha patologia em São Tomé e Príncipe, duas outras teriam morrido.  A OMS enviou para o arquipélago um perito do Benim. Suspeita-se de tratar-se de úlcera de Buruli. Doença gera preocupação em São Tomé e Príncipe –

 10/02/2017 São Tomé et Principe, les autorités sanitaires de l'archipel ont notifié depuis le mois d'octobre 2016 un total de 1094 cas d'ulcère de Buruli sur une population de moins de 200 000 habitants.NOTICIAS  -  Ulcère de Buruli à São Tomé et Principe -

GROSSEIRA E DESCARADA MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA 

Estes exames já circulam no Facebok e não deviam ter circulado - Inadmissível procedimento da divulgação pública de análises que deviam ser confidenciais e não expostas à curiosidade da opinião pública 



Actor Patrice Trovoada - Web
 O Governo desacreditado de  S. Tomé e Prince, que durante vários meses silenciou da opinião pública uma terrível doença, foi agora brindado pela Organização Mundial de Saúde e pelos seus cúmplices, ao permitirem que os resultados das análises efetuadas pelo bacteriologista Ghislain Emmanuel, especialista em Úlcera de Buruli, fossem expostos publicamente, com os nomes dos pacientes - Isto com o objetivo de se mostrar que ninguém estava infetado pela bactéria Mycobacterium úlceras, o que parece não corresponder à verdade.

Já se suspeitava, avaliar pelas declarações da Ministra Saúde, que os exames não iam confirmar tratar-se da úlcera de Burruli quer pela dúvida que persistia em continuar a ocultar a doença, quer pelas mesmas análises não terem sido efetuadas por vários especialistas e enviadas para vários laboratórios.

Governo liderado por Primeiro-ministro Patrice Trovoada, havia dificultado a visita dos deputados dos partidos da oposição, representados na Assembleia Nacional, aos doentes internados no Hospital Ayres de Menezes, por não desejar que a enfermidade fosse conhecida – E só se tornou pública quando os dois filhos de uma personalidade santomense, foram afetados por as dolorosas úlceras – Foi então que o escândalo rebentou.





Com uma gravíssima enfermidade a alastrar no seio da população, cuja expressão nem o Governo é capaz de contabilizar, numa altura em que as atenções deveriam concentrar-se no combate à doença e à informação das populações por forma a saberem defender-se e prevenir-se, nem por isso deixou de ir fazer as suas habituais passeatas de um caixeiro-viajante, armado em Primeiro-ministro de costas voltadas ao seu país.

Emery Trovoada, que não nasceu em S. Tomé, mas no Gabão,onde viveu a sua adolescência e uma parte da sua juventude, continua a revelar-se uma personagem misteriosa, estrangeirada e sem laços afetivos ao pais que governa, com maioria absoluta parlamentar, por força dos votos comprados nas eleições, tal como sucedeu com a última eleição do Presidente da República, num dos países mais pequenos e pobres de África, com ordenados miseráveis - Não por falta de recursos naturais ou de apoios internacionais, mas pela sua deficiente e duvidosa aplicação. Passando a maior parte do tempo da governação, no estrangeiro, onde detém negócios empresariais em vários países.






S. Tomé - Óscar Medeiros
Pese a persistente campanha de desinformação e de declarações contraditórias, das autoridades sanitárias santomenses,  que ainda agora vieram declarar que, “Seis meses depois de a doença começar a afetar o sistema nacional de saúde do arquipélago, o governo diz ter chegado a conclusão de que se trata de uma 'celulite necrotizante' – Ora esta informação não condiz com os estudos divulgados - Pois  há informação disponibilizada  de resultados de biopsias por especialistas, que aqui vamos transcrever, em que, em  nenhum momento aludem  à celulite necrotizante - aliás, fasciti necrossante  


MÉDICA PORTUGUESA ADMITE TER ENCONTRADO O TRATAMENTO PARA UM DOENTE DE S. TOMÉ COM ÚLCERAS CERAS PARECIDAS ÀS DE BURULI  CAUSADAS POR UM FUNGO  - o Aspergillus  ALGUNS DOENTES TÊM PROCURADO TRATAMENTO EM PORTUGAL  

 Esporotricose - 



Por Fungos
O género Aspergillus é formado por mais de 200 espécies, distribuídas pelo mundo todo. (…) A. fumigatus é a responsável por aproximadamente 90 a 95% dos casos de aspergilose, porém existem outras espécies potencialmente patogênicas. http://www.infoescola.com/doencas/aspergilose/

As espécies de Aspergillus são aeróbicas e encontradas em ambientes ricos em oxigênio, onde geralmente crescem na superfície onde vivem. As espécies de Aspergillus contaminam restos de comidas (como pães e batatas), e crescem em muitas plantas e árvores.

Tivemos conhecimento de que vários doentes, de S. Tomé e Príncipe,  não tendo encontrado nem assistência médica nem  cura no seu país, têm procurado o tratamento em Portugal – E o caso de um taxista santomense, que teve de desfazer-se de tudo o que tinha, a fim de custear a sua deslocação 

 Soubemos ter confessado, que o seu caso era parecido aos de  outras pessoas, mas que, por dificuldades económicas, não puderam sair de S. Tomé –  Felizmente, graças a uma terapia anti-fúngica,   tem  registado melhoras. 

"Em março de 2016, começamos a seguir um paciente de São Tomé com úlcera grave na perna, complicado com infecção bacteriana e extensão aos ossos. Em dezembro de 2016, um DNA de Aspergillus fumigatus foi encontrado em uma biópsia óssea. 

O paciente melhorou desde, com terapia anti-fúngica (primeiro com itraconazol e nos últimos 2 meses mudou para voriconazol). Acho que isso é uma possível etiologia. 

Foi um diagnóstico muito difícil, porque as culturas fúngicas normais eram negativas. Também fizemos DNA  http://www.tephinet.org/aggregator/categories/1?page=4

Outros pormenores da informação divulgada em francês, que aqui lhe traduzimos, acerca deste mesmo estudo: PRO / EDR> Úlcera de Buruli - São Tomé e Príncipe (03): A. fumigatus, PCR, biópsia óssea, RFI Postado em 2/16/2017 07:48:00 por Pranab Chatterjee BURULI ULCER - SAO TOMA E PRINCIPE (03): ASPERGILLUS FUMIGATUS, PCR,  BIOPSIA ÓSSEA, PEDIDO DE INFORMAÇÃO 16/02/2017 - PRO/EDR> Buruli ulcer - Sao Tome and Principe (03): A. fumigatus
BURULI ULCER SAO TOMÉ E PRINCIPE (03): ASPERGILLUS FUMIGATUS, PCR,
BIOPSIA ÓSSEA, PEDIDO DE INFORMAÇÃO
.Uma mensagem do ProMED-mail
Data: Qua 8 Fev 2017
De: Raquel Tavares < (...)  
[O Dr. Tavares enviou informação adicional sobre este doente:
- Masculino, 39 anos, nascido na República Democrática de São Tomé e (STP), com história de 2 anos de úlcera extensa Ântero-lateral da perna esquerda, começando como nódulos que ulceraram
E coalesced, e associado com microcítico hipocrômico severa anemia e perda de 24 kg, vivendo em Portugal desde Março de 2016, trabalhando
Como motorista de táxi.


- História da infecção crônica por hepatite  -  Em STP, ia diariamente para sua fazenda, tomando banho diariamente em um rio ou pequeno
Lagos (..) 
(....)
 Aspergillus fumigatus_ representa uma causa importante de morbidade de mortalidade em pacientes imunocomprometidos. Nesses pacientes, a aspergilose é geralmente uma manifestação de _Aspergillus_  infecção. A doença cutânea primária é incomum e pode desenvolver-se. . Os sítios de feridas traumáticas, queimadas e cirúrgicas contaminadas, Caracteres intravenosos e uso de curativos oclusivos, fita adesiva, e moldes de gesso que este paciente não tinnha

Transmissão de _M. pensa-se que ocorra pelo contacto com a  M. Úlceras - água, solo ou vegetação contaminada, que a poderia ter tido quando se banhou diariamente num rio ou lagos  STP. Infecção secundária, geralmente bacteriana, é conhecida por  Úlcera de Buruli, que o paciente também aparentemente Tester blog:   PRO/EDR> Buruli ulcer - Sao Tome and Principe (03): A. fumigatus ... http://outbreakwatch.blogspot.pt/2017/02/proedr-buruli-ulcer-sao-tome-and_16.html

A CELULITE NECROTIZANTE  E  A FASCITE NECROSSANTE, SÃO DOENÇAS RARAS E NÃO HÁ CONHECIMENTO DE QUE TENHAM  CONSTITUÍDO EPIDEMIAS   Mas há outros agentes silenciosos capazes de fazerem enormes estragos na saúde humana – Nos animais e vegetais

Animais vadios - focos infecciosos

Infecções de fungos na pele

As dolorosas úlceras que têm atingido muitos santomenses,  poderão ter outra origem e não propriamente, nem a celulite necrotizante ou a fasciite necrosante, nem a doença de buruli - Se bem que esta seja endémica nos climas tropicais, onde é inevitável -  Além das bactérias há imensas espécies de fungos que existem em todo o mundo e que nos climas quentes ainda encontram ambiente mais favorável, associados à falta de higiene e condições precárias de vida das populações: gatos e cães vadios - e nas duas ilhas há muitos - poderão propiciar contágios humanos e deixar esporos nas plantas e nas águas onde mergulham

Constroem-se grandes centros comerciais e palácios:E o Povo?
Cerca de 16-20 espécies podem infectar o homem causando Aspergilose, sendo as mais comuns A. fumigatus, A. flavus e A. niger. As manifestações clínicas vão desde reações de hipersensibilidade (aspergilose alérgica) até formas pulmonares e cerebrais (aspergiloma ou bola fúngica).

As espécies de Aspergillus são aeróbicas e encontradas em ambientes ricos em oxigênio, onde geralmente crescem na superfície onde vivem. As espécies de Aspergillus contaminam restos de comidas (como pães e batatas), e crescem em muitas plantas e árvores.

O ataque silencioso dos fungos
Espécies de Candida e Aspergillus causam infeções resistentes a medicamentos e matam mais que malária e tuberculose

Quase 4 milhões de pessoas no Brasil devem ter infecções fúngicas a cada ano, de acordo com um levantamento realizado por Juliana Giacomazzi, da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. Desse total, 2,8 milhões são infecções causadas por Candida e 1 milhão por Aspergillus, que avançam principalmente em pessoas com defesas orgânicas enfraquecidas em razão do uso de medicamentos contra rejeição de órgãos transplantados, câncer ou Aids, do uso intensivo de antibióticos ou de procedimentos invasivos como sondas e catéteres em unidades de terapia intensiva (UTI).. http://revistapesquisa.fapesp.br/2016/05/19/o-ataque-silencioso-dos-fungos/

Infeção Fúngica Subcutânea

Por exemplo a  esporotricose é uma micose provocada pelo fungo da espécie Sporothrix schenckii. Chega a afetar os vasos linfáticos, a pele e até a alguns órgãos internos, como o pulmão, ossos e cérebro. A micose é mais frequente em lugares de clima temperado e húmido e o fungo vive na natureza, sendo transmitida através de felinos como o gatoroedores e insetos. O fungo encontra-se instalado na vegetação e entra no organismo através de rupturas na pele. Portanto é uma doença ocupacional que pode atingir pessoas do campo, que manipulam rosas por exemplo. É difundida por todos os continentes. http://in-fungos.blogspot.pt/p/esporotricose.html


A UM POVO ABANDONADO, RESTA-LHE A FÉ E A ESPERANÇA NO SOBRENATURAL 


FAZER-SE LUZ NAS TREVAS  - Para se combater o medo do desconhecido, não há como fazer-se luz - Pois é mais grave darem-se noticias falsas, afirmar-se publicamente que se trata de uma doença desconhecida de que apontar o nome da doença: - Pois, como se compreenderá, do desconhecido toda a gente tem medo e do que é conhecido, as pessoas podem defender-se ou acautelar-se: ora, como se compreenderá, os turistas, desde que não se banhem nos charcos e pântanos ou comam marisco e peixes pescados nestas águas, não têm problemas, podem muito bem continuar a desfrutar as suas férias, nas magníficas belezas naturais destas maravilhosas Ilhas, pois a doença não é contagiosa, tal como também a população, se for avisada dos cuidados que deve ter, evitando banhar-se nos pântanos e não fazer ali qualquer tipo de pesca, em águas contaminadas, naturalmente que não correrá riscos de contrair a tão horrível doença e, de, dentro das suas humildes possibilidades, fazer uma vida mais saudável e normal

O DESCONHECIDO É SEMPRE MAIS TEMIDO 


Tal como já tivemos oportunidade de referir, caso se  tratasse desta terrível doença, 'celulite necrotizante'ou da  Fasceíte necrosante já tinham morrido muitas pessoas - No entanto, as autoridades sanitárias santomenses, além de terem negligenciado a doença, durante vários meses, têm procurado ocultar informação dos pormenores da mesma, que  designam por desconhecida, embora havendo  noticias a correr no estrangeiro que  lhe apontam o nome de  úlcera de Buruli, que, de resto, vão ao encontro das  biopsias, que já teriam sido realizadas pelo especialista beninense Ghislain Emmanuel, a pedido do OMS, as quais foram enviadas para o laboratório em Yaondé, Camarões -  Mas, afinal, anteriormente já haviam sido feitas outras biopsias

ANTES, DE AQUI LHE APRESENTARMOS OS PORMENORES DAS NOSSAS PESQUISAS, VEJAM-SE AS CONTRADIÇÕESORA DIZEM UMA COISA, ORA DIZEM OUTRA

Fossas de saneamento a céu aberto
25 DE FEVEREIRO DE 2017 - Hospitais em São Tomé registam esta semana 42 novos casos da "doença desconhecida"  -Seis meses depois de a doença começar a afetar o sistema nacional de saúde do arquipélago, o governo diz ter chegado a conclusão de que se trata de uma 'celulite necrotizante'. - As autoridades sanitárias são-tomenses dizem que ainda não descobriram uma cura para a 'celulite necrotizante' que já infetou quase 2.000 pessoas desde outubro do ano passado, São Tomé E Príncipe - Hospitais em São Tomé registam esta semana

Águas pantanosas -Álfobre de doenças
31/01/2017 Uma doença de origem ainda desconhecida está a afetar São Tomé e Príncipe, tendo as autoridades sanitárias diagnosticado já 1.994 casos e quatro óbitos "associados à doença", indicou fonte hospitalar. http://www.dn.pt/mundo/interior/doenca-de-origem-desconhecida-afeta-quase-2000-pessoas-em-sao-tome-e-principe-5639098.html03/02/2017 Óscar Medeiros Em cerca de oito meses, 1094 pessoas foram internadas na maior unidade hospitalar do país vítimas da doença, “até agora desconhecida pelas autoridades sanitárias”  Maria Tomé o Ministério da Saúde do arquipélago acredita tratar-se de uma úlcera de buruli -Doença rara em São Tomé e Príncipe continua por identificar 01/02/2017 -Doença gera preocupação em São Tomé e Príncipe - Cerca de 2 000 pessoas teriam sido afectadas por uma estranha patologia em São Tomé e Príncipe, duas outras teriam morrido.  A OMS enviou para o arquipélago um perito do Benim. Suspeita-se de tratar-se de úlcera de Buruli. Doença gera preocupação em São Tomé e Príncipe – 01/02/2017 - Aumentam novos casos de Úlcera de Buruli em São Tomé e Príncipe  http://altacomplexidade.org/aumentam-novos-casos-de-ulcera-de-buruli-em-sao-tome-e-principe/ Fonte: Óscar Medeiros/ Voa Português 10/02/2017 São Tomé et Principe, les autorités sanitaires de l'archipel ont notifié depuis le mois d'octobre 2016 un total de 1094 cas d'ulcère de Buruli sur une population de moins de 200 000 habitants.NOTICIAS  -  Ulcère de Buruli à São Tomé et Principe - "Aumentam novos casos de Úlcera de Buruli em São Tomé e Príncipe" (..)   o Ministério da Saúde do arquipélago acredita tratar-se de uma Úlcera de Buruli. Aumentam novos casos de Úlcera de Buruli em São Tomé e Príncipe

 O QUE É A ÚLCERA  DE BURULI

Águas pantanosas - ótimos hospedeiros

A" úlcera de Buruli (também conhecida como a úlcera de Bairnsdale na Austrália) é uma infecção cronicá da pele e dos tecidos moles devido a Micobacterium ulcerans, com grandes úlceras geralmente nas pernas ou braços que podem levar à infecção óssea adjacente e desfiguração e incapacidade permanentes. A OMS classifica a gravidade da úlcera de Buruli em três categorias: uma única lesão pequena (categoria I), placa não ulcerativa e ulcerativa e formas edematosas (categoria II) e formas disseminadas e misturadas, como osteíte, osteomielite, comprometimento articular (categoria III) (Http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs199/en/). No entanto, o diagnóstico tardio pode levar a formas avançadas da doença e grande incapacidade.

"A transmissão de _M. pensa-se que ocorra pelo contacto com M. Úlceras - água, solo ou vegetação contaminada, que poderia ter tido quando se banhou diariamente num rio ou lagos STP. Infecção secundária, geralmente bacteriana, é conhecida por Úlcera de Buruli" - "A histologia da biopsia de úlcera do paciente foi consistente com a da úlcera de Buruli"  

 COMUNICADO DA PROMED

 A PROMED, que classifica  a Úlcera de buruli, em três categorias, admite poder tratar-se da infeção 1   - Se bem  esperar que haja resultados mais conclusivos - E o mais rapidamente possível.

Comunicado -ProMED-EAFR dos alertas da HealthMap


Como é possível haver saúde com o povo a viver neste estado?
[Tem havido relatos anteriores sobre uma doença não diagnosticada em São Tomé e Príncipe desde Outubro de 2016. Esta doença foi suspeita de ser úlcera de Buruli e foi relatada por ProMED-mail (ver notícias adicionais em http: //www.lexpress. Fr / actualite / societe / sante / afrique-un-ulcere-d-origine-inconnue-seme-l-inquietude-sur-l-ile-de-sao-tome_1875757.html

A úlcera de Buruli (também conhecida como a úlcera de Bairnsdale na Austrália) é uma infecção crônica da pele e dos tecidos moles devido a Micobacterium ulcerans, com grandes úlceras geralmente nas pernas ou braços que podem levar à infecção óssea adjacente e desfiguração e incapacidade permanentes. A OMS classifica a gravidade da úlcera de Buruli em três categorias: uma única lesão pequena (categoria I), placa não ulcerativa e ulcerativa e formas edematosas (categoria II) e formas disseminadas e misturadas, como osteíte, osteomielite, comprometimento articular (categoria III) (Http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs199/en/). No entanto, o diagnóstico tardio pode levar a formas avançadas da doença e grande incapacidade.

Cidade de S. Tomé - Lixo amontoado ao longo do dia

Embora os sintomas descritos no relatório acima sejam ligeiramente diferentes dos da úlcera de Buruli, pode ser uma infecção de categoria I, de acordo com a categorização da OMS. Estes sintomas incluem prurido corporal, pernas inchadas e descoloração da pele.

É uma grande notícia que a OMS enviou cientistas para a ilha para investigar o surto de mistério. Espera-se que mais cedo, em vez de mais tarde, cheguemos ao fundo desta doença, que o diagnóstico seja conhecido e que uma melhor gestão e medidas preventivas serão postas em prática para evitar novas infecções e morte. - Mod.YA

Um mapa de HealthMap / ProMED-mail pode ser acessado em: http://healthmap.org/promed/p/63.]

VEVEJA AS DIFERENÇAS ENTRE A FASCIITE NECROSANTE E A ÚLCEIRA DE BURULI - EMBORA COM EFEITOS NAS FERIDAS  MUITO PARECIDOS   Mas uma é mais devastadora e fulgurante que a outra




Fasciíte necrosante  -  É uma infeção bacteriana que progride rapidamente A mortalidade neste grupo é muito elevada, aproximando-se de 50 % a 70 % .4 - É rara, com apenas 3 a 4 casos em cada milhão de habitantes por ano nos EUA e Canadá, ou seja, cerca de 1000 casos por ano nos EUA. É mais comum em adultos e idosos com doenças crônicas , doenças cardíacas, doença vascular periférica, doenças pulmonares, insuficiência renal e diabetes mellitus), abuso de álcool, condições imunossupressoras (uso de corticosteróides sistêmicos, doenças do colágeno, infeção pelo HIV, transplantes de órgãos sólidos e doenças malignas em tratamento), uso de drogas endovenosas, cirurgias, varicela em crianças, úlceras isquêmicas e de decúbito, psoríase, contato com pessoas infectadas por Streptococcus e traumas cutâneos penetrantes e fechados ou até mínimos.2,10-14iabet



ÚLCERA DE BURULI -  É  uma doença que pode ser tratada com sucesso quando diagnosticada mais cedo. A maior dificuldade para resolver é a detecção precoceAo contrário lepra ou tuberculose, a infeção bacteriana não é transmitida por contágio humano para humano - A úlcera de Buruli (BU) é uma doença tropical negligenciada causada por Mycobacterium ulcerans . que afeta particularmente as populações dos países do Golfo da Guiné. Causada por uma micobactéria  transmitida por insetos aquáticos, destrói a pele, os músculos e pode até mesmo tocar o osso. É a terceira doença micobacteriana mais comum após tuberculose e hanseníase em pessoas imunocompetentes em Bénin. A doença tem sido relatada em mais de 30 países do mundo, mas a maior carga de pacientes está na África Ocidental - Estima-se que atualmente cerca de 20.000 pessoas por ano estão infectados com úlcera de Buruli e tratada. O número de casos não é alto. Mais de metade dos afetados são crianças menores de 15 anos.


AFINAL O QUE  É A ÚLCERA DE BURULI - QUE NÃO ESCOLHE NEM IDADE NEM A COR DA PELE  E QUE URGE PREVENIR E DIAGNOSTICAR - Damos-lhe o essencial da  informação:evite andar ou banhar-se em águas pantanosas ou comer  peixes ou camarões dessas águas 
Não escolhe idade ou cor da pele - Web


"úlcera de Buruli é uma doença que pode ser tratada com sucesso quando diagnosticada mais cedo. A maior dificuldade para resolver é a detecção precoce. Muitas vezes, as crianças e os adultos vêm tarde demais para ser tratada, para que danos irreversíveis já apareceram, e o surto da doença pode ser eliminada através de cirurgia de grande porte.A taxa de recaída elevada em pacientes de Buruli - até 30% - é também um problema sério."

O agente da úlcera de Buruli é uma bactéria chamada M.ulcerans. M. ulcerans pertence à família de bactérias que causa lepra e tuberculose. M. ulcerans fica sob a pele de uma ferida ou mordida de inseto e, ocasionalmente, atinge os ossos. M. ulcerans produz uma toxina chamada mycolactone, que destrói o tecido celular e prejudica o sistema imunológico. Embora a via de infecção não tenha sido confirmada, acredita-se que os insetos aquáticos, mosquitos e artrópodes mordedores / picantes (insetos, crustáceos, aranhas, centopéias, etc.) sejam o hospedeiro ou vetor. http://atm.eisai.co.jp/english/ntd/buruli.html



Foi na Austrália, há quase 70 anos que o Professor Peter MacCallum e seus colegas descreveram pela primeira vez em detalhe uma nova entidade doença ulcerosa entre os seis pacientes da área de Bairnsdale perto de Melbourne. (...) 

"Ao contrário lepra ou tuberculose, a infeção bacteriana não é transmitida por contágio humano para humano, é o resultado de uma transmissão feita com um modelo semelhante ao de uma doença parasítica tal como a malária ou virais como Nilo Ocidental. Esta descoberta é esperado para desenvolver meios mais eficazes de proteção contra esta doença. https://www.revmed.ch/RMS/2008/RMS-152/Ulcere-de-Buruli-vecteur-identifie

É IMPORTANTE A INFORMAÇÃO JUNTO DAS POPULAÇÕES – ATRAVÉS DA RÁDIO E DA TELEVISÃO. E DA PARTICIPAÇÃO DE EQUIPAS DE SAÚDE NO TERRENO OU MESMO DO TRABALHO DE VOLUNTÁRIOS E  DESEMPREGADOS - Naturalmente com o indispensável apoio logístico e alimentar, uma justa gratificação estimuladora -Para evitarem tomar banho em águas pantanosas ou muito paradas - E não pescarem nada dessas águas.

Veja-se o que é dito num relatório sobre os cuidados da doença no Benim, donde veio o especialista que se encontra atualmente em S. Tomé - De que traduzimos algumas passagens

Criança afetada em S. Tomé 




A úlcera de Buruli (BU) é uma doença tropical negligenciada causada por Mycobacterium ulcerans .Normalmente, o número de pacientes com úlceras em estágio avançado é alto. Isso complica o tratamento e aumenta o risco de deficiência. A doença é endêmica principalmente na África Ocidental. A principal estratégia para o controle é a detecção precoce usando voluntários da comunidade. Em Bénin, foram coletados dados para compreender o papel dos diferentes sistemas de referência no estágio da doença na apresentação no hospital ea precisão diagnóstica. Cerca de um quarto dos pacientes foram encaminhados ao hospital pelos voluntários da comunidade. Voluntários de saúde da comunidade encaminharam pacientes mais freqüentemente em um estágio anterior da doença. A taxa de confirmação de PCR entre os pacientes encaminhados pelos voluntários de saúde comunitária não foi sistematicamente menor do que nos pacientes encaminhados por outros sistemas. Descobrimos que os voluntários de saúde comunitária desempenharam um papel importante no sistema de referência de pacientes com UB em Bénin. Esta informação é relevante para programas de cuidados de saúde que tentam controlar a UB, mas também pode ser relevante para programas de cuidados de saúde que trabalham em outras doenças em áreas com recursos restritos.

Peixes e ratos são contaminados


A úlcera de Buruli (BU), causada por
 Mycobacterium ulcerans , é uma doença tropical negligenciada emergente. É a terceira doença micobacteriana mais comum após tuberculose e hanseníase em pessoas imunocompetentes em Bénin. A doença tem sido relatada em mais de 30 países do mundo, mas a maior carga de pacientes está na África Ocidental 



Um dos hospedeiros
Normalmente, a UB começa como um nódulo, placa ou edema indolor, acabando por se tornar uma úlcera.O elevado número de pacientes com úlceras em estágio avançado é um grande problema, pois o tratamento da doença avançada é complexo e frequentemente tem incapacidades de longa duração como conseqüência  . A apresentação tardia às instituições de saúde é comum e é influenciada por questões práticas, tais como custos de viagem, visitas aos curandeiros tradicionais e percepção da doença por parte do paciente



O tratamento consiste em tratamento antibiótico com estreptomicina e rifampicina durante oito semanas, combinado com tratamento de feridas até que a lesão cicatrize  . As lesões levam muito tempo para curar; Em um ensaio clínico sobre o tratamento com antibióticos em Gana, o tempo médio de cura foi de 18 semanas para lesões de categoria I. O tempo médio de cura é maior para lesões de categoria II e III - 30 semanas [ . A cirurgia pode ser necessária. O tamanho da lesão foi o principal fator associado à cirurgia 

No centro da capital de S. Tomé 
A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a detecção precoce de casos e o tratamento precoce das lesões para o controle da UB. A detecção precoce é importante porque a apresentação tardia para tratamento médico está correlacionada com a evolução das lesões pré-ulcerativas com a forma ulcerativa, aumento do risco de osteomielite, intervenção cirúrgica mais extensa e enxerto de pele  , internação hospitalar prolongada e limitação funcional grave  . As estratégias utilizadas para a detecção precoce de pacientes com UB são a busca ativa de casos e a educação nas áreas rurais com a assistência de voluntários de saúde da comunidade. Os voluntários de saúde da comunidade podem ser definidos como indivíduos leigos treinados em um papel específico de fornecer cuidados curativos ou preventivos ou controle em sua própria comunidade . Os voluntários da saúde da comunidade têm demonstrado desempenhar um papel importante no controle de várias doenças endêmicas, como oncocercose e dracunculose.


Onde não há higiene não há saúde  - Roça Ribeira Peixe


Para controlar a oncocercose, os voluntários de saúde comunitária participaram na distribuição de massa de ivermectina.
 Para a dracunculose, relataram casos mensais  . Em alguns países africanos, os voluntários de saúde comunitária contribuíram para a realização de ensaios de vacinas e desempenharam um papel importante na redução da mortalidade materna, neonatal e infantil, bem como na gestão de convulsões febris  .
Na UN, muito poucos estudos avaliaram o papel dos voluntários de saúde comunitária. Este estudo analisa a contribuição de diferentes atores no atual sistema de referência no Benin, sua influência no estágio da doença na apresentação no hospital e na taxa de confirmação diagnóstica da UB, utilizando a PCR IS2404.Excerto de Contribution of the Community Health Volunteers

OUTROS CONTRIBUTOS  QUE LHE TRADUZIMOS 

Ghislain Emmanuel, - Em S. Tomé - Téla Nón


(...) Dependendo da idade do paciente, o lugar onde ele vive, a localização das lesões, dor e a área geográfica, é conveniente excluir outros diagnósticos distúrbios, tais como úlceras fagedênicas tropicais, úlceras crônicas de membros inferiores devido para arterial ou insuficiência venosa (muitas vezes em envelhecimento e populações idosas), úlceras diabéticas, leishmaniose cutânea, o avião estendida ou úlceras devido ao Haemophilus ducreyi 1.
Às vezes confundida lesões precoces nodulares com furúnculos, lipomas, glândulas, linfonodo tuberculose, nódulos de oncocercose e outras infecções, como micoses subcutâneas.
Na Austrália, isso acontece para confundir as lesões papulosas iniciais com picadas de insetos.
A inflamação do tecido celular subcutâneo pode ser parecido com uma infecção inchaço devido ao M. ulcerans, mas, neste caso, as lesões são dolorosas e que o paciente está doente e febril.
.



Ghislain Emmanuel,- Ni Benin
"A úlcera de Buruli, uma doença infecciosa causada pela Mycobacterium ulcerans (M. ulcerans),é a terceira micobacteriose em ocorrência, após a hanseníase e a tuberculose. Essa micobacteriose atípica tem sido relatada em mais de 30 países, principalmente, nos que têm climas tropicais e subtropicais, mas a sua epidemiologia permanece obscura. Recentemente, os primeiros casos autóctones do Brasil foram relatados, fazendo com que dermatologistas brasileiros estejam atentos a esse diagnóstico. O quadro clínico varia: nódulos, áreas de edema, placas, mas a manifestação mais típica é uma grande úlcera, que ocorre, em geral, nas pernas ou nos braços. Apesar do amplo conhecimento quanto ao seu quadro clínico em países endêmicos, nas outras áreas, esse diagnóstico pode passar despercebido. Assim, médicos devem ser orientados quanto à úlcera de Buruli, pois o diagnóstico precoce, o tratamento específico e a introdução de cuidados na prevenção de incapacidades são essenciais para uma boa evolução.

(...) Dados mais recentes da Austrália sugerem que os mosquitos de pântanos de água salgada apresentam teste positivo para DNA de M. ulcerans, apesar de a transmissão por esse tipo de mosquito ainda não ter sido comprovada. Há outras pesquisas em andamento para estabelecer o papel exato de insetos e outros fatores na transmissão da doença aos seres humanos. Se houver confirmação, a UB será a única doença conhecida por micobactérias transmitida por insetos.


A contaminação da pele pode resultar da exposição direta a água estagnada, a gases provenientes de lagoas ou superfícies de pântanos ou a objetos contaminados. Também parece ocorrer por meio de vários tipos de trauma,27 desde leve, como com uma injeção hipodérmica, a grave, como ferida de minas terrestres, picada de cobra ou, até mesmo, mordida humana. Dois casos registrados mostram a possibilidade da transmissão homem-homem, através de trauma por mordidas.

Uma mudança na epidemiologia da UB tem sido atribuída a inundações, crescimento populacional, mineração, extração de madeira das florestas tropicais e represamento de rios, mas não há comprovação dessa associação causal. Há hipóteses de que a M. ulcerans seja introduzida em novas regiões por insetos, seres humanos ou outros animais. Alternativamente, o organismo já pode estar amplamente distribuído no ambiente, em baixo número, mas amplificado a níveis significativos após acontecimentos como desmatamentos ou inundações.16

ÚLCERA QUE DESCARNA E AVERMELHA- SEJA QUAL FOR A RAÇA, IDADE, COR DA PELE  OU CREDO RELIGIOSO


A úlcera de Buruli, considerada uma das principais doenças tropicais  negligenciadas, é causada por uma microbactéria capaz de produzir uma toxina  que pode levar à destruição da pele e dos tecidos moles, com a formação  de grandes úlceras que afetam as pernas ou os braços. 

A doença ocorre, com frequência, em indivíduos que habitam áreas próximas  de leitos de reservatórios de água -- rios de fluxo lento, lagoas, pântanos  e lagos - mas há registo de casos que ocorreram após inundações. 
O estudo estabeleceu uma ligação entre os surtos de úlcera de Buruli  na Guiana Francesa, na América do Sul, e as mudanças nos padrões de chuva,  incluindo eventos extremos de chuva impulsionada pelo fenómeno El Nio Oscilação  Sul (ENOS), descrito como possível influenciador no aumento da ocorrência  de cheias. http://sicnoticias.sapo.pt/mundo/2014-08-06-estudo-alerta-que-lcera-de-buruli-pode-ter-se-espalhado-devido-a-alteracoes-climaticas

Medicina tradicional - o recurso do "povo peqeno"

5. Quantas pessoas sofrem de úlcera de Buruli hoje? É difícil determinar o número de pacientes, pois em muitos países, as pessoas afectadas nem sempre são tratadas de forma adequada e não são identificados. Estima-se que atualmente cerca de 20.000 pessoas por ano estão infectados com úlcera de Buruli e tratada. O número de casos não é alto. Mais de metade dos afetados são crianças menores de 15 anos.
6. Em que países é que nós úlcera de Buruli? A úlcera de Buruli está presente em África, no oeste da América do Pacífico e Latina. Na África, os países afetados sontles: Angola, Benin, Burkina Faso, Congo, República Democrática do Congo, Costa do Marfim, Gana, Guiné, Camarões, Libéria, Nigéria, Serra Leoa, Sudão, Togo e Uganda. No oeste do Pacífico, são eles: Austrália, China, Índia, Indonésia, Japão, Malásia e Papua Nova Guiné. Na América Latina, a úlcera de Buruli está presente na Bolívia, Guiana Francesa, México, Peru e Suriname.

7. úlcera de Buruli é curável? Quando Buruli é diagnosticado suficientemente cedo, o agente patogénico pode ser eliminado por uma pequena operação cirúrgica. Numa fase avançada, o tratamento com antibióticos também pode dar bons resultados. Numa fase posterior, que muitas vezes permanece a possibilidade de tratar cirurgicamente grandes superfícies e, em seguida, prosseguir com enxertos de pele. Como último recurso, devemos amputar o membro afetado. Numa fase tardia da doença, os antibióticos não são eficazes.http://bra-ales.org/lepra/c/3_faqBuruli.html

PROFISSIONAIS DA SAÚDE PAGOS COM ORDENADOS MISERÁVEIS  - POR UM GOVERNO CUJOS MILHÕES SE ESCOAM NÃO SE SABE PARA ONDE 


Lixo hospitalar a céu aberto
É citado que "A realidade dos profissionais da saúde em São Tomé e Príncipe é mesmo difícil. Conversamos com enfermeiros do hospital Dr. Ayres de Menezes, que preferiram não serem identificados por medo de represálias dentro da instituição. Todos foram unânimes ao afirmar a falta de material para o tratamento dos pacientes, a falta remédios, e que a infraestrutura do único hospital do país está completamente sucateada. “Realmente não temos condições para fazer um bom atendimento da população”, assegurou uma das profissionais que conversou conosco.


Para além dos problemas estruturais no Dr. Ayres de Menezes, os enfermeiros e médicos ainda precisam lidar com o baixo salário pago às categorias.  O salário de um enfermeiro, por exemplo, pode variar entre 1 a 2 milhões de Dobras, o equivalente a 40 e 80 euros, respectivamente. 

CAIXEIRO VIAJANTE INVETERADO

E EM 2016? - VEJA:




Turquia/Portugal/Marrocos/ mais um ou dois países(5)Portugal6 JANEIRO 1ª-23 a 30 — Marrocos/Portugal FEVEREIRO 2ª-17 a 18 — Guiné Equatorial MARÇO 3ª-8 a 9 — Gabão 4ª-15 a 27 –  Portugal/Marrocos/Portugal ABRIL 5ª-8 a 9—Gabão 6ª-13 a 21  Portugal/França/Portugal 7ª-28 a 29—Angola MAIO 8ª-5 a 8—Ilhas Maurícias/ Djibuti 9ª-21 a 28 — Portugal/Suíça/Portugal JUNHO 10ª-5 a 7—Gabão 11ª-29Jun. a 3 Jul.—Portugal JULHO 12ª-?a? — Gabão (Campanha Presidencial) AGOSTO 13ª-9 a 30—Portugal/Kénia/Portugal SETEMBRO 14ª-13/Set. a 1/Out.—Portugal/ONU/França/Portugal OUTUBRO 15ª-14 a 16—Togo 16ª-29/Out. a 26?/Nov.—Portugal/Brasil (em segredo) Turquia/Portugal/Marrocos/Portugal/mais dois países (?)/Portugal. -NOVEMBRO 17ªVagem - 29/Nov a 3/Dez. - Gabão -DEZEMBRO 18ªViagem - 12 a 15/Dez. - Portugal (Festa do aniversário do Pai) 19ªViagem - 26 a 29/Dez. - Rwanda TOTAL: +-150(+-) dias ausente do País (equivalente a 5 meses) 

ELIMINAR A DOENÇA OU SILENCIAR OS QUE QUEREM VEREM-NA ESCLARECIDA E ERRADICADA? 
"Povo Pequeno" sem dinheiro e sem assistência pronta e eficaz socorre-se da medicina tradicional, que neste caso, perpetua ou agrava mais e não resolve

Tipologia da  ÚLCERA DE BURULI - 

Numa altura em que, o país se debate com uma grave doença, que devia requerer esforços políticos e sociais colectivos, Governo abre guerra contra a oposição e procura  silenciar a sua voz - Senão  atente-se no exemplo recente da prepotência e arrogância do Ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Afonso Varela,  a segunda figura  mais poderosa do   Governo, responsável pela Comunicação Social e pelas relações com o Parlamento, quando se dá ao desplante de abrir um telejornal para se atirar contra  a visita de deputados da oposição ao Hospital Dr. Ayres Menezes. AFONSO VARELA – ministro descarrilado! |




Construída nos anos 40
Cooperação portuguesa constrói central termoelétrica de 5,2 milhões de euros em São Tomé, para pouco tempo depois a deixarem a explodir por negligência, tal como tem acontecido com barcos, que se afundam e  noutras coisas: dinheiro que vem sem esforço acaba em saco roto.

Recentemente, um curto circuito na Central Térmica de S. Tomé provocou explosão de um disjuntores, que fornecem a energia elétrica do centro da capital e de arredores – Quem passar ao lado do edifício, que foi construído nos anos 40, no período colonial e com o melhor equipamento da época,  facilmente  verificará que nem sequer caiado é, além de estar todo envolto por denso capinzal.  Cooperação portuguesa constrói central termoelétrica de 5,2 milhões

PORTUGAL CONTINUA A DOAR DINHEIRO, QUE, ALIÁS TEM SERVIDO PARA ALIMENTAR JOGOS DE CORRUPÇÃO E  GARANTIR QUE EMPRESAS PARASITAS QUE ALI SACAM   FUNDOS SEM RISCOS OU ESFORÇO ALGUM  02/09/2016  Novo programa de cooperação Portugal-São Tomé envolve 57,5

Agora, o Governo português, diz  vai doar 1,5 ME para combater alterações climáticas no arquipélago- 16-01-2017 -Portugal vai alocar 1,5 milhões de euros a São Tomé e Príncipe para a execução de projetos sobre alterações climáticas durante os próximos quatro anos, anunciou hoje o ministro do Ambiente português, João Pedro Fernandes. Expresso | Portugal disponibiliza 1,5 milhões de euros para combate

TUDO ISTO É DEMAGOGIA – MILHÕES QUE OS CONTRIBUINTES PORTUGUESES TÊM QUE PAGAR PARA ALIMENTAR A GULA PARASITA

30/7/2016,  Os portugueses que queiram investir ou exportar para São Tomé e Príncipe deverão contar, no final deste ano, com uma linha de crédito de dez milhões de euros. http://observador.pt/2016/07/30/linha-de-credito-de-10-milhoes-vai-apoiar-investimento-portugues-em-sao-tome-e-principe/ 2015/07/15 Portugal abriu uma linha de crédito de 10 milhões de euros a favor de São Tomé e Príncipe, na sequência de um acordo terça-feira assinado em São Tomé, em cerimónia testemunhada pelo primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada. http://www.macauhub.com.mo/pt/2015/07/15/portugal-abre-linha-de-credito-a-favor-de-sao-tome-e-principe/




As profundas alterações climáticas em S. Tomé e Príncipe, as  ligações exteriores, sem o devido controlo
 sanitário - embarcações que fazem ligações, a torto e a direito, muitas das quais cladestinamente e por razões que se desconhecem, com o vizinho Gabão, mas não só, a  desmatação excessiva em certas áreas das ilhas, queimadas na época da gravana, sem controlo (a que já nos treferimos desenvolvidamente neste site) a criação de gado bovino, de forma intensiva, provalmente sem os devidos cuidados sanitários,  assim como o desleixo com assistência  de saúde às populações e no seu desinvestimento, lixeiras hospitalares   a ceu aberto e nas zonas urbanas, poderão estar a propiciar o retorno de uma das doenças mais generalizadas em vários países,

De nada poderão valer as ajudas monetárias se  a desflorestação e as queimadas prosseguirem – Esse panorama persiste e agrava-se a cada dia que passa. Em queimadas, a noroeste e, em desmatação, selvagem a sul. 
4



Nenhum comentário :