expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Quem sou eu

Minha foto
Entre outros assuntos, falo da escalada ao Pico Cão Grande e das minhas aventuras em canoas – Visam defender a teoria de que antigos povos africanos, podiam ter sido os primeiros povoadores das Ilhas do Golfo da Guiné, antes dos colonizadores – Parti à meia-noite, disfarçado de pescador, ligando a ilha do Príncipe. Para me orientar, uma rudimentar bússola – A canoa era minúscula, à segunda noite adormeci: rolei na escuridão das vagas. No regresso fui distinguido com sopapos da policia salazarista, enviado para os calabouços – Cinco anos depois, numa piroga maior, fiz a ligação São Tomé-Nigéria. Partindo igualmente à noite, 13 dias depois atingia uma praia de Calabar, tendo sido detido 17 dias por suspeita de espionagem. - No mesmo ano, já com São Tomé e Príncipe independente, tentei a travessia São Tomé ao Brasil, usando os mesmos recursos. Além de pretender reforçar a minha teoria, desejava evocar a rota da escravatura e repetir a experiência de Alain Bombard. Porém, quis a ironia do destino que vivesse a difícil provação de um naufrágio de 38 longos dias, tendo aportado numa praia de Bioko (Bococo)onde fui recambiado para a famosa prisão de Black Beach

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

S. TOMÉ E PRÍNCIPE – Mergulhado numa grave crise politica e social - A situação na capital é muito tensa, agitada e confusa – Policia de Choque, coadjuvada pela tropa ruandesa cercou esta manhã o Parlamento, invadiu o edifício e arrastou seis deputados da oposição - Os demais deputados, sentindo as vidas ameaçadas, abandonaram a sala - Os trabalhos prosseguiram com a controvérsia aprovação do juízes da confiança politica do regime de Patrice Trovoada, hoje a figura mais impopular e contestada nas tradicionais pacificas Ilhas Verdes do Equador, acusado de graves desvios financeiros, lavagem e branqueamento de capitais, e vários e graves atos ilícitos de fraudes e corrupção – Há apelos e manifestações junto ao edifício da ONU e noutros locais, contestando “contra a ditadura de Patrice” exigindo posição que garanta a ordem e salve a Constituição.

Jorge Trabulo Marques - Jornalista Informação e análise  - Estamos acompanhar   com atenta preocupação o ambiente de tensão politica e social,  que se vive neste dia, em S. Tomé, através das muitas mensagens que nos são enviadas por santomeses, análise de noticias e pelo que observamos nas redes sociais, de expressões de grande intranquilidade e de apreensão,  de videos, fotos e apelos postados por populares indignados e alguns sites, que contamos ir atualizando nesta ou noutras postagens na medida do possível 

VEJAM-SE ESTES TÍTULOS DE NOTICIAS  - Diz Patrice: Há uma máfia instalada nos tribunais do país de São Tomé Há uma máfia instalada nos tribunais do país de São Tomé e Principe Presidente da  AN - José Diogo avançou com queixa-crime e acabou ensanduichado  -  Presidente da República  Evaristo faz queixa e anuncia fim de Silva e Frederico no TC - Scoop.it .Ontem . ,,,Evaristo sem saudação da oposição em 2018 – Téla Nón


PAZ POLÍTICA E SOCIAL PERTURBADA NAS ILHAS VERDES DO EQUADOR - 

É URGENTE A ONU E O FMI TOMAREM POSIÇÃO, NOMEAREM COMISSÃO INDEPENDENTE PARA NOVAS ELEIÇÕES LIVRES E JUSTAS, APEAREM GOVERNO, CORRUPTO, OPRESSOR E DESACREDITADO 

Soubemos que, na sequência das pessoas que se aglomeraram em frente do edifico das Nações Unidas, na cidade de S. Tomé, uma delegação composta por elementos da oposição foi recebida pela representante desta prestigiada Instituição Internacional para ali lhes manifestarem os seus receios e preocupações


Uma parelha nunca vista em S. Tomé
Os dois atos eleitorais, previstos para este ano, organizados pelo absolutismo ditatorial do atual regime, são olhados com enorme desconfiança pelo receio de que se sucedam as mesmas fraudes e banhos da compra de votos por um misterioso empresário, com negócios disfarçados em vários países, que nestes anos da sua desgovernação, vem sufocando a liberdade de expressão nos órgãos da rádio e televisão do Estado, tem gerado um ambiente social e politico de grande instabilidade, contribuindo para o recrudescimento dos índices da extrema pobreza da população e contribuindo para o aumento do alcoolismo e criminalidade  


TELEVISÃO E RÁDIO, SOB CONTROLO DO REGIME, SILENCIA DESCONTENTAMENTO POPULAR E A POLÍCIA PROÍBE E REPRIME AS MANIFESTAÇÕES DA OPOSIÇÃO. Alegando que não foram convocadas com  prévio aviso  - Enquanto, nas redes sociais, única alternativa da liberdade de expressão, correm vozes de apelos de desagrado e de indignação e APELOS DE SOCORRO À ONU - PARAÍSO TRANSFORMADO NUM INVERNO PELO DESPOTISMO OPRESSOR E DE PATRICE TROVOADA - Parlamento, acaba aprovar a famigerada composição do Tribunal Constitucional, com ausência dos deputados da oposição, forçados a abandonarem a sala do Plenário.
Neste vídeo, cujo som  registámos da sessão plenária da passada semana - igualmente muito agitada e caótica - Mas, hoje,  pelos videos e pela  informação que corre das redes sociais, a situação é bem  mais conturbada e confusa

É, pois, manifesto o sentimento de tensão, insegurança e de instabilidade que alterou, esta manhã e prossegue pela tarde adiante, alterando e perturbando  a vida dos habitantes da pacata capital deste pequeno pais do Golfo da Guiné - 

Correm indignados apelos nas redes sociais “aos verdadeiros patriotas, amantes da paz e democracia, a comparecerem defronte do edifício das NAÇÕES, para protestar contra a instalação da ditadura de Patrice Trovoada".

"Mães, pais, irmãos, filhos, tios, os familiares de todos os deputados da oposição, mesmo com crianças, dirijam-se todos e instalem-se em frente ao gabinete do primeiro ministro e exijam a libertação imediata dos mesmos. Vigília generalizada...

Grupo Parlamentar do ADI aprovou ao fim da manhã, a composição dos juízes do controverso Tribunal Constitucional, com ausência dos deputados da oposição, que se retiraram da sala, por sentirem que as suas vidas poderiam correr perigo, dada a presença da forte aparato policial, os temíveis ninjas, que invadiram o edifício do Parlamento a mando do regime opressor e ditatorial de um truculento e autoritário estrangeirado gabonês
Porém, já antes dos deputados da oposição, terem abandonado o Parlamento, já as forças repressoras, presentes na assembleia, haviam retirado à força 7 deputados da oposição, da sala da plenária


IMAGENS QUE DERRAMAM LÁGRIMAS NOS OLHOS E FAZEM DOER O CORAÇÃO, - Que documentam a violenta carga policial num povo nosso amigo, nosso irmão, tão pacifico e acolhedor, nas Ilhas Verdes do Equador – através da ditadura imposta pelo regime opressor e corrupto do misterioso  empresário gabonês, Patrice Trovoada, que tem enriquecido à custa da fraude e do saque do pequeno e mais pobre pais africano, onde nem foi parido nem achado

DESCULPAS ESFARRAPADAS DAS TRAPALHADAS DE  UM REGIME  REPRESSOR E DESACREDITADO Ontem, quase ao fim da tarde, a TVS e a rádio do regime, divulga um  comunicado com assinatura do Comandante Geral da Polícia Nacional, , exortando os militantes dos Partidos da oposição para não irem à manifestação, alegando  que os partidos em referência não apresentaram a comunicação necessária no prazo de 48 – Isto depois  de no dia anterior estes mesmos órgãos terem apelado à militância do partido que apoia o Governo, a comparecerem junto do edifício da AN sim, para, declaradamente,  afrontarem  os deputados da oposição na sessão prevista esta segunda feira, o que viria a suceder com a colaboração das forças policiais 


“O Comando geral da Polícia Geral da Polícia Nacional vem informar que todas as manifestações ou concentração de pessoas que não foram devidas e previamente comunicada às autoridades, de acordo com a lei, serão consideradas ilegais e os seus promotores, neste caso o MLSTP-PSD, serão judicialmente responsabilizados”. Comunicado na íntegra, em  http://www.stp-press.st/file/2018/01/Comunicado-da-Pol%C3%ADcia-Nacional.pdf


NOTICIAS VEICULADAS PELO EXTERIOR  E IMAGENS VEICULADAS NAS REDES SOCIAIS  - Confirmam que “A situação política em São Tomé e Príncipe agravou-se hoje, a poucas horas da eleição, pelo Parlamento, de cinco juizes do novo Tribunal Constitucional Autónomo, considerado inconstitucional pelo Supremo Tribunal, e pela oposição. Com efeito, deputados da oposição bloquearam as três entradas que dão acesso ao Parlamento, em sinal de protesto contra a proibição da entrada de viaturas dos membros deste órgão, que - por seu turno - eles consideram ilegal.
No Sábado passado, o Presidente da Assembleia Nacional, José Diogo, tinha tormado público um despacho com várias "medidas de segurança", dado o clima de tensão que se tem vivido no País nos últimos dias, em torno da questão da eleição dos cinco juízes do Tribunal Constitucional.

Entre essas medidas, refira-se que os deputados deverão ser revistados por agentes de segurança, com detetor de metais, e é proibida a entrada de veículos dos deputados nas instalações do Palácio dos Congressos, onde funciona a sede do Parlamento.
Mesmo a imprensa se vê agora obrigada a estar devidamente acreditada, e usar “crachás” para poder fazer a cobertura da sessão parlamentar.
Gaudêncio Costa, deputado do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata (MLSTP-PSD), principal partido da oposição, disse à imprensa : "Achamos que o despacho do Sr. Presidente da Assembleia Nacional é uma ilegalidade, e estamos cansados de estar a permitir ilegalidades neste País, e particularmente neste Parlamento".
Por seu turno, Delfim Neves, o Vice-presidente do Partido da Convergência Democrática (PCD), em declarações a jornalistas, afirmou : "A oposição está pronta para combater em todas as frentes, tentar travar este caos e criar uma nova realidade que satisfaça o povo de São Tomé e Príncipe". 
Estão previstas para hoje manifestações em frente ao Palácio dos Congressos de militantes e apoiantes do Governo e da ADI, e também dos que apoiam a oposição, mas o comando da polícia nacional são-tomense já declarou, em comunicado, que a manifestação da oposição é ilegal.
A situação política em São Tomé e Príncipe agravou-se hoje, a poucas horas da eleição, pelo Parlamento, de cinco juizes do novo Tribunal Constitucional Autónomo, considerado inconstitucional pelo Supremo Tribunal, e pela oposição. Com efeito, deputados da oposição bloquearam as três entradas que dão acesso ao Parlamento, em sinal de protesto contra a proibição da entrada de viaturas dos membros deste órgão, que - por seu turno - eles consideram ilegal.
No Sábado passado, o Presidente da Assembleia Nacional, José Diogo, tinha tormado público um despacho com várias "medidas de segurança", dado o clima de tensão que se tem vivido no País nos últimos dias, em torno da questão da eleição dos cinco juízes do Tribunal Constitucional.
Entre essas medidas, refira-se que os deputados deverão ser revistados por agentes de segurança, com detetor de metais, e é proibida a entrada de veículos dos deputados nas instalações do Palácio dos Congressos, onde funciona a sede do Parlamento.
Mesmo a imprensa se vê agora obrigada a estar devidamente acreditada, e usar “crachás” para poder fazer a cobertura da sessão parlamentar.

DE RECORDAR COMUNICADO DO MLSTP-PSD, DO MAIOR PARTIDO DA OPOSIÇÃO, FUNDADOR DA NACIONALIDADE SANTOMENSE,  DIVULGADO NA SEMANA PASSADA
Recente contestação ao Governo de Patrice Trovoada
 O MLSTP/PSD, com surpresa e muita apreensão, tomou conhecimento do despacho do Presidente da Assembleia Nacional, de 12 de Janeiro do corrente ano, proibindo a entrada de pessoas estranhas ao recinto do Palácio dos Congressos, como na sala das sessões plenárias e a entrada de viaturas dos deputados à sua própria casa de trabalho e permitindo a entrada de viaturas dos membros do Governo que vêm à casa parlamentar e do Secretário-Geral. 

O MLSTP/PSD informa que repudia com veemência este despacho pelo facto de descaracterizar a democracia parlamentar consagrada no Regimento deste órgão de soberania, no seu artigo 129.º, que dispõe que as reuniões plenárias da Assembleia Nacional são públicas e que as bancadas destinadas ao público não há lugares reservados, podendo, porém, cada grupo parlamentar proceder à reserva de lugares de acordo com os critérios definidos pela Mesa. 

O MLSTP/PSD não pode aceitar tal acto antidemocrático e inconstitucional do Presidente da Assembleia Nacional que ao vingar-se só pode enquadrar no sistema da ditadura da maioria que possui o seu Partido, o ADI, no sentido de que “eu posso, quero e mando”, como se fossem “dono disto tudo”.

O MLSTP/PSD julga que o Presidente da Assembleia Nacional deve pautar-se com o sentido de Estado na resolução dos problemas e não se descarrilar, como está a acontecer, pelo caminho da ditadura e deixar de ser um par entre os pares da casa da democracia, que é a Assembleia Nacional, onde se reúne os representantes do Povo.

 O MLSTP/PSD e os seus Deputados utilizarão todos os meios democráticos para contrariar a crescente onda de postura ditatorial do actual poder, violando as regras elementares da convivência democrática e do princípio de separação de poderes, e alerta a comunidade internacional para os sucessivos sinais que perigam a democracia em São Tomé e Príncipe. São Tomé, aos 13 de Janeiro de 2018.

ÚLTIMAS NOTICIAS DA LUSA - REFEREM TAMBÉM O MESMO AMBIENTE DE TENSÃO E DE INSTABILIDADE 
Seis deputados da oposição foram expulsos pela polícia da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe, esta segunda-feira, na sequência de uma ordem do presidente deste órgão, durante uma sessão que já teve três interrupções esta manhã.
A sessão parlamentar pretendia retomar os trabalhos interrompidos na quinta-feira destinados a eleger os juízes do Tribunal Constitucional autónomo, cuja aprovação e promulgação foram considerados inconstitucionais pelo Supremo Tribunal de Justiça, que acumulava também as funções de Tribunal Constitucional.
Recente manifestação 
No entanto, a reunião ficou marcada desde cedo por clivagens entre o poder e oposição, que terminaram com uma ação da polícia de intervenção rápida, a pedido do presidente da Assembleia Nacional, José da Graça Diogo, para expulsar seis deputados do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrática (MLSTP-PSD, maior partido da oposição), entre os quais o líder da bancada, Jorge Amado.
A polícia acabou por ordenar a saída de todos os deputados da sala do plenário e deu também instruções aos jornalistas para abandonarem a sala e aos funcionários parlamentares para permanecerem nos seus gabinetes.
No edifício encontravam-se, cerca das 12h30 locais (menos uma hora em Lisboa), perto de 50 agentes de segurança, muitos dos quais à paisana, além de cerca de uma dezena de elementos da força de intervenção rápida.
No exterior do recinto da Assembleia Nacional, cerca de duas mil pessoas manifestam-se, umas a apoiar o partido no poder (Ação Democrática Independente, ADI), outras contra, mas os protestos decorrem de forma pacífica.
No sábado, o presidente da Assembleia Nacional fez um despacho impondo várias "medidas de segurança", entre as quais obrigar os deputados a serem revistados, proibir a entrada de viaturas dos deputados nas instalações do Palácio dos Congressos onde funciona a sede do parlamento e impor, pela primeira vez, o uso de crachás a jornalistas que pretendem fazer a cobertura da sessão parlamentar.
O MLSTP-PSD, maior partido da oposição, "repudia com veemência" a decisão do presidente do parlamento.
Ânimos exaltados
Deputados da oposição são-tomense boicotaram na última quinta-feira a nomeação de novos juízes para o Tribunal Constitucional (TC), em protesto contra a presença policial no parlamento, pedida pelo Governo devido aos ânimos exaltados.
No período antes da ordem do dia, os ânimos exaltaram-se devido à troca de acusações entre os deputados da oposição, que acusaram o primeiro-ministro, Patrice Trovoada, de ser "um ditador" e de querer "transformar São Tomé e Príncipe no seu feudo".
Por seu lado, o chefe do Governo havia acusado a oposição de querer "criar instabilidade e conflito no país" ao ter convocado a manifestação de protesto contra o executivo, na terça-feira.
A oposição, que conseguiu reunir cerca de três mil pessoas na manifestação, contestou o que classifica de "excessos de autoritarismo, abuso de poder e frequentes violações da Constituição da República", numa referência à recente decisão do chefe de Estado de promulgar a lei orgânica que cria o Tribunal Constitucional, quando o diploma se encontra no Supremo Tribunal para fiscalização de constitucionalidade.
Com uma posição mais radical, o líder da bancada do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social-Democrata (MLSTP - PSD), Jorge Amado, acusou o Governo de ter "mandado sitiar" o parlamento com a presença da polícia, e referiu: "Estou disposto a morrer hoje, mas esse tribunal não será constituído".
Delfim Neves, da bancada do Partido da Convergência Democrática (PCD), acusou o primeiro-ministro de "falta de respeito" para com o presidente do Supremo Tribunal e com a Constituição e de "mandar e desmandar" no Presidente da República.
Fora do Palácio dos Congressos, na capital são-tomense, onde decorria a sessão parlamentar, um grupo de cerca de três dezenas de pessoas protestava contra a criação do tribunal. https://www.tsf.pt/internacional/interior/policia-expulsa-seis-deputados-da-oposicao-do-parlamento-de-sao-tome-e-principe-9048911.html


ATUAL CHEFE DE GOVERNO DE STP - ACUSADO DE TER FINANCIADO O GOLPE DE ESTADO DE 16 DE JULHO 2003 E DE TER ORDENADO QUE OS GOLPISTAS ASSASSINASSEM OS SEUS PRINCIPAIS ADVERSÁRIOS POLITICOS  Esta é a primeira e a segunda parte do surpreendente diálogo feito através da Internet, entre Peter Lopes e Octávio Bandeira - Ambos santomenses



NÃO ESQUECER QUE Patrice Trovoada, concordou em lidar com DiamondWorks.   A  DiamondWorks teve ligações passadas com  a África do Sul a  empresas mercenárias, algumas das quais estavam ligadas ao golpe de julho de 2003 contra de Menezes


A ERHC assegurou sua posição de privilégio através do uso de subornos projetados através de Patrice Trovoada.  atual primeiro-ministro e filho de ex-presidente do STP, Miguel Trovoada - A população vive abaixo da linha de pobreza e o país permanece, "inviável", no sentido de que não pode produz o suficiente nas exportações para satisfazer seu próprio nível de consumo. . http://scholarship.law.berkeley.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1098&context=bjalp




Rol de acusações, ao PM, Patrice Trovoada, feitas  pela oposição,  em vários debates na Assembleia Nacional de S. Tomé e Príncipe - 

1. Suspeito de branqueamento de capital, envio de mais de 600 mil euros do erário público em dinheiro para ser depositado em libreville;
2. Suspeito de ter desviado 30 milhões de dólares americanos;
3. Suspeito de ter financiado o golpe de estado em 2003 e de ter ordenado assassinatos de Pinto da Costa, Fradique e Oscar Sousa;
4. Suspeito de ter comprado em seu nome os barcos pixi ndala e os barcos de patrulha;
5. Foi roubado na sua residência pelo seu segurança uma quantia avultada,o que faz antever lavagem de dinheiro;
6. Fez negócio consigo próprio no caso da aquisição pelo estado (seu governo) do novo edifício destinado ao supremo tribunal de justiça. Negócio que está a ser alvo de uma sindicância;

Ribeiro e Castro (CDS) Ao centro e ao lado de Patrice
6. Perdoou impostos à Rosema para depois tomar conta da empresa dando ordens aos coitados dos irmãos que fazem tudo que ele lhes pede;
7. Vai promover uma reforma monetária envolvida em suspeita de crime. Segundo uma denúncia existe contrafacção das novas notas prontas para entrar no sistema beneficiando o ADI. Acção promovida pelo próprio Patrice Trovoada. A velha dobra que vai sair de circulação, vai voltar a entrar com a colaboração do senhor Governador do Banco Central.
Perante tudo isso dou os meus parabéns ao dr Olegário pelo artigo. Os partidos políticos, a sociedade civil deverão mobilizar se para desmascarar esse mentiroso e corrupto primeiro-ministro. – Recordando as falcatruas de Patrice Trovoada  num comentário postado por um  cidadão santomense, no dia de Natal, no Téla Nón -  A propósito o artigo intituladCrónica de um Golpe Institucional anunciado De Olegário Tiny 20/12/2017


Nenhum comentário :